Carlos Costa defende pré-reforma para trabalhadores com baixa produtividade

Banco Central Europeu

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal

Carlos Costa, governador do Banco de Portugal

O governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, defendeu esta terça-feira em Lisboa a necessidade de encontrar mecanismos de pré-reforma para trabalhadores com “longas carreiras contributivas”, mas que não se adaptaram às novas condições de trabalho.

No seminário ‘A necessidade de um crescimento robusto para o pós-troika’, organizado pelo Fórum para a Competitividade e que decorreu em Lisboa, Carlos Costa defendeu mecanismos de passagem à reforma de trabalhadores com “longas carreiras contributivas” e com rendimentos e níveis de produtividade decrescentes.

“Seria necessário pensar em como encontrar formas adequadas de ‘pré-pensionamento’ destes trabalhadores que, por razões ligadas à sua formação, à sua longa história de trabalho e até por razões ligadas à própria inadequação às novas condições de trabalho, hoje frequentam sobretudo centros de saúde para obter licenças médicas e outros mecanismos de ausência temporária”, afirmou o governador.

Carlos Costa sugeriu este tipo de mecanismos ‘pré-pensionamento’ como uma possível resposta para o problema do desemprego estrutural em Portugal, cuja absorção “vai levar tempo”, já que não se resolve “pela simples inversão do ciclo económico”.

Durante a intervenção, o responsável do banco central disse ainda que o modelo institucional europeu existente “não é suficientemente integrado” e “não tem um centro de decisão que pense o todo”, o que cria “dois enviesamentos que sistematicamente atrasam a resposta europeia”: a inércia da resposta e o facto de os países com maior dimensão fazerem prevalecer a sua posição.

Carlos Costa disse ainda que é preciso “um centro de decisão capaz de antecipar os problemas e que minimize os custos de ajustamento”, acrescentando que o processo de integração europeia é um “inerente ao processo de desenvolvimento sustentado da economia portuguesa”.

/Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Eu nasci em 1954, trabalho desde 1964, comecei a descontar para a Seg. Social em 1966, em 2009 assinei um acordo de Pre-Reforma para a renovação de quadros e dar logar aos mais jovens. Terminados os 5 anos da Pre-Reforma estou no fundo de desemprego e só porque me antecipei e negociei com a a minha entidade patronal a extinção do posto de trabalho, senão estava sem receber dinheiro de lado nenhum.
    E vem o Senhor Carlos Costa dizer que esta situação é boa para o desenvolvimento da economia nacional! Como pode dizer isto sem se informar ???

  2. Joga antes com um baralho diferente. Faz batota com cartas viciadas e generaliza quando lhe convém. O que faz falta é investimento em formação. Quanto aos trabalhadores que estão frequentemente de baixa, há leis para lidar com isso.

  3. Esta conversa já é velha. Desde 2002, ou talvez antes, que as empresas vem fazendo rescisões amigáveis, extinção de postos de trabalho, pré reformas, alegando renovação dos quadros, por inadequação dos mais velhos ás novas tecnologias. A legislação existente facilita esta situação, indo as pessoas para o desemprego, para de seguida passarem á reforma antecipada. Porém, os mais velhos saem mas na maioria dos casos não são substituídos por novos.
    Esta situação não se aplica aos administradores e presidentes das empresas, pois mesmo de idade avançada, alguns bem acima dos 65, estão sempre aptos a desempenhas as suas funções. É o caso deste senhor, cuja atuação no caso BES e pelas palavras proferidas no forum aqui noticiado, demonstra bem as suas (in)capacidades para continuar em funções.

  4. Sabem porque razão as pessoas começavam a trabalhar aos 11 anos? Também não vou dizer!. Mas foram todos aqueles que começaram a trabalhar aos 11 anos, que mantiveram a segurança social até hoje, para que o senhor governador do banco de Portugal e outros, pudessem estudar com o dinheiro dos impostos desses contribuintes. O senhor governador devia estar mais atento ao perímetro das suas responsabilidades e menos preocupado com aqueles que trabalharam no duro, durante toda a vida. Valha-me São Brás de Alportel. ZP

  5. este individuo de nome carlos costa do banco de portugal não estará ele próprio em condições de ser convidado à pré- reforma? tal como os profs. também os governantes deviam fazer provas de avaliação… garanto-vos que o resultado era uma bronca!!!!!!!!

  6. Este idiota é que se poderia reformar porque não faz o que deveria fazer, melhor, deveria cometer “seppuku” que a maioria dos Portugueses agradecia (novos e menos nivos).

RESPONDER

Astrónomos detetam, claramente e pela primeira vez, um disco a formar satélites em torno de exoplaneta

Com o auxílio do ALMA, do qual o ESO é um parceiro, os astrónomos detetaram pela primeira vez de forma clara a presença de um disco em torno de um planeta fora do nosso Sistema …

E se a Terra parasse subitamente de girar?

O nosso planeta demora 23 horas e 56 minutos a completar uma volta em torno do seu eixo, movendo-se a cerca de 1.770 quilómetros por hora. Aprendemos estes pormenores sobre o planeta azul na escola, …

Sporting 2 - 1 Braga | Leão entra em 2021/22 a rugir

O Sporting parece querer manter a senda de sucesso da época passada e entrou em 2021/22 com o pé direito. Os “leões” bateram o Sporting de Braga por 2-1, num jogo que valeu, sobretudo, pela primeira …

Ensinar crianças a dizer palavrões? Uma cientista acha que é boa ideia

A auto-intitulada "cientista dos palavrões" acredita que ensinar as crianças a usá-los de forma eficiente ajuda os mais novos a perceber como este palavreado afecta outras pessoas. Já se sabia que dizer palavrões é um sinal …

Fósseis misteriosos podem ser uma das provas mais antigas de vida animal na Terra

Elizabeth Turner, cientista numa universidade do Canadá, poderá ter encontrado a prova mais antiga de vida animal na Terra. Uma cientista encontrou possíveis sinais de vida animal multicelular em restos de recifes microbianos de há 890 …

E se o mundo entrasse em colapso? Cientistas descobrem qual o país onde há maior probabilidade de sobreviver

Caso a civilização entre em colapso - uma possível consequência das alterações climáticas - os cientistas já descobriram qual o lugar do mundo onde há maior probabilidade de sobreviver: é na Nova Zelândia. Numa pesquisa, dois …

"Dança quem está na roda", responde Marcelo sobre ausência de Bolsonaro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse este sábado que "dança quem está na roda" quando questionado pelos jornalistas sobre a ausência do homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro, da cerimónia de reinauguração do Museu …

Todos os anos, esta cidade italiana entrega sal ao Papa em mãos

O Sal de Cervia, também conhecido como "sal do Papa", é-lhe entregue todos os anos em mãos. A tradição sofreu algumas interrupções até ter sido recuperada pelo Bispo Mario Marini, que serviu no Pontificado de …

A colisão secreta entre navios soviéticos e britânicos podia ter tido um desfecho drástico

Colisão aconteceu durante um dos períodos mais quentes da Guerra Fria e foi camuflado pela marinha britânica, que tratou de fazer regressar a sua embarcação à base de Devonport durante a noite para evitar dar …

Esta garrafa de tequila demorou seis anos para ser desenvolvida (e contém ouro)

A Clase Azul Spirits é uma empresa que comercializa tequila e está a preparar uma edição limitada para homenagear o legado artesanal do México - de onde a bebida é originária. A 2 de agosto, a …