Israelitas criam tecnologia para cultivar “carne de verdade” em laboratório

jennikokodesu

É “carne de verdade”, que “sabe e parece mesmo carne”, mas “sem matar animais”. É assim que uma start-up israelita garante ter descoberto como cultivar carne em laboratório sem ter que magoar animais.

A SuperMeat, empresa criada pelo conceituado engenheiro biomédico da Universidade Hebraica de Jerusalém, Yaakov Nahmias, está a tentar angariar fundos para poder começar a transformar amostras de tecido de galinhas, porcos ou vacas em carne cultivada em laboratório.

A ideia parece maluca, mas esta start-up garante ter chegado à fórmula perfeita para esse efeito graças a uma tecnologia que “permite expandir células isoladas de um pequeno tecido retirado numa biopsia sem magoar o animal”, explica Nahmias.

A empresa já conseguiu angariar, numa campanha de recolha de fundos no site de crowdfunding Indiegogo, mais de 100 mil dólares, cerca de 90 mil euros, e espera agora chegar à marca dos 500 mil (acima de 450 mil euros), tudo para conseguir criar a primeira máquina para cultivar carne.

Carne Cultivada em LaboratórioO objectivo é que, em Janeiro de 2018, o primeiro protótipo esteja a funcionar em pleno. E depois disso, será possível colocar “máquinas de fazer carne” em supermercados ou restaurantes e até nas casas das pessoas, declaram os responsáveis desta start-up.

A tecnologia que permitirá ter esta “carne cultivada” ou “carne in vitro” usa “técnicas de engenharia de tecidos refinadas da medicina regenerativa”, pode ler-se no Indiegogo.

O processo começa com a retirada de um pequeno tecido do animal.

“Organizamos estas células em tecidos minúsculos e colocamos-las num ambiente único desenhado para imitar perfeitamente a fisiologia animal, permitindo a esses pequenos tecidos crescerem organicamente para grandes músculos, essencialmente como acontece na natureza”, explica o professor.

“As células são enriquecidas com nutrientes que as ajudam a prosperar e a dividir, crescendo para um pedaço de carne animal pronto a comer”, acrescenta.

O projecto tem potencial para poder vir a revolucionar a indústria da carne, apresentando como grande argumento para a sua importância, além de não provocar sofrimento animal, o facto de ajudar a proteger o ambiente, pois não usa recursos como terra e água e não liberta gases prejudiciais para a atmosfera.

Além disso, a start-up israelita alega que pode ajudar a resolver o problema da fome no mundo e que a carne cultivada é mais saudável do que a carne convencional porque se pode “supervisionar a produção”.

E também é “mais barata“, nota-se, porque alimentar e criar milhões de animais sai muito mais caro.

Uma técnica semelhante a esta também já tinha sido desenvolvida por investigadores da empresa Memphis Meats.

Tal como Yaakov Nahmias, os responsáveis desta tecnologia acreditam que é “um tipo de carne mais seguro, saudável e sustentável”.

SV, ZAP

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Alguém se vai lembrar de “cultivar” amostras humanas.. e daí ao canibalismo legalizado.. ui ui ui.. depois vao haver os ressacados que perderam o acesso às máquina e ao seu “shot” diário de carne humana “cultivada” e que vão querer saciar os seus apetites. Eu sei.. é rebuscado.. MAS.. eticamente esta tecnologia será sempre controversa.

Coreia do Norte anuncia "teste muito importante" em local de lançamento de mísseis

A Coreia do Norte anunciou ter realizado um "teste muito importante" no local de lançamento de mísseis de longo alcance, defendendo que terá um efeito fundamental na futura posição estratégica do país. A Agência Central de …

Balas que assassinaram John F. Kennedy preservadas em modelo 3D

A partir do próximo ano, os Arquivos Nacionais dos Estados Unidos vão disponibilizar, no seu catálogo online, imagens 3D das balas que assassinaram o antigo presidente norte-americano John F. Kennedy. Para criar os modelos das …

Pela primeira vez, neurónios artificiais foram criados para curar doenças crónicas

Uma equipa de investigadores conseguiu recriar as propriedades biológicas dos neurónios em chips, que podem ser úteis ajudar na cura de doenças neurológicas crónicas. Naquele considerado um feito única na ciência, investigadores da Universidade de Bath …

Cientistas encontram uma relação negativa "muito forte" entre inteligência e religiosidade

Uma equipa de investigadores sugere que pessoas religiosas tendem a ser menos inteligentes do que pessoas sem crenças religiosas. O estudo tem gerado uma grande controvérsia. A religião é um tema forte, capaz de juntar ou …

Descoberta nova espécie de tubarão pré-histórico que podia chegar aos sete metros

Uma nova espécie de tubarão pré-histórico foi descoberta no Kansas, nos Estados Unidos. Este predador podia crescer até quase sete metros de comprimento. De acordo com a revista Newsweek, Kenshu Shimada, da Universidade DePaul, e Michael …

Conhecido medicamento para diabetes pode conter um carcinógeno

A Food and Drug Administration, agência federal e reguladora do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, está a testar amostras de metformina, um medicamento para diabetes que pode conter o carcinógeno N-Nitrosodimetilamina …

Nobel da Física diz que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra

Didier Queloz disse, este sábado, estar convencido de que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra, razão pela qual está "zangado" com alguns argumentos do cofundador da Tesla, Elon Musk. Os suíços …

Ford está a reciclar palha de café do McDonald's. Quer transformá-la em peças de carro

https://vimeo.com/377768195 A Ford está a fabricar peças de carro através de palha de café reciclada do McDonald's. A iniciativa contribui para a redução da pegada ecológica e do desperdício alimentar. O combate às alterações climáticas cabe um …

Comité da ONU preocupado com condições das prisões em Portugal

As condições de detenção, a sobrelotação das prisões, o alegado uso da força e outros abusos contra pessoas pertencentes a grupos raciais e étnicos são as principais preocupações do Comité da ONU contra a Tortura …

Cientistas identificaram organismo que prospera ao comer meteoritos

O micróbio Metallosphaera sedula tem uma propensão para comer minerais. E não estamos a falar de granito ou giz, mas de rochas muito mais especiais como meteoritos. Segundo o Science Alert, uma equipa internacional de cientistas …