XX Governo já tomou posse

Tiago Petinga / EPA

O vice-primeiro-ministro Paulo Portas, juntamente com o primeiro-ministro Passos Coelho e a ministra das Finanças Maria Luis Albuquerque, na tomada de posse do XX Governo

O vice-primeiro-ministro Paulo Portas, juntamente com o primeiro-ministro Passos Coelho e a ministra das Finanças Maria Luis Albuquerque, na tomada de posse do XX Governo

Passos Coelho foi esta manhã empossado primeiro-ministro do XX Governo Constitucional, pelo Presidente da República Cavaco Silva, durante uma cerimónia no Palácio da Ajuda, em Lisboa.

Passos assumiu o compromisso de honra de desempenhar “com lealdade” as funções de primeiro-ministro, quatro minutos após as 12h, na cerimónia que decorre na sala dos embaixadores do Palácio da Ajuda.

O primeiro-ministro entrou pelas 12h03 na sala dos embaixadores, ao mesmo tempo que o novo presidente da Assembleia da República Eduardo Ferro Rodrigues. O auto de posse, lido pelo secretário da Presidência da República, foi assinado por Cavaco Silva.

Passos foi o primeiro membro do executivo a tomar posse, seguindo-se os 16 ministros e os 36 secretários de Estado, numa cerimónia conjunta de um executivo que tem queda pré-anunciada através da apresentação de moções de rejeição ao programa de Governo por parte de PS, BE e PCP.

No início do seu discurso, o atual primeiro-ministro referiu a governação dos últimos quatro anos, considerando que o anterior executivo PSD/CDS-PP tinha como missão “salvar o país de um desastre económico e social de proporções inimagináveis” e que “não falhou” esse objetivo.

Passos Coelho afirmou ainda que “ninguém deve arriscar o bem-estar dos portugueses em nome de uma agenda ideológica ou de ambições políticas pessoais ou partidárias”.

Já o Presidente da República afirmou que o executivo de Passos Coelho tem plena legitimidade constitucional, voltando a repetir que, em 40 anos de democracia, a responsabilidade de governar sempre coube a quem ganhou as eleições.

“Reitero o que afirmei precisamente nesse ano de 2009, aquando da tomada de posse do XVIII Governo Constitucional: ‘O Governo que hoje toma posse tem plena legitimidade constitucional para governar. Conquistou essa legitimidade nas urnas'”, afirmou Cavaco Silva, no discurso na cerimónia de tomada de posse.

Cavaco voltou ainda a lembrar que, até ao momento em que indigitou Passos Coelho como primeiro-ministro, não lhe foi apresentada por outros partidos “uma solução alternativa de Governo estável, coerente e credível”.

O chefe de Estado assegurou que pode contar com a sua “lealdade institucional” e disse que cabe agora aos deputados apreciar o programa do executivo “e decidir, em consciência e tendo em conta os superiores interesses de Portugal, sobre a sua entrada em plenitude de funções”.

A cerimónia de tomada de posse não contou com a presença de nenhum elemento do Bloco de Esquerda ou do Partido Comunista.

Da maioria de esquerda no Parlamento, apenas o PS está representado na cerimónia, através do vice-presidente da bancada e membro do Secretariado Nacional do partido João Galamba.

Por sua vez, André Lourenço e Silva representou o PAN, partido que mereceu destaque depois das eleições legislativas por ter conseguido eleger um deputado para a Assembleia.

Assistem ainda à cerimónia os membros do Governo cessante, tal como os representantes dos restantes órgãos de soberania e outras individualidades.

Desde que assume as funções de chefe de Estado (9 de março de 2006), esta foi a terceira cerimónia de posse de um Governo presidida por Cavaco Silva, tendo a primeira vez ocorrido em outubro de 2009 com o segundo executivo liderado por José Sócrates, e a segunda em junho de 2011 na primeira vez que empossou Passos Coelho.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. O problema não são os que se vêem…. Pah!
    Como temos visto quem não está disposto a ajudar Portugal são todos aqueles que faltam nesse mesma foto!
    “Os meninos chateiam-se no recreio e dá nisto…” e quem paga é o povo… Pah!
    O melhor para o PS e para os portuguese é deixar de existir… São uma vergonha!

  2. é facil para o partido socialista ,querer o lugar de passos coelho ,porque nao consegui nada nas eleiçoes ,só um pessoa como o antonio costa para fazer isto ,querer ser ministro á força .
    se ele fosse uma pessoa de caracter ao perder as eleiçoes ele tinha pedido demissao do ps ,mas como ele nao é nada honesto tenta ser o que nunca vai ser p. ministro
    quanto aos outros partidos que agora o apoiam sao iguais ,falaram todos uns dos outros e agora sao amiguinhos banda de imcompetentes ,da me a volta ao ver tanta corrupeçao neste pais .

RESPONDER

Deixar Bilbau não dá bom resultado (lembra-se da grande equipa de Bielsa?)

Javi Martínez tenta contrariar a tendência dos seus antigos companheiros de equipa no famoso Atlético de Bilbau, que só aceita no seu plantel futebolistas nascidos no País Basco ou com ascendência familiar basca. Javi Martínez, herói …

Tatuagens racistas, saias curtas, cabelos e bigodes estranhos proibidos na PSP

Os polícias que tenham tatuagens com símbolos, palavras ou desenhos de natureza partidária, extremista, racista ou que incentivem à violência têm seis meses para as remover, de acordo com novas normas da PSP que também …

Republicação das caricaturas de Maomé foi o motivo do ataque junto ao Charlie Hebdo

A republicação das caricaturas de Maomé terá estado na origem do ataque junto ao edifício da antiga redação do jornal satírico Charlie Hebdo, confessou o principal suspeito. Quatro pessoas foram esta sexta-feira feridas, duas das quais …

Segunda vaga pode matar menos (mesmo com novos casos a disparar)

Os especialistas acreditam que a segunda vaga de covid-19 em Portugal vai ser menos letal, embora o número de novos casos diários possa vir a ser "muito elevado". Isto porque temos a lição mais bem …

BCP disponível para fusão com o Montepio

Na eventualidade de ser necessária uma intervenção, o Millennium BCP mostrou-se disponível para uma fusão com o Banco Montepio. Esta hipótese foi apresentada pela instituição bancária numa reunião com o ministro das Finanças, João Leão. O …

Otamendi mais 55 milhões. O negócio que pode levar Rúben Dias para o City

Rúben Dias está muito próximo de reforçar o Manchester City. O clube inglês oferece 55 milhões de euros mais Nicolás Otamendi em troca. A oficialização do acordo deve estar para breve. O Manchester City está muito …

Líbano: Após um mês no cargo, primeiro-ministro demite-se perante impasse político

O primeiro-ministro designado do Líbano, Mustapha Adib, demitiu-se este sábado do cargo numa altura de impasse político sobre a formação de Governo, um mês depois de ter sido nomeado e da violenta explosão no porto …

Governo joga últimos trunfos à esquerda (mas "na 25.ª hora pode ser PSD a salvá-lo" e esse é outro problema)

A duas semanas do fim do prazo para entregar o Orçamento de Estado para 2021 (OE2021), o Governo ainda não tem garantias de aprovação do documento. E enquanto Marcelo pressiona o PSD para "salvar" o …

-

Governo aponta para regresso progressivo de público aos estádios

O regresso de público aos estádios de futebol continua proibido, devido à pandemia de Covid-19, com o secretário de Estado da Juventude e Desporto a admitir esta sexta-feira a possibilidade de um retorno faseado quando …

Há escolas sem intervalos ao ar livre devido à covid-19

Há escolas que estão a proibir os alunos de passarem os intervalos ao ar livre por receio de contágio do novo coronavírus. O pediatra Hugo Rodrigues considera que "é um perfeito disparate". Como tal, os estudantes …