Trump e Kim Jong-un têm novo encontro marcado (e é já em fevereiro)

Kevin Lim / The Straits Times / EPA

O próximo encontro entre o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, vai realizar-se no final de fevereiro, anunciou na sexta-feira a Casa Branca.

O anúncio foi feito depois de uma reunião de Trump, durante cerca de uma hora e meia, com um enviado norte-coreano, Kim Yong Chol, e o secretário de Estado, Mike Pompeo, para preparar o encontro entre Trump e Kim.

Ainda não é conhecido o local para esta segunda cimeira, mas segundo a BBC, há quem especule que o encontro poderá ter lugar no Vietname.

Depois desta reunião, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, disse que as negociações sobre a desnuclearização continuam, acrescentando ainda que “os Estados Unidos vão continuar a pressionar e sancionar a Coreia do Norte”.

Também na sexta-feira o secretário-geral da Organização das Nações Unidas, António Guterres, afirmou que já era altura de negociações sérias entre norte-americanos e norte-coreanos para definir uma rota negocial que conduzisse à desnuclearização da península coreana.

Guterres disse, em conferência de imprensa na sede da ONU que uma rota negocial permitiria a cada parte “saber exatamente quais seriam os próximos passos e ter previsibilidade sobre a forma como as negociações iriam decorrer”.

No início deste ano, durante o seu discurso de ano novo, Kim Jong-un afirmou que o país continua focado no processo de desnuclearização e sinalizou a intenção de se encontrar novamente com Trump. “Estou disposto a sentar-me novamente com o presidente dos EUA a qualquer momento”, disse Kim.

Contudo, Kim ameaçou uma mudança de postura se os EUA continuassem a sua campanha de sanções e pressão sobre o país pelo desmantelamento do seu programa nuclear. “Se os EUA julgarem erradamente a nossa paciência”, afirmou, “não temos escolha a não ser proteger a soberania e os interesses supremos do nosso país e procurar um novo caminho para alcançar a paz e a estabilidade na península coreana”.

Em resposta, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou estar “ansioso” para se reunir com o líder norte-coreano, Kim Jong-un, que “percebe tão bem que a Coreia do Norte possui um grande potencial económico”.

Na cimeira histórica realizada em junho, em Singapura, entre o Presidente norte-americano, Donald Trump, e o líder norte-coreano, os dois países concordaram em “trabalhar para a completa desnuclearização da península” coreana, mas até à data os progressos têm sido simbólicos, devido à ausência de um roteiro para o desarmamento.

De forma a avançar com o processo, Pyongyang tem insistido na remoção das sanções lideradas pelos EUA contra o país.

Os Estados Unidos pretendem continuar as sanções a Pyongyang, enquanto o regime não avançar no processo de desnuclearização e exigem que a Coreia do Norte tome medidas concretas, enquanto o regime norte-coreano pede que um tratado de paz seja assinado antes para ajudar a garantir a sua sobrevivência.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Depois de "disparate" em Matosinhos, Costa promete "lição exemplar" à Galp. Empresa não comenta

António Costa deixou críticas ao encerramento da refinaria de Matosinhos, na sequência da decisão da Galp de concentrar as operações em Sines. A empresa escusou-se a fazer qualquer comentário sobre as declarações. No domingo, o secretário-geral …

Confronto entre EUA e China é "perigoso para o mundo", alerta Guterres

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou no domingo que um confronto entre os Estados Unidos (EUA) e a China é "perigoso para o mundo" e que, apesar das diferenças, há áreas onde …

Portugal recebeu no domingo grupo de 80 afegãos

Portugal recebeu no domingo 80 afegãos, na maioria atletas da equipa de futebol feminino e seus agregados familiares, elevando para 178 o total de cidadãos acolhidos após a emergência humanitária no Afeganistão, anunciou esta segunda-feira …

Inspeção obrigatória das motas começa em janeiro de 2022

Quase dez anos depois de a medida ter sido aprovada pelo Governo, a inspeção obrigatória de motas com mais de 125 cc vai arrancar em janeiro de 2022. Jorge Delgado, secretário de Estado das Infraestruturas, referiu …

André Ventura - Chega

Ventura diz que PSD está "igual" ao PS - e desafia Rio a justificar atraso no interior

O líder do Chega, André Ventura, manifestou-se hoje preocupado com o panorama político à direita, observando que o PSD está “igual” ao PS e acusando ambos os partidos de terem abandonado o interior do país. “Estou …

Sem Cristiano, o que se passa com a Juventus?

Nenhum triunfo em quatro jornadas do campeonato. Não acontecia há 60 anos. E o problema maior não estará no ataque, apesar da saída de Cristiano Ronaldo. Estreia na temporada: 2-2 no terreno da Udinese. Receber o …

Pacto AUKUS. Nova aliança dos EUA na Ásia-Pacífico pode levar a "corrida às armas nucleares"

A nova aliança dos Estados Unidos (EUA) na região da Ásia-Pacífico e a recente compra de submarinos norte-americanos por parte da Austrália pode desencadear uma "corrida às armas nucleares" na região, avisou esta segunda-feira a …

Costa foi omnipresente, agradeceu a regueifa e recarregou a "bazuca" como arma política

António Costa correu oito concelhos do Norte, em missão de campanha eleitoral. A "bazuca" europeia é usada como arma política, assim como a gestão da pandemia. A pandemia era um ponto de inflexão para as eleições …

"Queremos justiça", exigem famílias de vítimas do ataque em Cabul. CIA alertou para a presença de civis

A família das 10 vítimas mortais do ataque com drone dos EUA a um veículo em Cabul exigem que os operadores sejam julgados em tribunal. A CIA terá alertado para a presença de civis segundos …

Rio abre o jogo sobre o futuro do PSD. Não se recandidata se fizer "igual, pior ou muito pouquinho melhor"

Líder social-democrata deu a conhecer o que é, para o próprio, um bom resultado nas próximas autárquicas, recusou-se a falar sobre as movimentações internas no PSD, expôs o papel do partido na votação do OE …