Bolsonaro derrotado no Supremo. Estados autorizados a decidir isolamento

Joedson Alves / EPA

O Supremo Tribunal Federal (STF) brasileiro decidiu esta quarta-feira que estados e municípios podem adotar medidas que considerem necessárias para combater o novo coronavírus, como isolamento social e encerramento de comércios, impondo uma derrota ao Presidente do país.

Na sessão de quarta-feira, a primeira feita por videoconferência pelo STF, os juízes apresentaram os seus votos virtualmente.

A maioria do plenário entendeu que governadores e prefeitos têm também legitimidade para definir quais são as chamadas atividades essenciais, ou seja, aquelas que não ficam paralisadas durante a pandemia. Anteriormente, apenas um decreto do Presidente do país, Jair Bolsonaro, poderia fazer a definição de serviços essenciais.

A decisão é uma derrota para Bolsonaro, um forte crítico da adoção do isolamento social como medida preventiva da pandemia de Covid-19, e que vem censurando vários governadores que decretaram esse tipo de ações, principalmente o de São Paulo, João Doria, e o do Rio de Janeiro, Wilson Witzel.

No início do mês, Bolsonaro chegou mesmo a garantir que tinha pronto um decreto para reabrir atividades e comércios encerrados por governadores e autarcas.

Na decisão da maioria dos juízes do STF, os governos estaduais e municipais podem determinar temporariamente o isolamento, a quarentena, o encerramento de comércios e a restrição de circulação em portos, aeroportos e estradas.

Os magistrados concordaram ainda que Governo federal também pode tomar medidas para conter a pandemia, mas em casos de abrangência nacional, não tendo, por isso, poder para retirar a autonomia dos estados e municípios na gestão local.

No final de março, o juiz do Supremo Marco Aurélio Mello já tinha decidido nesse sentido, através de uma ordem judicial provisória, e cuja maioria do STF votou nesta quarta-feira pela sua manutenção.

Ação do PDT

O julgamento partiu de uma ação do Partido Democrático Trabalhista (PDT) contra uma medida provisória publicada por Bolsonaro com o objetivo de concentrar no Governo Federal o poder de decretar uma norma geral sobre o enfrentamento da pandemia.

“O Presidente da República dispõe de poderes para exonerar o seu ministro da Saúde, mas não dispõe de poder para eventualmente exercer uma política pública de caráter genocida. Isso é claro que o texto constitucional lhe veda, de maneira cabal. Se algum decreto viesse por acaso a flexibilizar, de modo a colocar em risco a saúde pública das pessoas, certamente isso precisaria ser contestado”, declarou o juiz do STF Gilmar Mendes, citado pelo jornal brasileiro Estadão.

Na abertura da sessão, o presidente do STF, Dias Toffoli, defendeu o isolamento social e prestou solidariedade aos familiares e amigos das vítimas mortais associadas ao novo coronavírus. “Aguardamos ansiosos o momento de voltarmos aos tempos de contacto e de convivência pessoal e de nos reunirmos presencialmente. Por ora, precisamos de seguir as recomendações de distanciamento social das autoridades sanitárias e de saúde”, advogou.

O Presidente brasileiro já chegou a pedir à população que volte ao trabalho e às ruas porque está preocupado com as consequências económicas da crise causada pela disseminação da pandemia, especialmente o desemprego.

Três mil casos em 24 horas

O Brasil ultrapassou esta quarta-feira a barreira dos três mil novos casos diários do novo coronavírus, registando o número recorde de 3.058 infetados e 204 mortos nas últimas 24 horas, informou esta quinta-feira o executivo.

O país sul-americano registou 204 mortes, o mesmo número contabilizado no dia anterior, e 3.058 novas pessoas infetadas, mais 1.226 do que na terça-feira (1.832).

Além do número recorde de novos casos num único dia, o país sul-americano registou um aumento de 13% nas vítimas mortais, de 1.532 para 1.736, enquanto o número de infetados cresceu 12%, de 25.262 para 28.320 casos confirmados.

A taxa de letalidade do novo coronavírus no país manteve-se em 6,1%. A SIC Notícias frisa que o novo coronavírus já fez vítimas mortais em todos os estados brasileiros.

São Paulo continua a ser o estado brasileiro com maior número de casos confirmados, registando 778 mortos e tendo ultrapassado hoje os 11 mil infetados, registando 11.043 casos de infeção. Seguem-se o Rio de Janeiro, com 265 vítimas mortais e 3.743 casos confirmados, e o Ceará, que teve, até ao momento, 116 óbitos e 2.157 casos de infeção.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. O Brasil não elegeu um Presidente, mas sim um Líder Iluminado Religioso altamente perigoso. Atitude, Expressão, Bon senso, Tiques Ditatoriais são razões suficientes para o afastamento do Poder !

      • 1º- …onde quer chegar com o seu comentário dificilmente compreensível ????…….2ª-…Os ditos motivos, são simples para quem tem dois dedos de testa, que é de evitar mais mortes ! …….Capito ?????

Elon Musk lança concurso para ver quem consegue bater um caracol

O multimilionário, através da sua empresa especializada em construção de túneis, lançou um concurso mundial para ver quem é capaz de bater um caracol. De acordo com o jornal Daily Mail, Elon Musk lançou um concurso …

Covid-19. Tóquio quer pagar até quatro mil euros a bares que fiquem fechados

As autoridades de Tóquio, no Japão, estão a ponderar pagar um subsídio, que pode chegar aos quatro mil euros, aos bares que se mantenham fechados para conter a propagação da covid-19 na cidade. De acordo com …

Médicos franceses detetaram primeiro caso de bebé infetado no útero

Médicos em França pensam ter identificado aquele que será o primeiro caso confirmado de um bebé infetado com covid-19 no útero materno. De acordo com o site Business Insider, a equipa médica conta que a …

17 anos depois, Estados Unidos voltam a aplicar a pena capital a nível federal

Os Estados Unidos procederam, esta terça-feira, à primeira execução federal de um prisioneiro no "corredor da morte" em 17 anos, através de uma injeção letal. Daniel Lewis Lee, 47 anos, natural de Yukon (Oklahoma), foi executado …

Com o pretexto de paz, "senhor da guerra" vai ganhando poder na República Centro-Africana

O "senhor da guerra" Ali Darassa foi pago pelo presidente da República Centro-Africana e já influenciou a demissão de um ministro numa tentativa de manter a paz no país. A República Centro-Africana é um país atormentado …

Ministério Público acusa 25 arguidos pela queda do BES

O Ministério Público deduziu acusação, esta terça-feira, contra 25 arguidos, 18 pessoas singulares e sete pessoas coletivas, no âmbito do processo sobre a queda do Universo Espírito Santo. "O Ministério Público do Departamento Central de Investigação …

Agora, até o Toyota Corolla é um crossover

O Toyota Corolla Cross é o mais recente SUV da marca japonesa. Apesar de a marca estar a reforçar a sua gama de SUV, Portugal terá de esperar mais um pouco. Na semana passada, a Toyota …

Da Escócia à Grécia, Kleon pedalou durante 48 dias para regressar a casa

Um jovem grego, "preso" na Escócia devido ao cancelamento dos voos por causa da pandemia de covid-19, decidiu pedalar durante 48 dias consecutivos para conseguir regressar a casa. De acordo com a CNN, Kleon Papadimitriou, de …

Após fugirem da Venezuela, milhares foram obrigados a regressar por causa da pandemia (mas não é assim tão fácil)

Desde 2016, quase cinco milhões de venezuelanos deixaram o país, fugindo da pobreza e dos serviços sociais e de saúde em colapso. Agora, a pandemia de covid-19 forçou-os a regressar à Venezuela - se o …

Costa defende na Hungria que Estado de direito não deve ser associado à recuperação

O primeiro-ministro defendeu, esta terça-feira, à saída de uma reunião com o seu homólogo húngaro que a questão do Estado de direito, embora "central" para Portugal, não deve ser relacionada com as negociações sobre o …