Eduardo Cabrita foi “um verdadeiro incendiário”

Carlos Barroso / Lusa

Luís Marques Mendes

O comentador político criticou o primeiro-ministro por “sacudir a água do capote”, apontou o dedo a Eduardo Cabrita, por ser “um verdadeiro incendiário” e acusou o Governo de arrogância e autoritarismo.

Para Luís Marques Mendes, o ministro da Administração Interna foi “um verdadeiro incendiário” na forma como geriu as polémicas dos incêndios nas últimas semanas.

No Jornal da Noite da SIC, no seu espaço habitual de comentário este domingo, Marques Mendes criticou a reação de Eduardo Cabrita às declarações do presidente da Câmara de Mação e às notícias sobre as golas inflamáveis distribuídas à população.

Ele foi um susto, um verdadeiro incendiário do princípio ao fim da semana. É uma semana horribilis para Eduardo Cabrita. Começou por atirar forte e feio ao Presidente da Câmara Mação – coitado do desgraçado daquele presidente da Câmara, que não esteve até a fazer críticas a ninguém, apenas a desabafar em público, porque constatou a falta de meios”, atirou o comentador político.

Em relação aos kits de autoproteção distribuídos pela Proteção Civil, Luís Marques Mendes afirmou que o ministro voltou a falhar, numa situação em que devia apenas ter feito “o óbvio”: reconhecer que podia haver um problema e mandar abrir um inquérito de imediato.

Em vez disso, “o que fez foi acusar a comunicação social de ser alarmista” porque “os kits eram magníficos”. Depois “deu o dito pelo não dito em 24 horas” e “afinal é preciso fazer um inquérito”, disse Marques Mendes, citado pelo Observador.

Se Eduardo Cabrita mostrou desorientação e arrogância, Marques Mendes considera, porém, que não foi o único. As críticas são estendidas ao primeiro-ministro António Costa e ao Governo, que também não conseguiram “mudanças concretas que se vejam” depois das tragédias de há dois anos.

“Acho que estão nervosos e desorientados”, explicou Marques Mendes, dizendo de forma irónica que o Executivo tem demonstrado coerência na forma como gere politicamente a questão dos incêndios no país.

“O Governo, em matéria de gestão política dos incêndios, tem sido um desastre. Mas manda a verdade que se diga que, no plano do desastre, é coerente. Porque foi um desastre em 2017, com descoordenação e muita incompetência. Foi desastre também no ano passado, no incêndio de Monchique – o Governo dizia que estava tudo bem quando foi um incêndio devastador, uma insensibilidade enorme. E esta semana foi o desastre total. A atuação do Governo em geral e do ministro da Administração Interna em particular foi uma coisa completamente desastrosa”, rematou o comentador.

António Costa, que “nunca tem culpa”, também mereceu críticas direcionadas por Marques Mendes, por tentar “sacudir a água do capote”, apontando o dedo aos autarcas. “Ultimamente é um padrão do Governo reagir com arrogância e autoritarismo.”

Nestas questões, Luís Marques Mendes vai ainda mais longe: “à medida que o PS sobe nas sondagens e se aproxima da maioria absoluta, torna-se mais arrogante, mais insensível e mais autoritário”.

Por último, em relação às golas inflamáveis, Marques Mendes criticou o presidente da Proteção Civil e afirmou que a distribuição destas golas “é uma trapalhada grave”.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Pois foi !!!!!………………..mas Políticos “pirómanos”, não é o que falta, nesta baixa classe de Políticos profissionais de uma ponta a outra do hemiciclo !…quanto ao Sr. L.M.M só é mais um !

RESPONDER

Novo estudo associa o burnout a uma consequência fatal

Uma nova investigação associa o burnout a um aumento de até 20% no risco de desenvolver fibrilhação auricular, a arritmia crónica mais frequente. O burnout é uma perturbação psicológica causada pelo stress excessivo devido a uma …

Pinto da Costa diz ter total confiança em Sérgio Conceição

O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, garantiu que tem "total confiança nos jogadores e no treinador", Sérgio Conceição, que no sábado colocou o lugar à disposição, de acordo com a newsletter oficial dos …

Isabel dos Santos utilizou três identidades para entrar e sair de Portugal

A empresária angola Isabel dos Santos utilizou três documentos de identificação distintos durante as últimas viagens que fez entre Portugal e o Reino Unido. "Izabel Dosovna Kukanova", "Isabel José dos Santos" e "Santos Isabel" foram as …

Voar nunca foi tão seguro, garante a Estatística

Voar em companhias áreas comerciais nunca foi tão seguro, garante um estudo levado a cabo por um professor do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) que monitoriza o número de mortes de passageiros de todo o …

Coronavírus já provocou 56 mortes. China começa a desenvolver vacina

China começou a desenvolver uma vacina contra o novo coronavírus, que já provocou a morte a 56 pessoas e infetou 1.975 pessoas no país, informa este domingo o jornal oficial do Partido Comunista Chinês (PCC). De …

Portugueses vencem "Óscares" de animação em Los Angeles

O filme “Tio Tomás, A Contabilidade dos Dias” da realizadora portuguesa Regina Pessoa, venceu este domingo o prémio de Melhor Curta Metragem e Sérgio Martins venceu a Melhor Direção de Animação em Longa Metragem, pelo …

Juiz Neto de Moura muda nome com que assina acórdãos

O juiz Neto de Moura, envolvido em algumas decisões polémicas sobre violência doméstica, alterou o nome com que assina os acórdãos, avança o Jornal de Notícias na sua edição impressa deste domingo. De acordo com …

Violenta tempestade faz pelo menos 30 mortos em Minas Gerais

A violenta tempestade que desde quinta-feira assola o estado de Minas Gerais, sudeste do Brasil, já provocou pelo menos 30 mortos e 17 desaparecidos, anunciou este domingo a Proteção Civil. De acordo com o novo balanço, …

Descobertas quatro novas espécies de tubarões que caminham

Foram descobertas quatro novas espécies de tubarões que caminham usando as suas barbatanas. Ao todo são já conhecidas nove espécies deste tipo de tubarões. Investigadores encontraram tubarões que caminham nas águas do norte da Austrália e …

Caso suspeito de infeção por coronavírus em Portugal deu negativo

A Direção-Geral da Saúde (DGS) informou este domingo que o primeiro caso suspeita de coronavírus em Portugal, com um paciente sob observação no Hospital de Curry Cabral, em Lisboa, deu negativo após  análises. "A Direção-Geral da …