Arábia Saudita deu casas multimilionárias aos filhos de Khashoggi (e mesadas de 10 mil dólares)

Tolga Bozoglu / EPA

Os quatros filhos do jornalista Jamal Khashoggi, morto em outubro passado, receberam casas multimilionárias na Arábia Saudita e continuam a receber uma todos os meses uma “mesada” de “cinco dígitos” do reino. 

A notícia é avançada pelo The Washington Post, jornal para o qual Khashoggi escrevia regularmente. De acordo com o diário-norte americano, as casas e o dinheiro oferecidos pela Arábia Saudita são uma espécie de “compensação pela morte” do seu pai.

Voz crítica do Governo saudita, Khashoggi foi morto e desmembrado no consulado do reino em Istambul, na Turquia, por uma equipa de 15 agentes vindos de Riade.

Os pagamentos aos seus dois filhos e duas filhas “fazem parte de um esforço da Arábia Saudita para chegar a um acordo de longo prazo com os membros da família Khashoggi, visando em parte garantir que eles continuam a demonstrar contenção nas suas declarações públicas”, escreve o jornal.

As recompensas terão sido aprovadas no final do ano passado pelo o príncipe saudita Mohammed bin Salman, visando “corrigir um erro” e reconhecer que “uma grande injustiça” foi cometida, segundo adiantaram fontes ouvidas pelo Post.

Contudo, os pagamentos já feitos serão uma pequena parte de outros montantes que Riade pretende dar ao familiares do jornalista morto. De acordo com o jornal, as compensações podem ascender a “dezenas de milhões de dólares” quando terminar o julgamento contra os alegados responsáveis pela morte do jornalista.

O jornal escreve ainda que as autoridades sauditas teriam preparado um “acordo preliminar”, no qual os beneficiários teriam recebido casas no valor de até quatro milhões de dólares cada (mais de 3,5 milhões de euros), na cidade de portuária de Jidá. Em troca, os filhos do jornalista dariam a “garantia de manter a moderação nas declarações públicas”, evitando fazer críticas rigorosas a Riade.

Além das propriedades, os filhos de Khashoggi recebem 10 mil dólares (quase 9 mil euros) ou mais por mês, podendo ainda receber pagamentos muito superiores, na ordem das dezenas de milhões de dólares cada, refere o jornal.

Um funcionário público saudita disse ao jornal que estes benefícios concedidos aos filhos do jornalista não são uma tentativa de forçá-los a manterem a calma, fazendo antes parte de uma prática tradicional de apoio financeiro da Arábia Saudita às vítimas de crimes violentos ou desastres naturais. “É parte do costume e da cultura” do país.

O diário revela ainda que Salah, o filho mais velho, planeia continuar a viver na Arábia Saudita, enquanto os outros três, que moram nos Estados Unidos, deverão vender as casas. O Post tentou, sem sucesso, contactar os quatro filhos de Jamal Khashoggi.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Estes sauditas são mesmo loucos!…
    Primeiro matam o pai e depois dão milhões aos filhos/família para eles se “conterem”!!
    O dinheiro é que conta… não admira que o Trump seja tão amigo deles!…

  2. Aqui está uma boa maneira de procurar encobrir o mal que fizeram, mas para mais seguro mais valeria que dessem à sola de lá para fora pois amanhã poderá ser a vez deles caso o maioral acorde um dia mal disposto.

  3. Já o Sadam também fazia isso. Em reuniões com altas patentes custava-lhe pouco pegar na pistola e matar um qualquer que não lhe agradava e para mostrar a outros que lhes podia fazer o mesmo. Depois dava muitas recompensas às famílias.

  4. O dinheiro compra mesmo tudo! Pelos vistos os filhos não saem ao pai. Na Arábia Saudita não há pena de morte para quem mata?

RESPONDER

João Leão infetado com covid-19

João Leão, ministro das Finanças, testou positivo à covid-19. O governante encontra-se assintomático e em confinamento domiciliário. O ministro de Estado e das Finanças, João Leão, testou positivo à covid-19. A informação foi adiantada este sábado …

Ricardo Salgado quer anular multa de 75 mil euros

A defesa de Ricardo Salgado recorreu ao Supremo Tribunal de Justiça para tentar anular uma decisão do Tribunal da Relação de Lisboa que confirmou uma multa de 75 mil do Banco de Portugal por causa …

Portugueses começam a votar nas Presidenciais este domingo. Há 246 mil inscritos

Os portugueses começam a votar já neste domingo, uma semana antes das eleições Presidenciais de 24 de janeiro, no chamado voto antecipado em mobilidade para que se inscreveram mais de 246 mil eleitores. As europeias e …

Maduro ofereceu oxigénio ao Amazonas (quando há venezuelanos a morrerem por falta dele)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ofereceu oxigénio hospitalar ao Estado do Amazonas, no Brasil, para ajudar a combater a falta deste gás devido ao elevado número de casos de covid-19. Uma generosidade que está …

Pior dia da pandemia. Portugal regista 10.947 infetados e 166 mortos em 24 horas

O boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS) revela que, este sábado, Portugal atingiu dois recordes num só dia. Portugal voltou a registar um novo máximo este sábado, no dia dois do novo confinamento. Nas últimas …

Vírus duplica incidência em Espanha. Já provocou quase 2.500 mortos em 2021

Nos primeiros 15 dias de 2021, o número de infeções por covid-19 duplicaram em Espanha, com mais 300 mil novos contágios e 2.477 mortes, segundo números das autoridades sanitárias. Espanha começou o ano de 2021 com …

Apoio do Governo para pagar conta da luz em Janeiro não passa dos 2,40 euros por família

O apoio extraordinário que o Governo vai dar às famílias portuguesas para o pagamento da conta da luz, neste mês de Janeiro, devido ao confinamento e às temperaturas anormalmente baixas, é modesto. A verba máxima …

Crónica ZAP - Nota Artística por Nuno Miguel Teixeira

Nota artística: um clássico que valia 14 pontos

https://soundcloud.com/nuno-teixeira-264830877/fc-porto-1-1-benfica-o-musical-1 Chegámos.   Chegámos ao grande jogo do campeonato. Desta vez aparece no calendário só a meio de Janeiro, mas cá está ele. O grande jogo. "Ai não! Há Sporting, há Boavista, há Braga!". O Sporting e o …

Armin Laschet sucede a Angela Merkel na liderança da CDU

Este sábado, Armin Laschet foi eleito líder do partido alemão União Democrata-Cristã (CDU), depois de Angela Merkel ter abandonado o cargo, em setembro. Armin Laschet, chefe do governo da Renânia do Norte-Vestfália, é o novo líder …

"Não há vagas". Ambulâncias fazem fila à porta dos hospitais (até parece Itália em Março)

Os engarrafamentos de ambulâncias à entrada das urgências dos Hospitais de Torres Vedras e de Santa Maria, em Lisboa, ilustram a gravidade do que está a acontecer no Serviço Nacional de Saúde (SNS) com o …