Supremo reconhece “fundada suspeita” do envolvimento dos McCann no caso Maddie

Mario Cruz / Lusa

Kate e Gerry McCann, os pais de Maddie

Os juízes-conselheiros do Supremo Tribunal de Justiça não só dão razão ao ex-inspector Gonçalo Amaral, no processo movido por Kate e Gerry McCann, como também arrasam o casal inglês, considerando que há “fundada suspeita” de que possam ter estado envolvidos no desaparecimento da filha Maddie.

Estes dados constam do acórdão, a que o Correio da Manhã teve acesso, que absolveu o ex-coordenador da Polícia Judiciária (PJ), Gonçalo Amaral, no processo em que os McCann pediam uma indemnização de meio milhão de euros, por causa do que ele escreveu no livro “Maddie: A Verdade da Mentira”.

Na obra, o ex-inspector aborda a possibilidade de os McCann terem estado envolvidos no desaparecimento da filha, ocorrido a 3 de Maio de 2007, durante umas férias do casal inglês no Algarve.

Ora, o Supremo entende que as alegações de Gonçalo Amaral fazem sentido e resultam “dos meios probatórios e dos indícios recolhidos no inquérito aberto” ao caso.

“Aliás, os recorrentes [Kate e Gerry McCann] foram constituídos arguidos num inquérito criminal”, “o que implica que surgiu fundada suspeita de terem cometido crime ou crimes”, apontam os juízes-conselheiros, conforme cita o CM.

O Supremo ainda nota que, embora o processo tenha sido arquivado, se apontam “sérias reservas quanto à verosimilhança da alegação de que Madeleine fora raptada“.

Não se pode dizer “que os recorrentes foram inocentados por via do despacho de arquivamento do processo-crime”, escrevem também os magistrados, notando que o arquivamento só foi “determinado por não ter sido possível obter indícios suficientes da prática de crimes”.

“Não parece aceitável que se considere que o referido despacho, fundado na insuficiência de indícios, deva ser equiparado à comprovação de inocentação”, concluem os juízes.

O recurso dos McCann chegou ao Supremo, depois de o Tribunal da Relação de Lisboa ter decretado a absolvição de Gonçalo Amaral.

ZAP //

PARTILHAR

20 COMENTÁRIOS

      • Pelo contrário; já toda a gente os apanhou há muito tempo!!
        Infelizmente (e com uma boa “ajuda” das autoridades inglesas que só serviram para fazer desaparecer as amostras de sangue, etc), não houve/há indícios suficientes para os acusar!
        Mas, quando se é familiar (e não só!) do primeiro ministro inglês e este faz tudo para ajudar ao circo (incluindo gastar mais de 10 milhões de euros de dinheiros públicos numa suposta investigação que teve um resultado ZERO!), as coisas são ainda mais complicadas!

  1. “Não parece aceitável que se considere que o referido despacho, fundado na insuficiência de indícios, deva ser equiparado à comprovação de inocentação”, concluem os juízes.

    então mas é a inocentação que precisa de comprovação ou a incriminação? um juiz pode dizer isto?

    • Ele(s) não disseram que a inocentação precisa comprovação. Apenas disseram que não podem usar a insuficiência de provas para comprovar a inocentação.

    • Para o caso em questão, seria mesmo a inocentação visto que se trata do processo que os próprios McCann iniciaram contra Gonçalo Amaral, que assenta no facto de eles serem inocentes e no facto de G.A. no seu livro afirmar que eles poderão não o ser. Para G.A. ser culpado, os McCann precisariam de ser indubitavelmente inocentados!

      Visto que o caso contra os McCann foi arquivado por insuficiência de indícios (e não por, por exemplo, por confirmação de que os mesmos não poderiam ser culpados por razão A, B e C), não podem ser inocentados, o que tira fundamento ao caso contra G.A. e dá validade ao conteúdo do livro que os representa como possíveis culpados. Note-se.. possíveis culpados não é o mesmo que culpados. G.A. não é um juíz.

    • Claro! O facto de haver um despacho de arquivamento do processo, tal não significa que haja uma comprovada inocentaçao o que é por oposiçao quer dizer que a incriminaçao contiunua a manter-se possivel. Não é isso que “em substancia” o juiz quer dizer?

  2. E que tal levantar-lhes um processo por terem abandonado os filhos, sozinhos em casa, enquanto foram jantar com amigos?
    Por menos, já Portugueses perderam a custódia dos filhos em Inglaterra.

    • Sozinhos e drogados… Mas aos McCann têm conhecimentos (ou tinham) no Governo britanico. Nada vai acontecer sobre o perigo de criarmos um incidente diplomático (e foi por isso que o caso foi arquivado). Manobras de bastidores…

    • Esse é um tema que nunca foi tema de facto. Incompreensivel, quer pelas nossas autoridades, quer pelas inglesas que tanto se preocupam com o bem estar das crianças. Foi um circo, foi caro e infeliemnte ha uma vitima essa sim inocente

  3. Claro que isto até parece um negócio para o dito casal, que só lhes deu publicidade e muitos milhões de euritos no bolso.
    Ainda por cima meterem o nosso agente Amaral nos tribunais, isto realmente é uma história de bradar aos céus, quando os principais suspeitos são o próprio casal.
    É preciso ter lata, encheram-se de dinheiro e publicidade em todo o mundo, à custa da inocente menina, que não teve culpa de ter tido uns pais tão irresponsáveis, e que se não agiram por premeditação, tudo leva a crer que sim.
    É caso para dizer, que isto está bom é para os malandros e espertos.

    João Gomes

  4. Eu sempre pus as mãos no fogo pelo dr. Gonçalo Amaral, sempre disse a verdade, só quem não quer ver as coisas é que não vê que são os Maccnn os principais suspeitos, prisão para eles?

    • Caro Rui: Como ele não conseguiu (ou seja, impedido de) provar, optou por escrever um livro onde expôem as suas suspeitas (indícios e não acusações). Ele não falhou! Jogadas de bastidores (mais própriamente o governo inglês pressionou o governo português a fazer vista grossa) impediram-no de ir mais além. Com o livro ele acusa sem acusar, porque; por lei, agora não pode, uma vez que o caso foi arquivado.

    • Ah?!
      Falhou?! Essa é boa…
      Ele acertou em cheiro!!!
      Mas, ao contrário do que tu escreves (erradamente!), ele não acusou ninguém – precisamente por falta de provas!!
      Percebido?

  5. Não perguntem como, mas eu sei o que realmente aconteceu. Foi um acidente. Mas foi o pai que matou a filha. Por asfixia. Até me custa revelar em que circunstâncias, pelo que não o farei. Simplesmente tapou-lhe a boca para ela não gritar ou chorar alto… por tempo demais. A mãe só é conivente porque veio a saber o que se passou e continuou com a charada. Só não sei onde foi escondido o corpo, mas não está muito longe do local onde tudo se passou. Também não sei como escapou às buscas policiais… Mas é certo que não só são os principais suspeitos como são os CULPADOS!Nem que seja só pelo facto de terem deixado as filhas sozinhas!

  6. Desaparecer-nos um filho e aparecer-nos à frente um gonçalo amaral: não sei qual coisa será mais desesperante.

  7. Temos uma gama de juizes aqui. Ninguém esta na pele de ninguém para saber nada. O mal do mundo é atacar sempre,tirar pedras, enquanto somos todos culpados de muitas coisas em nossa intimidade e uma grave é ACUSAR SEM TER CERTEZA, E SEM SE COLOCAR NO LUGAR DO OUTRO. NEM SEMPRE AS COISAS SAO O QUE PARECEM SER. o que todos dizem aqui são somente suposições.

RESPONDER

Shinzo Abe investigado por alegado uso ilegal de fundos para financiar eventos privados

Procuradores no Japão estão a investigar o gabinete pessoal do antigo primeiro-ministro Shinzo Abe pela alegada utilização ilegal de fundos para financiar eventos privados, para os quais foram convidados apoiantes do líder japonês entre 2013 …

Rússia anuncia eficácia de 95% da vacina Sputnik V

A Rússia anunciou, esta terça-feira, que sua vacina Sputnik V, desenvolvida pelo Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, tem uma eficácia de 95%, segundo resultados preliminares. Em comunicado no site oficial da vacina russa, o Centro …

Emigrantes querem votar por correio nas presidenciais

O movimento de emigrantes "Também somos portugueses" pede a alteração urgente das leis eleitorais para que possam votar por correio, no mesmo dia em que Marcelo Rebelo de Sousa, atual Presidente da República, anuncia a …

"Um objectivo histórico". Efacec leva luz a todo o Ruanda

A Efacec instalou três sub-estações de alta tensão no Ruanda, contribuindo atingir "um objetivo histórico da República do Ruanda" com "a electrificação total do país em 2023". O projecto da empresa portuguesa está orçado em …

Portugal com mais 85 mortes e 3919 casos de covid-19. Número de internados nunca foi tão alto

Portugal regista, esta terça-feira, mais 85 mortes e 3919 novos casos de infeção por covid-19, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da DGS, dos 3919 novos casos, 2284 …

Vésperas de feriado sem confinamento obrigatório

Nos dias 30 de novembro e 07 de dezembro, que antecedem os dois feriados, não serão aplicadas as restrições de circulação definidas para os fins de semana e feriados, embora as escolas interrompam a atividade …

Eduardo Catroga: Foi o PS quem ultrapassou as "linhas vermelhas" após aceitar apoio do PCP e do BE

Eduardo Catroga, antigo ministro das Finanças de Cavaco Silva, defende que foi o PS quem ultrapassou as "linhas vermelhas" após aceitar o apoio do PCP e do Bloco de Esquerda, partidos "anti-tudo". O ex-ministro das Finanças …

Ministra garante que situação nas prisões está "controlada". PSD diz que Governo está "sem rei nem roque"

Esta segunda-feira, a ministra da Justiça Francisca Van Dunem esteve reunida com Marcelo Rebelo de Sousa, em Belém, num encontro em que participou também a ministra da Saúde, Marta Temido. À saída de uma audiência com …

Autarcas do Norte aceitam novas restrições, mas falam em falta de preparação e coerência por parte do Governo

A maioria dos autarcas do distrito do Porto concorda que era preciso apertar mais as restrições na região norte. Os líderes da câmaras aceitam as decisões com medo da alternativa, mas deixam algumas críticas à …

Porto é o único distrito do Norte onde novos casos diminuíram. Bragança, Viana e Vila Real em crescimento

De acordo com um relatório da Administração Regional de Saúde do Norte, o distrito do Porto registou, entre a segunda e terceira semana de novembro, uma diminuição de novos casos de infeção por covid-19. É …