Alemão que tinha as obras quer de volta o tesouro nazi confiscado

gurlitt.info

Cornelius Gurlitt

Cornelius Gurlitt

O octogenário alemão Cornelius Gurlitt, em cuja casa foram encontradas mais de 1.400 obras, algumas eventualmente retiradas a judeus durante o regime nazi, decidiu apresentar hoje uma queixa contra o confisco da sua coleção.

Há cerca de dois anos, a justiça alemã apreendeu os quadros pertencentes a este filho de um negociante de arte com um passado turbulento durante o regime do III Reich, no âmbito de um processo por fraude fiscal.

De início, e ultrapassado pelos acontecimentos, este idoso solitário que vive num apartamento em Munique rodeado de telas de mestres como Chagall ou Matisse, não reagiu.

Após a descoberta do seu “tesouro”, amplamente divulgada pelos ‘media’, Cornelius Gurlitt permaneceu na defensiva, até ao início desta semana.

Na segunda-feira, este homem de cabelos brancos, que prefere escrever uma carta a telefonar, colocou online, através dos seus advogados e do seu porta-voz, um site com informação no endereço.

“Apenas pretendo viver com os meus quadros, em paz e em tranquilidade”, escreve na apresentação do portal, que pretende divulgar os seus argumentos.

“Na Alemanha existem muitas coleções públicas e privadas, nas quais a proporção de arte suscetível de ter sido roubada pelos nazis é muito mais elevada que na coleção Gurlitt. Ora, para estes colecionadores e para os diretores dos museus em causa, não existem de momento sanções”, afirmou um dos seus defensores, Hannes Hartung, ao anunciar o novo sítio na rede.

O caso Gurlitt relançou o debate sobre a restituição de obras retiradas aos judeus durante o III Reich, apesar de a Alemanha ter assinado em dezembro de 1998 a “declaração de Washington” pela qual 44 estados se comprometeram a detetar e restituir as obras de artes que foram apropriadas pelo regime nazi.

Berlim já prometeu novas medidas e na sexta-feira o estado regional da Baviera apresentou na câmara alta do parlamento alemão um projeto-lei destinado a facilitar as restituições.

De acordo com a AFP, e na sequência das últimas investigações de um grupo de peritos encarregue de detetar a origem da coleção Gurlitt, não está excluída a hipótese de as 458 obras terem sido roubadas ou retiradas a judeus.

Perto de 380 outras obras de arte foram confiscadas de museus alemães na década de 1930 por serem incluídas na categoria de “arte degenerada”, como eram então designadas pelos nazis.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Está a nascer o primeiro comboio português a hidrogénio (e vai substituir o Vouguinha)

Já arrancou o projecto para o desenvolvimento do primeiro comboio português a hidrogénio. A iniciativa visa transformar as automotoras a gasóleo que circulam na Linha do Vouga - o comboio chamado Vouguinha - por células …

Guardiola diz que Bernardo Silva "sempre foi importante" para City

O treinador Pep Guardiola disse esta sexta-feira que o português Bernardo Silva “está de volta” ao melhor nível e que “sempre foi importante" para o Manchester City, depois de ter "sentido" dificuldades na temporada passada. “Ele …

Fauci fala de "sentimento libertador" após saída de Trump da Casa Branca

O infeciologista Anthony Fauci, o principal rosto da Casa Branca no combate à pandemia de covid-19, admitiu um sentimento "libertador" após a saída da administração de Donald Trump e afirmou que poderá agora falar sobre …

Parlamento Europeu pede lei que reconheça como "fundamental" direito a desligar

O Parlamento Europeu (PE) pediu na quinta-feira à Comissão Europeia que proponha uma lei que reconheça o "direito a desligar" como sendo "fundamental", permitindo assim que "quem trabalhe por meios digitais desligue os aparelhos fora …

Portugal entra na lista da Alemanha de países de "alta incidência"

A Alemanha incluiu Portugal no grupo de mais de 20 países e territórios considerados de “alta incidência” da pandemia de covid-19. Neste grupo, além de Portugal, estão Albânia, Andorra, Bolívia, Bósnia, Egito, Espanha, Emirados Árabes Unidos, …

Hungria compra vacina russa apesar de não estar autorizada na UE

O Governo húngaro anunciou esta sexta-feira que chegou a acordo para comprar "grandes quantidades" da vacina russa contra a covid-19 Sputnik V, embora esta ainda não tenha sido autorizada pelas autoridades de saúde europeias. O ministro …

Governo prepara apoio extraordinário para o desporto devido à covid-19

O Governo está a preparar um fundo de apoio extraordinário para ajudar o desporto a ultrapassar a crise provocada pela pandemia de Covid-19, revelou o secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo …

Líderes europeus defendem que fronteiras devem continuar abertas

Os chefes dos 27 Estados-membros da União Europeia (UE) reuniram-se em videoconferência, na quinta-feira, na qual concordaram que as fronteiras não devem ser fechadas, devendo evitar-se medidas que possam comprometer o mercado único e o …

Twitter bloqueia conta de embaixada da China nos EUA por "desumanizar" uigures

A rede social Twitter bloqueou a conta da embaixada da China em Washington após uma mensagem ter referido que as mulheres uigures em Xinjiang se emanciparam e deixaram de ser “máquinas de fazer bebés”. Uma das …

Fecho das escolas. Apoio aos pais calculado com base no salário de dezembro

O apoio aos pais de crianças menores de 12 anos que tiverem de ficar em casa devido ao fecho das escolas será baseado na remuneração de dezembro, segundo o decreto-lei publicado esta sexta-feira em Diário …