TAP cancela 46 voos em junho por falta de técnicos de manutenção

Números avançados pelos sindicatos diferem dos apresentados pela empresa, que nega saída em massa de técnicos de manutenção desde janeiro.

Ao longo do mês de junho — que ainda nem acabou — a TAP cancelou 46 voos e teve atrasos em outras 76 ligações devido à falta de técnicos de manutenção. A notícia é avançada pelo Jornal de Negócios, que cita dados do Sindicato dos Técnicos de Manutenção de Aeronaves (Sitema). O grupo antecipa ainda que a situação piore nos meses de julho e agosto, período em que há “pelo menos, por semana, um técnico a sair” devido aos cortes e aos baixos salários.

O presidente da direção do Sitema, Paulo Manso, alertou para o facto de as saídas não estarem a ser substituídas, o que terá um custo acrescido para a empresa. Segundo o Expresso, desde novembro do último ano já saíram da TAP 172 técnicos, quer por despedimentos, acordos ou não renovação de contratos.

Como tal, se em 2019 a TAP contava com 940 técnicos para 90 aeronaves, atualmente o número fixa-se nos 800 técnicos de manutenção para 76 aviões. Trata-se de menos 1,2 técnicos por aeronave, o que fica francamente abaixo da média internacional de 3,2.

Em declarações ao mesmo jornal, a TAP ressalvou que, para além dos técnicos, tem também “outros técnicos de outras categorias profissionais para prestar serviços de manutenção”, para além de recorrer a “outras organizações de manutenção certificadas” fora da esfera da empresa. Apresenta, ainda assim, números distintos para as saídas de técnicos da empresa. A TAP fala em 20 desde janeiro.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.