Trump já pediu planos para atacar a Coreia do Norte

Pete Marovich / POOL / EPA

-

Donald Trump deu ordens aos seus conselheiros militares para que preparem planos de ataque à Coreia do Norte, numa altura em que as preocupações com o programa nuclear do país comunista aumentaram.

O jornal britânico The Mirror cita um dos conselheiros de Trump para a Segurança Nacional, o Tenente General H. R. McMaster, segundo o qual presidente dos EUA ordenou a preparação de uma “lista de opções” militares para “esmagar” a ameaça nuclear norte-coreana.

Entre as alternativas estão “raides de forças especiais combinadas” e “ataques de mísseis preventivos”, realça o Mirror.

O presidente pediu para estarmos preparados para dar uma gama completa de opções para remover a ameaça” nuclear, revela McMaster.

O conselheiro de Trumo recorda que Donald Trump, tal como outros presidentes dos EUA antes dele, concordam que o desenvolvimento de armas nucleares na Coreia do Norte é “inaceitável” e que “o que tem que acontecer é a desnuclearização da Península“.

Este domingo, os Estados Unidos enviaram o super-porta-aviões USS Carl Vinson para águas perto da Coreia do Norte, como resposta aos vários testes de mísseis de Pyongyang.

Fontes do Pentágono confirmaram à CNN que o almirante Harry Harris, chefe do Comando do Pacífico, ordenou a mobilização do porta-aviões da classe Nimitz e de toda a sua frota de ataque para águas próximas da península coreana.

Entretanto, segundo o canal noticioso FOX News, a Força Aérea norte-americana está a sobrevoar o espaço aéreo da península Coreana, sendo notório o aumento do número de voos de aviões americanos em patrulha a partir da base aérea sul-coreana de Osan.

Estas movimentações surgem depois de a semana passada o Conselho de Segurança Nacional dos EUA ter apresentado a Trump um relatório sobre possíveis variantes de resposta à ameaça vinda da Coreia do Norte, incluindo instalar armas nucleares na Coreia do sul ou a eliminação do líder norte-coreano, Kim Jong-un.

A instalação de armas nucleares na Coreia do Sul, de onde os EUA retiraram todas as suas armas nucleares há 25 anos, seria o primeiro movimento táctico nuclear dos Estados Unidos em território estrangeiro desde o fim da Guerra Fria.

Também a semana passada, um dia depois de Donald Trump ter recebido dos seus conselheiros planos militares com opções para um ataque na Síria, os EUA lançaram um ataque com mísseis cruzeiro contra uma base aérea de Shayrat.

A Coreia do Norte criticou o ataque norte-americano, considerando que se trata de “uma intolerável agressão” que justifica “mais de um milhão de vezes” um ataque de “dissuasão nuclear”.

ZAP //

PARTILHAR

10 COMENTÁRIOS

  1. Refere-se a Trump ou ao Grande Líder da Coreia do Norte, que ameaça com ataques nucleares preventivos dia sim, dia não???

  2. A situação estä a tornar-se, de facto, explosiva. Estamos a falar de dois lunáticos em confronto, porém, entre os dois acho o coreano mais lunático e perigoso porque ali não há democracia nem contraditório, ele manda e a carneirada toda baixa as orelhas perante o que consideram ser um “Deus”, o seu “querido líder”. É perigoso, pois a carneirada desmiolada não pensa, logo, podem ser mandados para a morte, á conta do palhaço lunático que os governa, e vão, vão na mesma, felizes e contentes. Já com Trump e os EUA é outra história, pois há democracia, há correntes de opinião opostas com capacidade de travarem eventuais desvarios.

  3. Bazuca,tem uma ideia errada das pessoas da coreia do norte…se os ha que seguem o lider a grande maioria so o faz por medo,dada a repressao e nivel de intimidaçao que existe…

    • Exato, acredito que a grande maioria da população deseja secretamente o desaparecimento do seu líder, e julgo que a haver uma ação militar (cada vez mais provável) deveria ser um ataque preciso, no sentido de suprimir o chefe máximo. Posso estar enganado, mas podia revelar-se uma ação com um final bastante mais rápido do que se acreditava, e nem sei até que ponto é real toda ameaça militar norte-coreana, deve ser muito bluff e pouca pólvora… (pelo menos em quantidade).

  4. Infelizmente ira haver sempre danos colaterais,como em qq guerra. O que levanta a questao de que se nao nos fizerem mal que direito temos de os atacar? Ataque preventivo? Como o feito contra saddam e as suas ” armas nucleares”? Nao havendo interesses financeiros e os eua n mexem o cu,pelo menos é a minha opiniao.

  5. Concordo que se não houver que tome uma atitude contra a Coreia do Norte, serão eles mais dia menos dia a acertar no alvo que pretende e que tantas vezes ameaçam, seja os EUA, seja o Japão ou a Coreia do Sul, alguém têm que mostrar a este louco que não pode andar por ai a lançar misseis com a conversa que são testes, o que todos devemos esperar é que é possivel que este procedimento desencadeie uma grande guerra

  6. Dois lunáticos a medirem forças, a acrescentar os lunáticos europeus a apoiarem Trum, vai dar guerra e da grossa. Salve-se quem puder porque isto não vai sobrar ninguém para contar a não ser África, mas esses já morrem de fome.

RESPONDER

José Maria Ricciardi diz que está disponível para "erguer o Sporting"

José Maria Ricciardi, um dos candidatos nas eleições de setembro de 2018, anunciou através das redes sociais que está disponível para "erguer o Sporting". Na página do Facebook "Ricciardi - Erguer o Sporting", José Maria Ricciardi …

Boris Johnson volta aos Comuns para aprovar Brexit em tempo recorde e sair dia 31 de outubro

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, vai tentar esta terça-feira aprovar a legislação necessária para poder garantir que o Reino Unido sai da União Europeia no dia 31 de outubro quer haja ou não consenso na …

Líbano. Governo corta metade dos salários de políticos em resposta aos protestos

Ao quinto dia de manifestações, o governo libanês respondeu com a aprovação de um pacote de emergência de reformas económicas que deixa cair a introdução de novos impostos e passa pela redução do défice. O primeiro-ministro …

Caso Griezmann. Barcelona paga 15 milhões pelo silêncio do Atlético (e fica com benefício futuro)

Escreve o jornal espanhol El Mundo que Barcelona e Atlético de Madrid já chegaram a acordo no "caso Griezmann". O clube catalão pagou 15 milhões de euros pelo silêncio dos colchoneros, ficando ainda com benefício …

Professor detido depois de ser acusado de agredir aluno “com enorme violência”

Um aluno do 8.º ano da Escola Secundária Rainha Dona Leonor, em Alvalade, em Lisboa, terá sido esta segunda-feira agredido por um professor durante uma aula. Segundo o relato da Associação de Encarregados de Educação dos …

Gabinetes dos novos membros do Governo custam 71 milhões de euros

O novo Governo terá 70 gabinetes no total, que representarão uma despesa anual de, pelo menos, 71 milhões de euros aos cofres públicos, mais sete milhões de euros do que o último. O primeiro-ministro, António Costa, …

Fim do cessar fogo na Síria. Turquia ameaça que milicianos curdos no terreno serão abatidos

O período de cessar-fogo de 120 horas acordado entre a Turquia e os Estados Unidos (EUA) para permitir que as milícias curdas saiam do nordeste da Síria termina esta terça-feira, pelas 19:00 (20:00 em Lisboa), …

Ministro adjunto cabo-verdiano encontrado morto no gabinete

O ministro adjunto do primeiro-ministro de Cabo Verde para a Integração Regional, Júlio Herbert, foi encontrado morto, esta segunda-feira, no seu gabinete, no Palácio do Governo, na Praia, confirmou fonte governamental. Elementos da Polícia Nacional cabo-verdiana …

"Risco de desvio significativo" nas contas do Governo. Bruxelas com reservas sobre esboço do OE2020

A Comissão Europeia (CE) pediu esta terça-feira ao Governo português que apresente uma versão atualizada do projeto orçamental para 2020 “tão cedo quanto possível”, observando que o ‘esboço’ recebido aponta para o risco de um …

Goldman Sachs. Funcionário acusado de divulgar informação em troca de dinheiro

Bryan Cohen, vice-presidente de um dos departamentos do Goldman Sachs, foi acusado de tirar proveito de um esquema que gerou alegadamente cerca de 2,3 milhões de euros em lucros ilegais. Nos últimos 18 meses, dois funcionários …