Marinha argentina culpada pela tragédia do ARA San Juan

(dv) Armada Argentina / EFE / EPA

Submarino ARA San Juan da Armada Argentina

A Marinha argentina terá omitido ao Ministério da Defesa oito chamadas realizadas pelo ARA San Juan no dia do seu desaparecimento.

Segundo o jornal Clarín, antes do desaparecimento do submarino, houve 55 minutos de diálogo com a base militar. A suspeita é de que a Marinha argentina não tenha entregue a tempo esta informação, considerada “primária e crucial”.

Esta é a avaliação avançada por Oscar Aguad, ministro da Defesa. Segundo os registos da empresa de telecomunicações Tesacom, o ARA San Juan comunicou oito vezes antes de desaparecer. A chamada mais longa durou mais de 13 minutos e todas elas são datadas de 15 de novembro, o dia do desaparecimento do submarino.

A sede de Mar Del Plata, de onde zarpou o submarino, transmitiu os relatos à base de Purto Belgrano, mas nenhuma das duas equipas militares transmitiram a informação aos superiores. O almirante Marcelo Hipólito Srur só foi informado dois dias depois do último contacto.

De acordo com a Globo, as autoridades ligadas à investigação são agora alvo de investigação por suposta negligência, dado que a Tesacom afirma ter enviado estas informações, desde o início das buscas, à Armada argentina.

Enrique Balbi, porta-voz da Marinha argentina, ressalvou que a marinha tinha informação das chamadas, confirmadas como os “primeiros contactos do comandante da unidade para informar acerca da falha, do curto-circuito e do princípio de incêndio“.

O ministro da defesa explicou, em entrevista ao canal Todo Notícias, que o comandante do submarino já teria reportado, numa viagem anterior, avarias elétricas pela entrada de água nos sistemas do submarino. Pediu, inclusivamente, reformas em 2018. No entanto, autorizou a missão do ARA San Juan, afirmando estar “em perfeitas condições”.

O Governo da Argentina afirmou, esta segunda-feira, que suspeitava de corrupção no processo de reparação do submarino.

“Houve uma denúncia por corrupção que foi arquivada sem ser investigada e dava conta de algumas anomalias que existiam. O que pude comprovar é que tinha que ser consertado em dois anos e demorou cinco”, afirmou Aguad.

No início deste mês, a Marinha anunciou que a busca ia continuar, embora tenha descartado a possibilidade de resgatar os tripulantes, considerando não haver hipótese de terem sobrevivido.

O ministro explicou que o prazo de busca e resgate expirou, porque assim determinam as normas internacionais, e assumiu que todos os tripulantes morreram, ao recordar que “as condições do ambiente extremo” no fundo do mar durante tanto tempo são incompatíveis com a existência da vida humana.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Título cheio de certezas:
    “Tragédia do ARA San Juan é culpa da Marinha argentina”
    Subtítulo cheio de duvidas:
    “A Marinha argentina terá omitido ao Ministério da Defesa oito chamadas realizadas pelo ARA San Juan no dia do seu desaparecimento.”
    O leitor que escolha a versão que mais lhe convém, mas, quem não passar do título, só vê “metade do filme”…

    • Caro Eu!,
      Obrigado pelo reparo.
      Optámos por alterar o título para “Marinha argentina culpada pela tragédia do ARA San Juan”.
      Continua a ser um título cheio de certezas, mas agora 100% irrepreensível.

      • Não melhorou nada!…
        O titulo seria irrepreensível se o corpo na noticia não estivesse cheio de duvidas e suposições, começando logo com o “terá” no subtítulo!…

        • Caro Eu!,
          Desculpe-nos a insistência, mas melhorou tudo.
          Independentemente de a Marinha ser ou não culpada, é um facto, que o título traduz na perfeição, que o ministro da Defesa argentino culpou a Marinha argentina pela tragédia.
          Portanto, “Marinha argentina culpada pela tragédia do ARA San Juan”.
          Irrepreensível.
          Não o era como estava, não o seria se fosse “culpada da”.
          Culpada “pela”, é factual e irrepreensível.

          • Estou com o ZAP. A afirmação é correta muito embora seja omissa quanto ao sujeito.

            No limite, como diria o futuro ex-ministro da defesa, eu posso afirmar:
            “Ministro da defesa culpado do desaparecimento de armamento em Tancos” quem o culpabiliza?… sou eu… se é que isso conta para alguma coisa.

            • Com o ZAP nunca se sabe, mas se tivesse sido o “Pois…” a culpar a Marinha argentina, quase de certeza que não teríamos dado a notícia.

          • Ok, percebo o ponto de vista, mas sendo o titulo baseado no entendimento do ministro da defesa argentino, acho que podiam ter feito referência a isso no título.
            Por exemplo:
            “Ministro da Defesa culpa Marinha da Argentina pela tragédia do ARA San Juan”

  2. Pelos vistos por lá o sentido de responsabilidade e competência anda mais ou menos como por cá, isto relembrando o caso recente de Tancos que este até acabou por terminar num sucesso ao terem mais armas recuperadas do que roubadas, a vida humana pelos vistos pouco vale por todo o lado e aquilo que deveria ser levado à risca parece por vezes uma brincadeira de catraios!.

RESPONDER

Misterioso raio cósmico detetado incrivelmente perto da Terra

Uma estranha rajada de ondas de rádio detetada no espaço foi rastreada até uma galáxia a 120 milhões de anos-luz do nosso planeta - a nível astronómico, esta é uma distância incrivelmente curta da Terra. …

Primeira missão europeia a Mercúrio lançada com cientista e tecnologia portuguesas

A primeira missão europeia que vai estudar Mercúrio, o planeta mais pequeno e mais próximo do Sol, vai ser lançada no sábado, e nela participa uma cientista e uma empresa portuguesas. A astrofísica Joana S. Oliveira …

Sertanense vs Benfica | Águias passam sem dificuldade

O Benfica venceu hoje o Sertanense, do Campeonato de Portugal, por 3-0, em jogo da terceira eliminatória da Taça de Portugal de futebol, em que Jonas voltou a ser titular e a marcar ao fim …

Quase todo o património da UNESCO no Mediterrâneo ameaçado pela subida das águas

O aumento da erosão costeira devido à subida do nível das águas está a pôr em risco quase todos os monumentos reconhecidos como Património da Humanidade que se localizam na zonas baixas da costa do …

Carne podre e cadáveres que explodem por falta de eletricidade na Venezuela

Em Maracaibo, na Venezuela, a energia elétrica falha constantemente. Nos mercados, há carne podre à venda, mas ainda assim a procura aumenta. Porquê? "O que fazer, se é mais barato?" A Venezuela atravessa, desde 2014, uma …

Ministro da Administração Interna não emitiu despacho de alerta para a Leslie

Eduardo Cabrita, Ministro da Administração Interna, não emitiu o despacho de alerta que podia reforçar os meios de proteção e socorro durante a tempestade que atingiu Portugal. A decisão poderia ter tido impacto junto das …

Trump ameaça fechar fronteira com o México

O Presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçou esta quinta-feira fechar a fronteira entre os Estados Unidos e o México, numa altura em que milhares de migrantes atravessam a pé vários países da América Central na esperança …

Rendas vão ter duração mínima de um ano

Apresentada pelo PS, a medida já foi aprovada e prevê que contratos de arrendamento tenham um prazo mínimo de um ano e que se renovem por mais três anos, não havendo dados em contrário. O Parlamento …

Mais de 12 mil jovens vão viajar gratuitamente pela Europa

Os jovens escolhidos vão poder viajar de comboio até 30 dias e visitar entre um a quatro destinos. Os requisitos: ter completado 18 anos este ano e ser cidadãos europeus. A Comissão Europeia anunciou, esta quarta-feira, …

"O emprego mais difícil do mundo" é português, não tem salário e procura "gente de fibra"

"O emprego mais difícil do mundo" é uma campanha de recrutamento dos Bombeiros Voluntários de Albufeira, no Algarve, que abriram candidaturas para "gente de fibra". Honestos face àquilo que são os requisitos para a profissão, a …