Trump analisa planos para instalar armas nucleares na Coreia (ou eliminar Kim Jong-un)

(dv) KNS / KCNA

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, com militares norte-coreanos

O Conselho de Segurança Nacional dos EUA apresentou ao presidente norte-americano Donald Trump um relatório sobre possíveis variantes de resposta de Washington à ameaça vinda da Coreia do Norte.

Entre as variantes apresentadas pelo CSN a Donald Trump, foi colocada a possibilidade de instalar armas nucleares norte-americanas na Coreia do Sul, revela a NBC News, que cita fontes da inteligência do Pentágono.

Os Estados Unidos retiraram todas as suas armas nucleares da Coreia do Sul há 25 anos. O seu regresso ao país, provavelmente para a base aérea norte-americana de Osan, seria o primeiro movimento táctico nuclear dos EUA em território estrangeiro desde o fim da Guerra Fria.

Segundo o canal norte-americano, outra das variantes do relatório do Conselho Nacional de Segurança inclui um plano de eliminação do líder norte-coreano, Kim Jong-un.

O documento foi preparado na véspera da visita do presidente da China, Xi Jinping, aos EUA. Segundo realça a NBC News, o plano será implementado apenas caso a cooperação de Washington com Pequim para contenção da Coreia do Norte não funcione. Se esta contenção ocorrer, serão usados meios diplomáticos para negociar com Pyongyang.

Os responsáveis norte-americanos esperam que a China seja mais activa nos esforços para influenciar a Coreia do Norte a conter o desenvolvimento do seu programa nuclear, através de negociações diplomáticas ou acções sancionatórias.

Mas caso esses esforços não venham a produzir resultados, disse Donald Trump esta segunda-feira, os Estados Unidos estão dispostos a agir sozinhos contra a Coreia do Norte.

O mês passado, um dia antes da sua chegada a Pequim para uma visita à China, o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, afirmou que os Estados Unidos pretendiam coordenar as suas acções com a China no que diz respeito à Coreia do Norte, mas que não excluíam a possibilidade de tomar decisões próprias.

As declarações de Tillerson surgiram depois de Donald Trump ter comentado no seu Twitter que “a Coreia do Norte está a comportar-se muito mal, estão há anos a brincar com os Estados Unidos e a China pouco faz para ajudar“.

“Deixem-me ser muito claro”, disse Tillerson, “a nossa política de paciência estratégica acabou. Estamos a explorar novas possibilidades no que diz respeito a segurança e diplomacia, e todas as opções estão em cima da mesa.

Esta quinta-feira, Rex Tillerson tinha afirmado que os EUA estavam a considerar opções de retaliação militar contra a Síria após o ataque químico que na quarta-feira matou 80 pessoas. Segundo o secretário de Estado americano, o seu governo tinha já começado a coordenar esforços para a retirada do poder ao ditador sírio, Bashar al-Assad.

Um dia mais tarde, esta sexta-feira, os norte-americanos lançaram 59 mísseis de cruzeiro e destruíram a base síria de Shayrat, um ataque surpreendente que parece querer mostrar ao mundo uma mudança dos Estados Unidos na sua orientação diplomática em relação ao conflito na Síria – e não só.

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Depois disto espera uma resposta do lider King ás tuas ameaças, ganhavas mais em estar calado, quem é o parolo que diz o que vai fazer, sabendo que o louco da Coreia já tinha dito que á minima ameaça dos EUA ia ser impiedoso. O mundo está cheio de gente sem juizo ao comando e isto ainda vai acabar muito mal, já se está a ver que Trump não é Obama, não vai lá com diálogos age sem olhar a consequências só temos que estar preparados daqui em diante

RESPONDER

Sporting 2-2 Belenenses SAD | Líder salva virgindade nos descontos

A Belenenses SAD esteve a segundos de cumprir a promessa de Petit, que na antevisão da partida apontava para a primeira derrota do Sporting. Os “azuis” estiveram a vencer por 2-0, graças a uma eficácia …

Quatro anos depois, Danny recuperou a sua prancha. Estava a 2700 quilómetros

Um surfista australiano recuperou a sua prancha quatro anos depois de a ter perdido. Estava a 2700 quilómetros do sítio onde a tinha visto pela última vez. Danny Griffiths, um surfista habituado a ondas grandes, perdeu …

Os astronautas precisam de um frigorífico. Engenheiros trabalham num que funciona de "cabeça para baixo"

Para que os astronautas façam longas missões à Lua ou a Marte, precisam de um frigorífico, mas estes eletrodomésticos não são projetados para funcionar em gravidade zero. Os astronautas precisam de frigoríficos para as missões prolongadas …

A maior "cidade-fantasma" da China voltou a florescer (graças à educação)

Kangbashi, na Mongólia Interior, é considerada há muitos anos a maior "cidade-fantasma" da China. Agora, tem muito a agradecer a uma jogada inesperada, mas muito eficaz: o setor da Educação. Há alguns anos que Kangbashi, uma …

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …