Foram “apagados” ou “destruídos” documentos sobre incêndio de Pedrógão Grande

Paulo Cunha / Lusa

Uma série de erros da Proteção Civil culminou no “desaparecimento” de documentos – que foram apagados ou destruídos – sobre o incêndio de Pedrógão Grande, segundo uma auditoria da ANPC.

Uma auditoria da Autoridade Nacional de Proteção Civil ao desempenho dos seus agentes no incêndio de Pedrógão Grande revela que houve problemas de organização no combate ao fogo e documentos que foram “apagados” ou “destruídos”, segundo o Público.

O documento, pedido por Constança Urbano de Sousa, na altura ministra da Administração Interna, e recebido já pelo seu sucessor, Eduardo Cabrita, foi mantido “em silêncio” desde meados de novembro.

A auditoria foi realizada pela Direção Nacional de Auditoria e Fiscalização (DNAF) da Proteção Civil, anunciou em agosto a então ministra.

Nas conclusões, o relatório é duro no que toca à prestação dos agentes da ANPC, revelando “amadorismo”, falta de preparação e problemas de organização nas primeiras três horas de combate ao fogo, como falhas na comunicação, veículos de informação que tardaram em chegar, passagens de trabalho feitas informalmente e “ausência” de um dos comandantes de operações – Augusto Arnaut.

O documento revela também que os auditores tiveram dificuldade no apuramento de responsabilidades, uma vez que não conseguiram aceder a informação fundamental, como é exemplo os planos estratégicos de ataque, quadros de situação tática e todas as informações existentes em postos de comando.

De acordo com os autores da auditoria, “todos estes documentos tinham sido apagados dos quadros das VCOC e VPCC (viaturas de comunicação), ou destruídos os documentos em papel que os suportaram”.

Os comandantes da Proteção Civil justificaram-se argumentando que a situação ocorreu da falta de meios para trabalho num posto de comando, uma vez que os planos são desenhados e redesenhados conforme o evoluir da situação.

Para a DNAF, esta situação demonstra a necessidade de informatização deste tipo de documentação para que esta seja preservada. O relatório descreve ainda em que consistia o primeiro posto de comando: uma mesa, na qual estava um computador de um bombeiro “com o Google Earth aberto”, e quatro cadeiras.

“É falso que o Governo tenha escondido o relatório”

Num comunicado divulgado esta quarta-feira, o Governo negou ter escondido o relatório da auditoria interna à ação da Proteção Civil no incêndio de Pedrógão Grande.

O Ministério da Administração Interna explica que os documentos foram remetidos “ao Ministério Público a 20 de novembro”. Assim, o Ministério de Eduardo Cabrita justifica o “silêncio” à volta da auditoria com “segredo de justiça”.

O Público refere, no entanto, que este facto não explica o “tratamento diferencial” que este relatório teve em relação aos outros, também a serem avaliados pelo MP.

O jornal relembra que os relatórios da GNR, assim como da comissão técnica independente, foram revelados em agosto pelo Governo.

CF, ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Falta um Trump em Portugal para saber dizer a tanto incompetente em Portugal a começar no comandante dos bombeiros Marta Soares “youre fired”

  2. Só neste país, tantos mortos e ninguém da Proteção Civil acusada de homicídio. Se alguém tinha dúvidas, está acção de destruição de provas são o confessar do crime cometido. Eu estava lá… Nem um bombeiro vi ou veio me ajudar a combater o fogo.

Encontradas fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico

Investigadores encontraram fibras de poliéster em todo o Oceano Ártico. As evidências sugerem que lavar as nossas roupas está a contribuir para esta contaminação. Há muito tempo que o Ártico provou ser um barómetro da saúde …

Campus universitários nos Estados Unidos podem tornar-se super-propagadores da covid-19

Os campus universitários podem tornar-se super-propagadores do novo coronavírus, que causa a covid-19, para toda a sua área de abrangência, concluiu uma nova investigação levada a cabo nos Estados Unidos. Analisando os 30 campus universitários …

A "máscara mais inteligente do mundo" é recarregável, tem microfone e dá luz

A Razer afirma ter criado a máscara mais inteligente do mundo. O Projeto Hazel é um design com um revestimento externo feito de plástico reciclado à prova de água e é transparente para permitir a …

Novo tratamento permite que pessoas com lesões na espinal medula voltem a mexer mãos e braços

Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington conseguiu ajudar seis participantes com lesões traumáticas da espinal medual a recuperar alguma mobilidade de mãos e braços. Muitas das pessoas que sofrem lesões traumáticas da espinal medula …

Ventiladores comprados à China custaram 1,3 milhões. Autarquias algarvias vão pedir devolução do dinheiro

Os 30 ventiladores comprados à China seriam usados nos hospitais do Algarve, mas os equipamentos não funcionam. Os autarcas vão agora exigir devolução do dinheiro. De acordo com a edição do jornal Público deste domingo, o …

EUA um passo atrás da China. Pequim leva avanço na Guerra Comercial (e as suas exportações estão em alta)

No ano em que a pandemia se expandiu em todo o mundo, muitos países viram-se em mãos com graves problemas financeiros e económicos. No caso da China, a situação foi mais positiva e o país …

Alexei Navalny detido no regresso à Rússia

O líder da oposição russa, Alexei Navalny, foi detido este domingo no aeroporto em Moscovo quando regressava à Rússia. Os serviços prisionais russos (FSIN) detiveram o opositor russo Alexei Navalny, este domingo, à chegada a Moscovo, acusando-o …

Prazo para trocas ou devoluções suspenso durante confinamento

O prazo para efetuar trocas ou devoluções de bens ficará suspenso durante o atual confinamento e as garantias que terminem neste período ou nos 10 dias seguintes serão prorrogadas por 30 dias, segundo diploma publicado …

Desde 2001 que polícias negros alertam para racismo de agentes do Capitólio

Com a invasão do Capitólio, investiga-se o alegado racismo existente na Polícia do Capitólio. Desde 2001 que agentes negros denunciam casos de discriminação racial no departamento. Desde 2001, centenas de agentes policiais negros processaram o departamento …

Um megatsunami devastou uma vila na Gronelândia. Três anos depois, há quem não possa voltar a casa

Em junho de 2017, Nuugaatsiaq, na Gronelândia, foi devastada por um megatsunami, cujas ondas foram desencadeadas por um enorme deslizamento de quase 30 quilómetros através do fiorde. Embora as ondas se tivessem dissipado quando chegaram a …