“Acreditamos no projeto para o Porto”. CDS reitera apoio a eventual recandidatura de Rui Moreira

O presidente do CDS-PP, Francisco Rodrigues dos Santos, reiterou esta quarta-feira que o partido vai apoiar o independente Rui Moreira, caso o autarca do Porto se decida recandidatar nas eleições autárquicas de 2021.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“Nós já o reiteramos através das nossas estruturas locais, através da concelhia do Porto, que estamos como sempre estivemos ao lado de Rui Moreira. No caso de tomar a decisão da sua recandidatura, estaremos uma vez mais disponíveis para o apoiar e pela terceira vez ganharmos as eleições para a Câmara do Porto”, afirmou, quando questionado, no Porto, sobre se seria a favor de uma “grande coligação de direita” de apoio à recandidatura de Rui Moreira.

O líder centrista, que falava aos jornalistas no final de uma reunião com empresários do setor da restauração, bares e eventos, salientou que os outros partidos terão “naturalmente” que fazer a sua avaliação e reponderar a estratégia política, mas a posição do CDS será a mesma.

“Não temos dúvidas onde sempre estivemos e onde devemos estar porque acreditamos no projeto para o Porto, uma cidade cosmopolita, desenvolvida do ponto de vista social, económico e cultural. Um programa que já tem provas dadas, com o CDS sempre realizado e confortado do ponto de vista político”, disse.

No final da reunião, Francisco Rodrigues dos Santos indicou ainda ser expectável que o acordo programático entre CDS e PSD com vista à celebração de acordos pré-eleitorais, atualmente em construção, esteja concluído nas “próximas semanas”.

“Depois é passada a palavra às nossas estruturas de base, às concelhias e às distritais, onde serão negociadas as coligações caso a caso, mediante a realidade e o contexto de cada município”, rematou.

A recandidatura de Rui Moreira tem estado no centro da polémica, depois de o semanário Expresso ter noticiado que o vice-presidente do PSD, Salvador Malheiro, se encontrou na quinta-feira com Rui Moreira para lhe propor uma coligação nas eleições autárquicas, investida essa que terá sido recusada pelo presidente da Câmara do Porto.

Segundo uma fonte do partido liderado por Rui Rio, citada pelo semanário Expresso, o objetivo do encontro foi propor que Rui Moreira fosse a votos numa coligação de centro direita, formada pelo PSD, CDS e o Movimento Independente.

Mais tarde, em declarações ao Expresso, Salvador Malheiro afirmou ser “falso” que o PSD tenha solicitado a Rui Moreira para se recandidatar nas próximas autárquicas como independente nas listas sociais-democratas e garantiu que a proposta de uma possível candidatura em coligação com o PSD “partiu de Rui Moreira”.

Com a pandemia de covid-19, além dos nomes a lançar para as listas, Rui Rio tem outra “batata quente” nas mãos. O líder do PSD estará a ponderar um cenário de adiamento das eleições autárquicas de dois meses, tendo em conta os objetivos previstos no plano de vacinação da população portuguesa, mas a proposta ainda não está fechada. Se a data for alterada para novembro, implica com a gestão política do próximo Orçamento do Estado.

PUBLICIDADE

Por seu lado, Rui Moreira parece pretender avançar com uma candidatura independente, tendo mesmo admitido a possibilidade de formar um partido político para contornar as alterações à lei autárquica. As mudanças, aprovadas no ano passado pelo PS e PSD, não permitem que movimentos independentes se candidatem às freguesias e às câmaras.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.