Carlos Costa defende pré-reforma para trabalhadores com baixa produtividade

Banco Central Europeu

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal

O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, defendeu esta terça-feira em Lisboa a necessidade de encontrar mecanismos de pré-reforma para trabalhadores com “longas carreiras contributivas”, mas que não se adaptaram às novas condições de trabalho.

No seminário ‘A necessidade de um crescimento robusto para o pós-troika’, organizado pelo Fórum para a Competitividade e que decorreu em Lisboa, Carlos Costa defendeu mecanismos de passagem à reforma de trabalhadores com “longas carreiras contributivas” e com rendimentos e níveis de produtividade decrescentes.

“Seria necessário pensar em como encontrar formas adequadas de ‘pré-pensionamento’ destes trabalhadores que, por razões ligadas à sua formação, à sua longa história de trabalho e até por razões ligadas à própria inadequação às novas condições de trabalho, hoje frequentam sobretudo centros de saúde para obter licenças médicas e outros mecanismos de ausência temporária”, afirmou o governador.

Carlos Costa sugeriu este tipo de mecanismos ‘pré-pensionamento’ como uma possível resposta para o problema do desemprego estrutural em Portugal, cuja absorção “vai levar tempo”, já que não se resolve “pela simples inversão do ciclo económico”.

Durante a intervenção, o responsável do banco central disse ainda que o modelo institucional europeu existente “não é suficientemente integrado” e “não tem um centro de decisão que pense o todo”, o que cria “dois enviesamentos que sistematicamente atrasam a resposta europeia”: a inércia da resposta e o facto de os países com maior dimensão fazerem prevalecer a sua posição.

Carlos Costa disse ainda que é preciso “um centro de decisão capaz de antecipar os problemas e que minimize os custos de ajustamento”, acrescentando que o processo de integração europeia é um “inerente ao processo de desenvolvimento sustentado da economia portuguesa”.

/Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Eu nasci em 1954, trabalho desde 1964, comecei a descontar para a Seg. Social em 1966, em 2009 assinei um acordo de Pre-Reforma para a renovação de quadros e dar logar aos mais jovens. Terminados os 5 anos da Pre-Reforma estou no fundo de desemprego e só porque me antecipei e negociei com a a minha entidade patronal a extinção do posto de trabalho, senão estava sem receber dinheiro de lado nenhum.
    E vem o Senhor Carlos Costa dizer que esta situação é boa para o desenvolvimento da economia nacional! Como pode dizer isto sem se informar ???

  2. Joga antes com um baralho diferente. Faz batota com cartas viciadas e generaliza quando lhe convém. O que faz falta é investimento em formação. Quanto aos trabalhadores que estão frequentemente de baixa, há leis para lidar com isso.

  3. Esta conversa já é velha. Desde 2002, ou talvez antes, que as empresas vem fazendo rescisões amigáveis, extinção de postos de trabalho, pré reformas, alegando renovação dos quadros, por inadequação dos mais velhos ás novas tecnologias. A legislação existente facilita esta situação, indo as pessoas para o desemprego, para de seguida passarem á reforma antecipada. Porém, os mais velhos saem mas na maioria dos casos não são substituídos por novos.
    Esta situação não se aplica aos administradores e presidentes das empresas, pois mesmo de idade avançada, alguns bem acima dos 65, estão sempre aptos a desempenhas as suas funções. É o caso deste senhor, cuja atuação no caso BES e pelas palavras proferidas no forum aqui noticiado, demonstra bem as suas (in)capacidades para continuar em funções.

  4. Sabem porque razão as pessoas começavam a trabalhar aos 11 anos? Também não vou dizer!. Mas foram todos aqueles que começaram a trabalhar aos 11 anos, que mantiveram a segurança social até hoje, para que o senhor governador do banco de Portugal e outros, pudessem estudar com o dinheiro dos impostos desses contribuintes. O senhor governador devia estar mais atento ao perímetro das suas responsabilidades e menos preocupado com aqueles que trabalharam no duro, durante toda a vida. Valha-me São Brás de Alportel. ZP

  5. este individuo de nome carlos costa do banco de portugal não estará ele próprio em condições de ser convidado à pré- reforma? tal como os profs. também os governantes deviam fazer provas de avaliação… garanto-vos que o resultado era uma bronca!!!!!!!!

  6. Este idiota é que se poderia reformar porque não faz o que deveria fazer, melhor, deveria cometer “seppuku” que a maioria dos Portugueses agradecia (novos e menos nivos).

Tânia já pode abraçar os filhos. Livrou-se do coronaírus ao 16º teste após 4 meses isolada

A algarvia Tânia Poço foi, finalmente, dada como "curada" de covid-19 após quatro meses de confinamento. Aquele que terá sido o caso mais prolongado da infecção em Portugal, chegou ao fim com o 16º teste …

Exame de Matemática A criticado. Prova "infeliz" não permite "distinguir" alunos

A Sociedade Portuguesa de Matemática (SPM) criticou esta quinta-feira a elaboração do exame nacional de Matemática A, prova realizada por mais de 38.699 alunos que pretendem concorrer ao Ensino Superior. No entender da SPM, "o …

Ninguém quer o novo aeroporto do Montijo. Medina apela a "avanço" na decisão

Autarcas e ambientalistas foram ouvidos, esta quarta-feira, no Parlamento, onde se discutiu o projeto do novo Aeroporto do Montijo. A posição de ambos parece clara: ninguém quer avançar com a ideia. A construção do aeroporto …

Pandemia acelera nos Estados Unidos. Uso de máscara pode salvar 40 mil vidas

Os Estados Unidos ultrapassaram pela primeira vez a barreira dos 70 mil casos de covid-19, nas últimas 24 horas, elevando para mais de 3,49 milhões o total de contágios no país, indicou a Universidade Johns …

Presidente polaco falou ao telefone com Guterres sobre a comunidade LGBT e a 2.ª Guerra (mas não era Guterres)

O recém-eleito Presidente da Polónia, Andrzej Duda, julgava que estava a conversar por telefone com António Guterres, secretário-geral das Nações Unidas. Falou-se da pandemia, da comunidade LGBT e da II Guerra Mundial. Porém, do outro …

Itália pediu ajuda, Europa ficou em silêncio e o vírus cavalgou por todo o continente

A lenta resposta a um inimigo invisível, a falta de stock de equipamentos de proteção, um Ocidente a festejar o Ano Novo e uma Europa com as atenções centradas no Brexit. Um cocktail desastroso que …

Empresas vão poder pedir lay-off em meses interpolados. Trabalhadores recebem subsídio de Natal a 100%

O novo apoio de lay-off que vai substituir o atual regime de lay-off simplificado a partir de agosto vai poder ser pedido pelas empresas em "meses interpolados", podendo desistir do regime e retomá-lo mais tarde. De …

Rombo na economia deixa orçamento retificativo à vista

O ministro das Finanças, João Leão, admitiu alterar as projeções de crescimento económico para 2020 com um orçamento retificativo. Em causa está uma queda mais acentuada da economia. A pandemia obrigou a um orçamento suplementar, onde …

Ricardo Salgado suspeito de corromper altos quadros do BES em milhões de euros

O antigo banqueiro Ricardo Salgado é suspeito de ter usado duas empresas que funcionavam como um saco azul do Grupo Espírito Santo (GES) para corromper 12 pessoas, a maioria altos quadros do Banco Espírito Santo …

Costa navega à esquerda com PSD debaixo de olho. Arrancaram as negociações para o OE2021

António Costa afastou a ideia de bloco central e tem pela frente, esta semana, uma ronda de negociações sobre o próximo Orçamento do Estado com os partidos à esquerda. Esta quarta-feira, deu-se o pontapé de saída …