/

Um violino gigante flutuou no Grande Canal de Veneza (ao som de Vivaldi)

Marco Bertorello / AFP

Violino de Noé

No passado fim de semana, um violino gigante, com quase 12 metros de comprimento, desceu o Grande Canal de Veneza. A bordo estava um quarteto de cordas, que tocou Four Seasons de Vivaldi.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O Noah’s Violin (Violino de Noé), numa referência à Arca de Noé, foi criado por um artista veneziano chamado Livio de Marchi para trazer uma mensagem de esperança enquanto o mundo continua a “navegar” na pandemia de covid-19.

Este sábado, ao longo da sua viagem de uma hora, o violino deu música aos venezianos e atraiu a atenção de várias embarcações. A viagem terminou na igreja de La Salute, construída como uma oferta à Virgem Maria por ter libertado a cidade de uma praga que assolou Veneza em 1630.

Ao The New York Times, Tiziana Gasparoni, a violoncelista a bordo do Noah’s Violin, disse que, “como veneziana e música, foi a experiência mais comovente da minha vida”.

A ideia de De Marchi surgiu – como tantas outras – durante o confinamento imposto pela pandemia. O objetivo era trazer esperança através da música, com um barco-violino extremamente realista feito a partir de cerca de uma dúzia de diferentes tipos de madeira e um motor.

Segundo o Travel and Leisure, a embarcação foi construída num estaleiro naval numa ilha próxima. O seu imponente aspeto chamou a atenção de várias pessoas e empresas que quiseram envolver-se no projeto, voluntariando-se para ajudar na sua construção.

Curiosamente, o projeto nasce numa altura em que a cidade italiana está a tentar chamar a atenção para os artesãos locais. “Apoiar e dar visibilidade aos artesãos é a única forma de manter Veneza como uma cidade viva”, disse Roberto Paladini, diretor da filial de Veneza da Confederação Nacional de Artesãos (CNA), ao NYT.

São inúmeras as embarcações que flutuaram pelo Grande Canal de Veneza nos últimos 1.600 anos. O Noah’s Violin, que desceu o canal ao som de Four Seasons de Vivaldi, marcou pela diferença.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.