Alemão que tinha as obras quer de volta o tesouro nazi confiscado

gurlitt.info

Cornelius Gurlitt

Cornelius Gurlitt

O octogenário alemão Cornelius Gurlitt, em cuja casa foram encontradas mais de 1.400 obras, algumas eventualmente retiradas a judeus durante o regime nazi, decidiu apresentar hoje uma queixa contra o confisco da sua coleção.

Há cerca de dois anos, a justiça alemã apreendeu os quadros pertencentes a este filho de um negociante de arte com um passado turbulento durante o regime do III Reich, no âmbito de um processo por fraude fiscal.

De início, e ultrapassado pelos acontecimentos, este idoso solitário que vive num apartamento em Munique rodeado de telas de mestres como Chagall ou Matisse, não reagiu.

Após a descoberta do seu “tesouro”, amplamente divulgada pelos ‘media’, Cornelius Gurlitt permaneceu na defensiva, até ao início desta semana.

Na segunda-feira, este homem de cabelos brancos, que prefere escrever uma carta a telefonar, colocou online, através dos seus advogados e do seu porta-voz, um site com informação no endereço.

“Apenas pretendo viver com os meus quadros, em paz e em tranquilidade”, escreve na apresentação do portal, que pretende divulgar os seus argumentos.

“Na Alemanha existem muitas coleções públicas e privadas, nas quais a proporção de arte suscetível de ter sido roubada pelos nazis é muito mais elevada que na coleção Gurlitt. Ora, para estes colecionadores e para os diretores dos museus em causa, não existem de momento sanções”, afirmou um dos seus defensores, Hannes Hartung, ao anunciar o novo sítio na rede.

O caso Gurlitt relançou o debate sobre a restituição de obras retiradas aos judeus durante o III Reich, apesar de a Alemanha ter assinado em dezembro de 1998 a “declaração de Washington” pela qual 44 estados se comprometeram a detetar e restituir as obras de artes que foram apropriadas pelo regime nazi.

Berlim já prometeu novas medidas e na sexta-feira o estado regional da Baviera apresentou na câmara alta do parlamento alemão um projeto-lei destinado a facilitar as restituições.

De acordo com a AFP, e na sequência das últimas investigações de um grupo de peritos encarregue de detetar a origem da coleção Gurlitt, não está excluída a hipótese de as 458 obras terem sido roubadas ou retiradas a judeus.

Perto de 380 outras obras de arte foram confiscadas de museus alemães na década de 1930 por serem incluídas na categoria de “arte degenerada”, como eram então designadas pelos nazis.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

E se a vacina contra a covid-19 se chamasse Trumpcine? O "sir" sugeriu e Donald Trump gostou

No fim de semana passado, durante um encontro do Comité Nacional Republicano, o ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que alguém sugeriu que as vacinas disponíveis contra a covid-19 deveriam receber o seu nome. …

O custo da paz mundial é bastante inferior ao custo da guerra

Um recente relatório do Instituto de Economia e Paz (IEP) conclui que o custo dos países com a violência é bem superior ao custo com a paz mundial. O Instituto de Economia e Paz estima que, …

Malta vai pagar aos turistas que visitarem a ilha durante o verão

Numa altura em que pandemia não tem dado tréguas ao setor do turismo, Malta anunciou um conjunto de medidas com o objetivo de encorajar os viajantes a visitarem o país e a ficarem hospedados nos …

Pentágono confirma que filmagens de OVNI em forma de pirâmide são autênticas

Uma nova série de imagens e vídeos de OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados) filmados pela Marinha dos Estados Unidos foi agora confirmada como autêntica pelo Pentágono. Enquanto muitas pessoas geralmente se referem a avistamentos misteriosos …

Irão vai aumentar produção de urânio enriquecido em resposta ao “terrorismo nuclear” de Israel

O Irão justificou esta quarta-feira a decisão de enriquecer urânio a 60% como resposta ao “terrorismo nuclear” e à “maldade” israelita, referindo-se ao alegado ataque contra a central de Natanz, no domingo. “A decisão de enriquecer …

Possibilidade de ser reinfetado baixa 84% para quem já teve covid-19

Um novo estudo indica que a infeção prévia por SARS-CoV-2 protege a maioria dos indivíduos contra a reinfecção durante uma média de sete meses As probabilidades de reinfeção não descem até zero, mas um novo estudo, …

Bolsonaro diz que confinamentos transformaram o Brasil num "barril de pólvora"

Jair Bolsonaro, presidente do Brasil, alertou esta quarta-feira que o país se tornou "um barril de pólvora" devido às medidas restritivas adotadas por governadores e prefeitos para tentar conter a disseminação da covid-19. "O Brasil está …

Valentina poderia ter sobrevivido se socorrida, afirma médico legista

O médico responsável pela autópsia de Valentina, a criança de nove anos que morreu após graves agressões, admitiu hoje ao Tribunal de Leiria que a menina poderia ter sobrevivido, "com sequelas", se tivesse sido socorrida. A …

Marcelo admite confinamentos locais, fala em "reta final" e aponta à "recuperação social"

O Presidente da República afirmou esperar que o estado de emergência esteja a caminhar para o fim, sem dar como certo que esta seja a sua última renovação, e admitiu confinamentos locais para conter a …

Caso Marquês: Distribuição do processo investigado. Recursos só chegam ao Tribunal da Relação em 2022

O Conselho Superior da Magistratura (CSM) vai averiguar se há novos elementos que justifiquem uma alteração do seu entendimento de que não houve irregularidades na distribuição, na fase de investigação da Operação Marquês, ao juiz …