36 ONG recusam reeleição da Venezuela para o Conselho de Direitos Humanos

andresAzp / Flickr

Manifestações na Venezuela

Manifestações na Venezuela

Trinta e seis organizações de Direitos Humanos internacionais afirmaram que a Venezuela não deveria receber novamente um lugar no Conselho de Direitos Humanos da ONU devido ao seu mal desempenho nesta matéria, divulgou hoje a Transparência Internacional.

“O mau desempenho da Venezuela em mateira de Direitos Humanos, incluindo como membro do Conselho de Direitos Humanos, deveria evitar sua designação para outro período nesse conselho, assinalaram 36 organizações internacionais e latino-americanas”, refere um comunicado da Transparência Internacional.

As eleições para o período 2016-2018 do conselho serão realizadas pela Assembleia Geral da ONU, em Nova Iorque, a 28 de outubro de 2015.

Os membros do Conselho de Direitos Humanos devem cumprir com as normas de proteção e promoção dos direitos humanos, segundo a nota.

“As práticas de Direitos Humanos do Governo venezuelano, o seu repúdio ao trabalho realizado por organismos internacionais de Direitos Humanos e a forma como tem votado no Conselho de Direitos Humanos durante os últimos três anos, torna inadequado que a Venezuela ocupe um lugar no Conselho,”, referiu o texto.

A nota refere que a Venezuela tem violado seriamente as normas fundamentais dos Direitos Humanos, citando que vários políticos da oposição, manifestantes e críticos do Governo são perseguidos, presos e torturados, demonstrando claramente um abuso de poder.

O Governo venezuelano, segundo o comunicado, tem também rechaçado as entidades de Direitos Humanos que tentam realizar uma avaliação genuína da situação no país.

A Venezuela rejeitou ainda várias recomendações sobre a situação dos Direitos Humanos no país emitidas pela Revisão Periódico Universal realizada pelo Conselho de Direitos Humanos da ONU em 2011 e não cumpriu as recomendações que havia aceite daquele órgão das Nações Unidas.

O país tem rejeitado também as recomendações a países que cometem graves violações dos Direitos Humanos, como o Irão, Síria, Coreia do Norte, entre outros, referiu ainda a nota.

As 36 organizações afirmaram, de acordo com a Transparência Internacional, que a reeleição da Venezuela para o Conselho de Direitos Humanos demonstraria que os princípios que se pretendia proteger ao criar aquele órgão da ONU não merecem ser levados a sério.

/Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Já sabemos quem defendem! Estas 36 organizações venezuelanas fazem parte da oposição. Não falam das graves violações dos Direitos Humanos cometidas pelos invasores americanos nos países do Médio Oriente.
    Esta gente não é para levar a sério!

    • Isolo o seguinte texto do corpo da notícia supra para que, antes da interpretação, a leitura seja mais facilitada; “… 36 organizações internacionais e latino-americanas”

RESPONDER

Supremo Tribunal espanhol reativa mandado de detenção europeu contra Puigdemont

Um juiz do Supremo Tribunal de Justiça espanhol, Pablo Llarena, aceitou o pedido do Ministério Público e reativou o mandado de detenção europeu para a extradição de Carles Puigdemont. O ex-Presidente do governo regional da Catalunha …

A partir de agora, os saldos têm mesmo que ser saldos

Já estão em vigor as alterações à lei relativa aos saldos e promoções. As novas normas definem que um produto vendido em saldo ou promoção não pode ter um preço mais alto do que o …

Marcelo Rebelo de Sousa critica "instrumentalização do medo" pelo poder

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse hoje haver demasiados poderes com medo que o medo acabe, considerando a "instrumentalização do medo" para acorrentar os outros como um problema na ordem do dia. “Há …

CGTP ameaça Costa: “Ou dá resposta às reivindicações ou conta com contestação” nas ruas

O secretário-geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, defendeu a alteração das leis laborais e o aumento do salários na próxima legislatura, avisando que caso estas reivindicações não sejam atendida, o Governo terá forte contestação nas ruas. Arménio …

Das eleições resultou um "Governo instável" e Marcelo foi "o grande ganhador sem ter participado"

Para Luís Marques Mendes, o PS teve mais votos, mas tem piores condições para governar. Além disso, na opinião do comentador político, foi Marcelo quem ganhou estas eleições, por não ter havido maioria absoluta. O Partido …

"Querem que pique a bolha?" Conselheiros do Banco de Portugal compararam Montepio ao caso BES

Numa "discussão acesa" no Banco de Portugal, conselheiros da entidade de supervisão compararam a situação do Banco Montepio ao caso BES, com referências a um "esquema de Ponzi", em pirâmide, e a ideia de que …

CGD e Novo Banco vão atrás da fortuna de Paulo Maló

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) e o Novo Banco vão tentar executar o património pessoal de Paulo Maló, médico e empresário que fundou a Malo Clinic, empresa especializada em medicina dentária, escreve o Jornal …

Comandante que desviou dinheiro da Proteção Civil recebe avença do Estado

Gil Martins foi condenado de desviar mais de cem mil euros da Proteção Civil. Ainda assim, o antigo comandante recebe uma avença de mil euros brutos por mês. O ex-comandante nacional da Autoridade Nacional de Emergência …

New York Times divulga provas de que a Rússia bombardeou deliberadamente hospitais na Síria

O The New York Times publicou este domingo, segundo avança o próprio jornal norte-americano, provas de que a Rússia bombardeou repetidamente e deliberadamente hospitais na Síria, onde intervém em apoio do regime sírio do Presidente …

Simone Biles torna-se na ginasta mais medalhada de sempre em Mundiais

Esta foi a quarta medalha de ouro para Biles em Estugarda, depois de ter vencido a prova por equipas, o concurso geral individual e a prova de salto. A norte-americana Simone Biles tornou-se hoje a ginasta …