Ativista pró-democracia impedido de concorrer às eleições em Hong Kong

O ativista Joshua Wong, figura proeminente do movimento pró-democracia em Hong Kong, anunciou esta terça-feira que foi impedido de concorrer às próximas eleições locais, enquanto o território atravessa a pior crise política desde 1997.

O ativista foi o único candidato excluído das eleições para o conselho distrital, a 24 de novembro. “Condeno com veemência o facto de o Governo estar envolvido em filtragem e censura políticas, privando-me dos meus direitos”, afirmou Joshua Wong, de 22 anos, numa mensagem divulgada na rede social Facebook.

A nomeação do ativista a candidato eleitoral foi considerada inválida, de acordo com uma notificação da Comissão dos Assuntos Eleitorais, partilhada pelo próprio na mesma rede social. Sem nomear Joshua Wong, o Governo afirmou, em comunicado divulgado esta terça-feira no site oficial, que a decisão sobre todos os candidatos já estava tomada.

“O candidato não pode de forma alguma cumprir os requisitos das leis eleitorais relevantes, uma vez que advogar ou promover a ‘autodeterminação’ contraria o conteúdo da declaração exigida por lei a um candidato, a de respeitar a Lei Básica [mini constituição] e jurar lealdade” a Hong Kong, de acordo com um comunicado do executivo local.

Em 2014, Wong foi o principal rosto do movimento conhecido como “revolução dos guarda-chuvas”, movimento de desobediência civil que durou mais de dois meses e na qual se exigia o sufrágio universal na região administrativa especial chinesa.

No mês passado, quando anunciou que iria concorrer às eleições em novembro, Wong advertiu que qualquer tentativa de desqualificação apenas resultaria em mais apoio aos protestos pró-democracia. Também descreveu a votação como crucial para enviar uma mensagem a Pequim de que a população está mais determinada do que nunca para vencer a batalha por mais direitos.

“Há cinco anos dissemos que voltávamos e agora estamos de volta com uma determinação ainda mais forte”, disse o ativista que chegou a ser indicado para o prémio Nobel da Paz em 2018.

Líder do Governo adverte sobre risco de recessão

A líder de Hong Kong, Carrie Lam, advertiu esta terça-feira que o território está em risco de entrar em recessão económica, quase cinco meses após o início dos protestos antigovernamentais.

Os dados do terceiro trimestre vão ser divulgados no final desta semana e, a confirmar-se o esperado crescimento negativo, a economia da região administrativa especial chinesa vai entrar em recessão técnica, avisou Carrie Lam. A recessão técnica significa que o Produto Interno Bruto (PIB) desceu em dois trimestres consecutivos.

Jerome Favre / EPA

Os dados conhecidos até agora mostram que, durante os primeiros três meses do ano, a economia de Hong Kong cresceu 1,3%, enquanto no período de abril a junho contraiu 0,3%.

Hong Kong vive, desde o início de junho, a pior crise política desde a transferência de soberania do Reino Unido para a China, em 1997, com manifestações e ações violentas quase diárias contra o que os manifestantes consideram ser a erosão das liberdades no território.

Os protestos em Hong Kong, região administrativa especial chinesa, começaram em junho por causa da polémica lei da extradição, que permitiria extraditar suspeitos de crimes para território e países sem acordos prévios, como a China.

Entretanto, as emendas à legislação foram retiradas formalmente pelo Governo, mas os protestantes têm ainda outras quatro reivindicações: a libertação dos manifestantes detidos; que as ações dos protestos não sejam identificadas como motins; um inquérito independente à violência policial e a demissão da chefe de Governo, Carrie Lam, e consequente eleição por sufrágio universal para este cargo e para o Conselho Legislativo.

Num endurecimento da posição do Governo, Lam invocou uma lei de emergência da era colonial para criminalizar o uso de máscaras em manifestações, mas a decisão parece só ter aumentado ainda mais a violência dos protestos. Na semana passada, polícias dispararam pela primeira vez balas reais sobre manifestantes, ferindo dois adolescentes.

A transferência da soberania de Hong Kong para a República Popular da China, em 1997, decorreu sob o princípio “um país, dois sistemas”. Tal como acontece com Macau, foi acordado um período de 50 anos com elevado grau de autonomia, a nível executivo, legislativo e judicial, com o Governo central chinês a ser responsável pelas relações externas e defesa.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

        • Se eu gosto ou não da china é da sua conta ou responsabilidade? Por mim você até pode adorar os esgotos da sua localidade e eu com isso? Eu nada tenho a ver com as suas “parvoíces”, entendido ou necessita de um desenho?

        • Obrigado Alex, falou como um verdadeiro ditador, compreende-se o seu gosto pela China. Você pode escrever as parvoíces* que quiser, mas não admite quando lhe apontam contradições óbvias. Noto novamente a falta de contra-argumentação no seu discurso.

          *Pelos vistos não conhece a palavra, procure no dicionário, pois ela existe na língua Portuguesa.

    • Democracia no Ocidente? Desde quando? Os maiores assassinos estão no Ocidente, basta recordar os assassinos ianques que deitaram duas bombas atómicas em cima de civis quando a guerra já estava perdida pelos japoneses.

  1. Agora ser democrata é incendiar, violentar e partir tudo.

    Façam então o mesmo no ocidente que vão adorar o resultado.

RESPONDER

Arqueólogos descobrem suposta corte do primeiro imperador chinês

Uma equipa de arqueólogos acredita ter descoberto aquele que foi o palácio de Qin Shi Huang, fundador da dinastia Qin e o primeiro imperador da China. O edifício foi desenterrado na província de Xianxim, no …

Portugal perde com a França e diz adeus ao Mundial de andebol

A seleção portuguesa de andebol falhou o apuramento para os quartos de final do Mundial, no Egito, ao perder por 32-23 com a França, em encontro da terceira jornada do Grupo III da Ronda Principal. Portugal, …

Garcia de Orta com taxa de ocupação de 309%. Intensivos do Hospital da Luz no limite

O Hospital Garcia de ​​​​​​​Orta, em Almada, estava, este domingo, com uma taxa de ocupação de 309% relativamente ao que previa o plano de contingência. O Hospital da Luz, em Lisboa, continua a debater-se com …

Governo manda preparar aulas à distância. Há 700 escolas para filhos de trabalhadores de serviços essenciais

O Ministério da Educação já deu instruções aos estabelecimentos de ensino para começarem a preparar as aulas à distância. Enquanto isso, há cerca de 700 escolas de acolhimento disponíveis para receber os filhos de trabalhadores …

Cientistas perceberam finalmente como é que as borboletas voam

Há muito tempo que os cientistas se questionam como é que as borboletas voam. Isto porque, em comparação com outros animais, têm asas invulgarmente curtas, largas e grandes em relação ao tamanho do seu corpo. Mas …

Se as Legislativas fossem agora, PS ganhava com 35%. Chega em terceiro

Uma sondagem da Universidade Católica para a RTP, no dia das eleições Presidenciais, mostra que, se as Legislativas fossem agora, o PS ganharia com 35% das intenções de voto. Se as eleições Legislativas tivessem sido este domingo, …

Santana Lopes deixa Aliança, partido que fundou em 2018

O fundador e ex-presidente da Aliança, Pedro Santana Lopes, desfiliou-se do partido que fundou em 2018, justificando que “chegou o momento” de sair, anunciou aquela força política. “A Comissão Executiva do Aliança tomou conhecimento no domingo …

Ministro da Defesa infetado. Tem sintomas ligeiros

O Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, "testou positivo à covid-19", informou este domingo o Ministério da Defesa Nacional. É o oitavo membro do Governo a ficar infetado. João Gomes Cravinho está infetado com covid-19. …

Relógios inteligentes podem detetar indícios de covid-19 (antes de haver qualquer sintoma)

Os smartwatches, ou relógios inteligentes, e as pulseiras de fitness podem ser capazes de detetar uma infeção pelo vírus SARS-COV-2, antes de a doença começar a manifestar-se. Uma equipa de investigadores do Monte Sinai descobriu, recentemente, …

Os misteriosos relâmpagos azuis podem ser mais comuns do que pensávamos

Além de ser um dos fenómenos mais espetaculares, o relâmpago é também um dos mais misteriosos. Apesar de as tempestades não serem assim tão raras, os cientistas ainda não entendem completamente estas descargas elétricas geradas …