Marinha argentina culpada pela tragédia do ARA San Juan

(h) Armada Argentina / EFE / EPA

Submarino ARA San Juan da Armada Argentina

A Marinha argentina terá omitido ao Ministério da Defesa oito chamadas realizadas pelo ARA San Juan no dia do seu desaparecimento.

Segundo o jornal Clarín, antes do desaparecimento do submarino, houve 55 minutos de diálogo com a base militar. A suspeita é de que a Marinha argentina não tenha entregue a tempo esta informação, considerada “primária e crucial”.

Esta é a avaliação avançada por Oscar Aguad, ministro da Defesa. Segundo os registos da empresa de telecomunicações Tesacom, o ARA San Juan comunicou oito vezes antes de desaparecer. A chamada mais longa durou mais de 13 minutos e todas elas são datadas de 15 de novembro, o dia do desaparecimento do submarino.

A sede de Mar Del Plata, de onde zarpou o submarino, transmitiu os relatos à base de Purto Belgrano, mas nenhuma das duas equipas militares transmitiram a informação aos superiores. O almirante Marcelo Hipólito Srur só foi informado dois dias depois do último contacto.

De acordo com a Globo, as autoridades ligadas à investigação são agora alvo de investigação por suposta negligência, dado que a Tesacom afirma ter enviado estas informações, desde o início das buscas, à Armada argentina.

Enrique Balbi, porta-voz da Marinha argentina, ressalvou que a marinha tinha informação das chamadas, confirmadas como os “primeiros contactos do comandante da unidade para informar acerca da falha, do curto-circuito e do princípio de incêndio“.

O ministro da defesa explicou, em entrevista ao canal Todo Notícias, que o comandante do submarino já teria reportado, numa viagem anterior, avarias elétricas pela entrada de água nos sistemas do submarino. Pediu, inclusivamente, reformas em 2018. No entanto, autorizou a missão do ARA San Juan, afirmando estar “em perfeitas condições”.

O Governo da Argentina afirmou, esta segunda-feira, que suspeitava de corrupção no processo de reparação do submarino.

“Houve uma denúncia por corrupção que foi arquivada sem ser investigada e dava conta de algumas anomalias que existiam. O que pude comprovar é que tinha que ser consertado em dois anos e demorou cinco”, afirmou Aguad.

No início deste mês, a Marinha anunciou que a busca ia continuar, embora tenha descartado a possibilidade de resgatar os tripulantes, considerando não haver hipótese de terem sobrevivido.

O ministro explicou que o prazo de busca e resgate expirou, porque assim determinam as normas internacionais, e assumiu que todos os tripulantes morreram, ao recordar que “as condições do ambiente extremo” no fundo do mar durante tanto tempo são incompatíveis com a existência da vida humana.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Título cheio de certezas:
    “Tragédia do ARA San Juan é culpa da Marinha argentina”
    Subtítulo cheio de duvidas:
    “A Marinha argentina terá omitido ao Ministério da Defesa oito chamadas realizadas pelo ARA San Juan no dia do seu desaparecimento.”
    O leitor que escolha a versão que mais lhe convém, mas, quem não passar do título, só vê “metade do filme”…

    • Caro Eu!,
      Obrigado pelo reparo.
      Optámos por alterar o título para “Marinha argentina culpada pela tragédia do ARA San Juan”.
      Continua a ser um título cheio de certezas, mas agora 100% irrepreensível.

      • Não melhorou nada!…
        O titulo seria irrepreensível se o corpo na noticia não estivesse cheio de duvidas e suposições, começando logo com o “terá” no subtítulo!…

        • Caro Eu!,
          Desculpe-nos a insistência, mas melhorou tudo.
          Independentemente de a Marinha ser ou não culpada, é um facto, que o título traduz na perfeição, que o ministro da Defesa argentino culpou a Marinha argentina pela tragédia.
          Portanto, “Marinha argentina culpada pela tragédia do ARA San Juan”.
          Irrepreensível.
          Não o era como estava, não o seria se fosse “culpada da”.
          Culpada “pela”, é factual e irrepreensível.

          • Estou com o ZAP. A afirmação é correta muito embora seja omissa quanto ao sujeito.

            No limite, como diria o futuro ex-ministro da defesa, eu posso afirmar:
            “Ministro da defesa culpado do desaparecimento de armamento em Tancos” quem o culpabiliza?… sou eu… se é que isso conta para alguma coisa.

            • Com o ZAP nunca se sabe, mas se tivesse sido o “Pois…” a culpar a Marinha argentina, quase de certeza que não teríamos dado a notícia.

          • Ok, percebo o ponto de vista, mas sendo o titulo baseado no entendimento do ministro da defesa argentino, acho que podiam ter feito referência a isso no título.
            Por exemplo:
            “Ministro da Defesa culpa Marinha da Argentina pela tragédia do ARA San Juan”

  2. Pelos vistos por lá o sentido de responsabilidade e competência anda mais ou menos como por cá, isto relembrando o caso recente de Tancos que este até acabou por terminar num sucesso ao terem mais armas recuperadas do que roubadas, a vida humana pelos vistos pouco vale por todo o lado e aquilo que deveria ser levado à risca parece por vezes uma brincadeira de catraios!.

RESPONDER

Prosecco ou prošek? A batalha da UE entre Itália e Croácia por causa de vinho

Prosecco é provavelmente o vinho italiano mais famoso, mas por trás da efervescência deste néctar, a Itália está numa grande disputa sobre se a Croácia pode vender um vinho de sobremesa com o nome de …

China vai limitar abortos. E nada tem a ver com saúde

A China vai reduzir o número de abortos realizados por motivos que não estejam relacionados com a saúde, anunciou o governo esta segunda-feira, avançando que serão também criadas medidas para evitar a gravidez indesejada. As autoridades …

Crónica ZAP - Linha de Fundo por Teófilo Fernando

Linha de Fundo: SL7, arte e paciência

Líder soma e segue. Leões e dragões vencem à justa. As frases e os números da semana. Visto da Linha de Fundo. Líder reina no castelo Vitória SC 1 (Bruno Duarte 78', g.p.) – SL Benfica …

"Atropelamento e fuga." Terra e Vénus cresceram como planetas rebeldes

Planetas como a Terra e Vénus, que residem dentro de Sistemas Solares, são fruto de repetidas colisões. Esta conclusão desafia os modelos convencionais sobre a formação de planetas. Investigadores do Laboratório Lunar e Planetário (LPL) da …

A origem do "Gigante de Segorbe" pode finalmente ter sido esclarecida

Um novo estudo revela que a origem do "Gigante de Segorbe" pode ser bastante mais complexa daquilo que se pensava. O "Gigante de Segorbe", como é conhecido, foi um indivíduo encontrado por arqueólogos numa necrópole islâmica …

Instagram suspende planos de uma versão da aplicação para crianças

Para já, a empresa ainda não fez se se trata de um abandono temporário ou definitivo. Tempestade mediática em torno da influência das redes sociais na saúde mental dos jovens, sobretudo raparigas, pode ter influenciado …

Com todos os votos contados, PS vence com pior resultado que em 2013 e PSD conquista 113 câmaras

PS continua a ser o partido com mais representação autárquica em Portugal, apesar de cair para números anteriores à liderança de António Costa. PSD recupera das hecatombes de 2013 e 2017. Quase 24 horas depois após …

Presidente sul-coreano admite proibir consumo de carne de cão

O Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, admitiu, esta segunda-feira, a possibilidade de proibir o consumo de carne de cão, costume que se tornou "uma vergonha internacional", segundo fonte do seu gabinete. "Não terá chegado …

Pelo menos 24 países criaram novas leis para controlar o conteúdo na Internet, revela relatório

Autoridades de pelo menos 24 países, incluindo os Estados Unidos (EUA), estabeleceram novas regras que determinam o tratamento dos conteúdos por parte das plataformas 'online', concluiu um relatório da Freedom House. No seu relatório anual, intitulado …

Exames nacionais e provas de aferição deverão “retomar a normalidade” este ano

Depois de dois anos letivos condicionados pela pandemia da covid-19, o Governo está apostado em retomar, entre outras formas de avaliação, a obrigatoriedade de exames nacionais nas disciplinas de conclusão do ensino secundário. Os exames nacionais …