Marinha argentina culpada pela tragédia do ARA San Juan

(dv) Armada Argentina / EFE / EPA

Submarino ARA San Juan da Armada Argentina

A Marinha argentina terá omitido ao Ministério da Defesa oito chamadas realizadas pelo ARA San Juan no dia do seu desaparecimento.

Segundo o jornal Clarín, antes do desaparecimento do submarino, houve 55 minutos de diálogo com a base militar. A suspeita é de que a Marinha argentina não tenha entregue a tempo esta informação, considerada “primária e crucial”.

Esta é a avaliação avançada por Oscar Aguad, ministro da Defesa. Segundo os registos da empresa de telecomunicações Tesacom, o ARA San Juan comunicou oito vezes antes de desaparecer. A chamada mais longa durou mais de 13 minutos e todas elas são datadas de 15 de novembro, o dia do desaparecimento do submarino.

A sede de Mar Del Plata, de onde zarpou o submarino, transmitiu os relatos à base de Purto Belgrano, mas nenhuma das duas equipas militares transmitiram a informação aos superiores. O almirante Marcelo Hipólito Srur só foi informado dois dias depois do último contacto.

De acordo com a Globo, as autoridades ligadas à investigação são agora alvo de investigação por suposta negligência, dado que a Tesacom afirma ter enviado estas informações, desde o início das buscas, à Armada argentina.

Enrique Balbi, porta-voz da Marinha argentina, ressalvou que a marinha tinha informação das chamadas, confirmadas como os “primeiros contactos do comandante da unidade para informar acerca da falha, do curto-circuito e do princípio de incêndio“.

O ministro da defesa explicou, em entrevista ao canal Todo Notícias, que o comandante do submarino já teria reportado, numa viagem anterior, avarias elétricas pela entrada de água nos sistemas do submarino. Pediu, inclusivamente, reformas em 2018. No entanto, autorizou a missão do ARA San Juan, afirmando estar “em perfeitas condições”.

O Governo da Argentina afirmou, esta segunda-feira, que suspeitava de corrupção no processo de reparação do submarino.

“Houve uma denúncia por corrupção que foi arquivada sem ser investigada e dava conta de algumas anomalias que existiam. O que pude comprovar é que tinha que ser consertado em dois anos e demorou cinco”, afirmou Aguad.

No início deste mês, a Marinha anunciou que a busca ia continuar, embora tenha descartado a possibilidade de resgatar os tripulantes, considerando não haver hipótese de terem sobrevivido.

O ministro explicou que o prazo de busca e resgate expirou, porque assim determinam as normas internacionais, e assumiu que todos os tripulantes morreram, ao recordar que “as condições do ambiente extremo” no fundo do mar durante tanto tempo são incompatíveis com a existência da vida humana.

ZAP //

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Título cheio de certezas:
    “Tragédia do ARA San Juan é culpa da Marinha argentina”
    Subtítulo cheio de duvidas:
    “A Marinha argentina terá omitido ao Ministério da Defesa oito chamadas realizadas pelo ARA San Juan no dia do seu desaparecimento.”
    O leitor que escolha a versão que mais lhe convém, mas, quem não passar do título, só vê “metade do filme”…

    • Caro Eu!,
      Obrigado pelo reparo.
      Optámos por alterar o título para “Marinha argentina culpada pela tragédia do ARA San Juan”.
      Continua a ser um título cheio de certezas, mas agora 100% irrepreensível.

      • Não melhorou nada!…
        O titulo seria irrepreensível se o corpo na noticia não estivesse cheio de duvidas e suposições, começando logo com o “terá” no subtítulo!…

        • Caro Eu!,
          Desculpe-nos a insistência, mas melhorou tudo.
          Independentemente de a Marinha ser ou não culpada, é um facto, que o título traduz na perfeição, que o ministro da Defesa argentino culpou a Marinha argentina pela tragédia.
          Portanto, “Marinha argentina culpada pela tragédia do ARA San Juan”.
          Irrepreensível.
          Não o era como estava, não o seria se fosse “culpada da”.
          Culpada “pela”, é factual e irrepreensível.

          • Estou com o ZAP. A afirmação é correta muito embora seja omissa quanto ao sujeito.

            No limite, como diria o futuro ex-ministro da defesa, eu posso afirmar:
            “Ministro da defesa culpado do desaparecimento de armamento em Tancos” quem o culpabiliza?… sou eu… se é que isso conta para alguma coisa.

            • Com o ZAP nunca se sabe, mas se tivesse sido o “Pois…” a culpar a Marinha argentina, quase de certeza que não teríamos dado a notícia.

          • Ok, percebo o ponto de vista, mas sendo o titulo baseado no entendimento do ministro da defesa argentino, acho que podiam ter feito referência a isso no título.
            Por exemplo:
            “Ministro da Defesa culpa Marinha da Argentina pela tragédia do ARA San Juan”

  2. Pelos vistos por lá o sentido de responsabilidade e competência anda mais ou menos como por cá, isto relembrando o caso recente de Tancos que este até acabou por terminar num sucesso ao terem mais armas recuperadas do que roubadas, a vida humana pelos vistos pouco vale por todo o lado e aquilo que deveria ser levado à risca parece por vezes uma brincadeira de catraios!.

RESPONDER

Tem dores nas articulações quando está de chuva? É mito

A relação entre o tempo de frio e chuva e as dores nas articulações é um mito que persiste desde a antiguidade, mas não há qualquer relação, garante um estudo feito nos Estados Unidos e …

Vieira da Silva "absolutamente tranquilo"

O ministro do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social reafirma estar "absolutamente tranquilo" relativamente à sua implicação no caso relativo a suspeitas de gestão danosa na associação Raríssimas. "Uma equipa técnica do Instituto de Segurança …

China constrói campos de refugiados na fronteira com a Coreia do Norte

A China, que sempre defendeu uma solução pacífica para a crise da Coreia do Norte, pode estar a preparar-se para um eventual conflito militar ou para a queda do regime de Kim Jong-un. Isto numa …

Ministério abre processo disciplinar por fuga de informação no exame de Português

O inquérito à fuga de informação no exame nacional de Português deste ano determinou a abertura de um processo disciplinar a uma professora "para apuramento de responsabilidade", adiantou o Ministério da Educação. O processo disciplinar é …

"Super-homem chinês" cai de um edifício e filma a própria morte

O "super-homem" Wu Yongning, uma estrela na rede social chinesa Weibo, morreu ao cair do 62º andar de um edifício em Changsha, na China. Wu Yongning, de 26 anos, morreu numa queda ocorrida quando tentava subir …

Governo concede tolerância de ponto no dia 26 de dezembro na função pública

O Governo vai conceder tolerância de ponto em 26 de dezembro "aos trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado, sejam eles centrais ou desconcentrados, e institutos públicos", de acordo com …

Juncker envolvido em processo judicial por escutas ilegais

Jean-Claude Juncker pode ser envolvido num processo judicial por escutas ilegais e adulteração de conversas. A investigação é relativa a uma altura em que o Presidente da Comissão Europeia era primeiro-ministro do Luxemburgo. Jean-Claude Juncker, presidente …

ONU prepara projeto contra reconhecimento pelos EUA de Jerusalém como capital de Israel16

Um projeto de resolução contra o reconhecimento pelos Estados Unidos de Jerusalém como capital de Israel está a ser preparado na ONU para demonstrar o isolamento dos norte-americanos no Conselho de Segurança. Os Estados Unidos da …

Senador John McCain hospitalizado devido a tumor

O senador e ex-candidato republicano à Casa Branca foi hospitalizado, esta quarta-feira, nos arredores de Washington. John McCain foi diagnosticado em julho com um tumor cerebral. "O senador McCain está a receber tratamento no Centro Médico …

Último aviso da Cassini: se for a Saturno, leve guarda-chuva

Se está a pensar fazer uma viagem até Saturno deixamos um conselho: não se esqueça do guarda-chuva. Cientistas norte-americanos descobriram recentemente que os anéis de Saturno podem produzir uma espécie de chuva. A sonda Cassini viveu …