Autoridades alemãs chegam a acordo com detentor do “tesouro nazista de Munique”

muddyclay / Flickr

-

As autoridades alemãs anunciaram esta segunda-feira ter chegado a um acordo com Cornelius Gurlitt, em cujo apartamento em Munique foram encontradas mais de 1.400 obras de arte possivelmente retiradas a judeus durante o regime nazi.

Mais de dois anos após a descoberta da coleção privada, que chocou a opinião pública, os governos federal e do estado da Baviera chegaram a acordo com o alemão de 81 anos, que herdou as obras de arte do pai, Hildebrand Gurlitt, um negociador de arte bem relacionado com o regime nazi que as terá adquirido nos anos 1930 e 1940.

O acordo possibilitará acelerar a investigação sobre os legítimos proprietários das obras de arte, concedendo o prazo de um ano para que se investigue a origem da vasta coleção de pintura, que inclui obras de Picasso, Matisse e Chagall, muitas das quais se pensa terem sido saqueadas a judeus durante o regime nazi.

“Os trabalhos cuja origem não seja possível determinar pela equipa de investigação, ao longo de um ano, serão devolvidos a Cornelius Gurlitt”, explicitam as duas partes, num comunicado conjunto.

Cornelius Gurlitt poderá indicar um perito para a equipa de investigação, para assegurar que os seus interesses estarão representados, e os custos da operação serão suportados pelo Estado alemão.

“O mundo inteiro estava à espera de ver como responderíamos a isto e este acordo é uma boa resposta”, afirmou o ministro da Justiça da Baviera, Winfried Bausback.

A ministra da Cultura do Governo federal alemão, Monika Gruetters, também se mostrou satisfeita com o acordo, por “estabelecer as bases para legítimas e justas” reivindicações de propriedade.

Caso Gurlitt e outros tesouros

As mais de duas centenas de pinturas, desenhos e esculturas, da autoria de Monet, Manet, Cezanne e Gauguin, descobertos numa outra casa de Gurlitt, em Salzburgo, Áustria, ficam fora deste acordo, por se ter concluído, após uma primeira inspeção, que não foram roubadas ou compradas abaixo do preço, por pressão sob os proprietários judeus pelos nazis.

O tesouro privado de Cornelius Gurlitt foi descoberto em fevereiro de 2012, mas só foi revelado em novembro de 2013, o que suscitou críticas às autoridades alemãs, que chegaram às obras de arte no âmbito de um processo por fraude fiscal.

O caso Gurlitt relançou o debate sobre a restituição de obras retiradas aos judeus durante o III Reich. A Alemanha assinou a Declaração de Washington, em dezembro de 1998, na qual 44 países se comprometeram a detetar e restituir as obras de artes que foram apropriadas pelo regime nazi.

Perto de 380 obras de arte foram confiscadas de museus alemães na década de 1930.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

    • Caro GrammarGestapo (ou GrammatikGestapo, se preferir)
      Por estranho que nos soe, o termo “nazista” é um sinónimo de “nazi”.
      Assim o diz o Priberan:
      http://www.priberam.pt/dlpo/nazi
      Assim o diz também a Infopédia, dicionário online da Porto Editora, na sua versão sem acordo ortográfico:
      http://www.infopedia.pt/lingua-portuguesa-aao/nazista
      Normalmente, o ZAP escreve “nazi”. Quando uma notícia é escolhida para envio na newsletter diária, optamos pela forma “nazista” na newsletter e “nazi” no site, apenas porque nos soa melhor. Hoje, por lapso, ficou “nazista” em ambos os formatos. Não vemos necessidade de corrigir, porque não está errado, mas obrigado pelo seu reparo.

RESPONDER

Montezemolo revelou o sonho que Ayrton Senna não cumpriu

O antigo presidente da equipa da Ferrari, Luca di Montezemolo, revelou que o seu maior arrependimento foi não ter conseguido levar Ayrto Senna para a equipa. Em 1994, Ayrton Senna morreu de forma trágica quando perdeu o …

Friends: atores já terminaram as gravações do episódio especial

Ainda antes de os talk shows serem suspensos devido à COVID-19, Matt LeBlanc foi um dos convidados do The Kelly Clarkson Show, onde confirmou que as gravações do episódio especial de FRIENDS estavam concluídas. O programa …

YouTube remove vídeos que vinculam falsamente a Covid-19 ao 5G

A onda de teorias falsas que ligam a pandemia da COVID-19 ao 5G levou a uma série de incidentes, incluindo ameaças a engenheiros. Agora, o YouTube está a reprimir essa desinformação. O YouTube informou que removerá …

Engenheiros construiram um ventilador caseiro. Pode servir como "último recurso"

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Vanderbilt, nos Estados Unidos, construiu um ventilador caseiro que pode ser usado como último recurso. A pandemia de covid-19 continua a desafiar as comunidades médicas e uma das ameaças …

Sepultura de genocídio encontrada no Ruanda pode conter 30 mil corpos

No Ruanda, foi encontrada uma sepultura que pode conter 30 mil vítimas do genocídio no país em 1994. Cerca de 800 mil tutsis e hutus moderados foram assassinados. Mais de 25 anos depois de um genocídio …

Belenenses SAD entra parcialmente em lay-off

"A indústria do futebol está entre as mais atingidas pelos efeitos da pandemia", que provocou a suspensão de praticamente todas as provas futebolísticas, destaca o Belenenses SAD. O Belenenses SAD, da I Liga de futebol, entrou …

Dois milhões de máscaras furtadas em Espanha podem ter sido vendidas em Portugal

O equipamento médico e sanitário furtado está avaliado em cinco milhões de euros e terá sido adquirido por uma empresa portuguesa que conhecia a proveniência do material. Um empresário de Santiago de Compostela foi detido por, …

Facebook terá tentado comprar um software de espionagem em 2017

O Facebook tem estado envolvido em vários escândalos e o mais recente está relacionado com a alegada compra da ferramenta Pegasus, usada para hackear iPhones. A empresa de segurança informática NSO Group, responsável pela Pegasus, alega …

Primeiro-ministro espanhol diz que coronavírus desafia o futuro da UE. E fá-lo em sete idiomas

O primeiro-ministro espanhol Pedro Sánchez publicou no domingo um artigo em sete idiomas europeus, argumentando que o coronavírus pode ser a ruína da União europeia (UE) caso não sejam tomadas medidas mais drásticas para lidar …

Viseiras de Leiria despertam cobiça. Bélgica e EUA queriam comprar toda a produção

Várias empresas de moldes e plásticos da região de Leiria estão a fabricar viseiras de protecção contra a Covid-19. Uma adaptação em tempos de pandemia que está a levantar atenção no estrangeiro, com EUA e …