Israelitas criam tecnologia para cultivar “carne de verdade” em laboratório

jennikokodesu

É “carne de verdade”, que “sabe e parece mesmo carne”, mas “sem matar animais”. É assim que uma start-up israelita garante ter descoberto como cultivar carne em laboratório sem ter que magoar animais.

A SuperMeat, empresa criada pelo conceituado engenheiro biomédico da Universidade Hebraica de Jerusalém, Yaakov Nahmias, está a tentar angariar fundos para poder começar a transformar amostras de tecido de galinhas, porcos ou vacas em carne cultivada em laboratório.

A ideia parece maluca, mas esta start-up garante ter chegado à fórmula perfeita para esse efeito graças a uma tecnologia que “permite expandir células isoladas de um pequeno tecido retirado numa biopsia sem magoar o animal”, explica Nahmias.

A empresa já conseguiu angariar, numa campanha de recolha de fundos no site de crowdfunding Indiegogo, mais de 100 mil dólares, cerca de 90 mil euros, e espera agora chegar à marca dos 500 mil (acima de 450 mil euros), tudo para conseguir criar a primeira máquina para cultivar carne.

Carne Cultivada em LaboratórioO objectivo é que, em Janeiro de 2018, o primeiro protótipo esteja a funcionar em pleno. E depois disso, será possível colocar “máquinas de fazer carne” em supermercados ou restaurantes e até nas casas das pessoas, declaram os responsáveis desta start-up.

A tecnologia que permitirá ter esta “carne cultivada” ou “carne in vitro” usa “técnicas de engenharia de tecidos refinadas da medicina regenerativa”, pode ler-se no Indiegogo.

O processo começa com a retirada de um pequeno tecido do animal.

“Organizamos estas células em tecidos minúsculos e colocamos-las num ambiente único desenhado para imitar perfeitamente a fisiologia animal, permitindo a esses pequenos tecidos crescerem organicamente para grandes músculos, essencialmente como acontece na natureza”, explica o professor.

“As células são enriquecidas com nutrientes que as ajudam a prosperar e a dividir, crescendo para um pedaço de carne animal pronto a comer”, acrescenta.

O projecto tem potencial para poder vir a revolucionar a indústria da carne, apresentando como grande argumento para a sua importância, além de não provocar sofrimento animal, o facto de ajudar a proteger o ambiente, pois não usa recursos como terra e água e não liberta gases prejudiciais para a atmosfera.

Além disso, a start-up israelita alega que pode ajudar a resolver o problema da fome no mundo e que a carne cultivada é mais saudável do que a carne convencional porque se pode “supervisionar a produção”.

E também é “mais barata“, nota-se, porque alimentar e criar milhões de animais sai muito mais caro.

Uma técnica semelhante a esta também já tinha sido desenvolvida por investigadores da empresa Memphis Meats.

Tal como Yaakov Nahmias, os responsáveis desta tecnologia acreditam que é “um tipo de carne mais seguro, saudável e sustentável”.

SV, ZAP

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Alguém se vai lembrar de “cultivar” amostras humanas.. e daí ao canibalismo legalizado.. ui ui ui.. depois vao haver os ressacados que perderam o acesso às máquina e ao seu “shot” diário de carne humana “cultivada” e que vão querer saciar os seus apetites. Eu sei.. é rebuscado.. MAS.. eticamente esta tecnologia será sempre controversa.

RESPONDER

Em apenas três anos, a Austrália perdeu um terço dos seus coalas

A seca, os incêndios florestais e a desflorestação na Austrália levaram o país a perder um terço dos seus coalas nos últimos três anos. A Austrália perdeu cerca de 30% dos seus coalas nos últimos …

Há modelos matemáticos que preveem se uma música vai ser viral — os mesmos utilizados com a covid-19

O uso de modelos matemáticos para antecipar o nível de sucesso de uma música pode começar a ser usado, a partir da publicação do presente estudo, por artistas e editoras para melhorar o desempenho dos …

Alemanha. Funcionário de posto de combustível abatido a tiro por cliente que se recusou a usar máscara

Um homem de 49 anos matou um funcionário de um posto de combustível na Alemanha, após tentar comprar cerveja sem utilizar a máscara. No país, o uso deste equipamento de proteção é obrigatório para entrar …

Um violino gigante flutuou no Grande Canal de Veneza (ao som de Vivaldi)

No passado fim de semana, um violino gigante, com quase 12 metros de comprimento, desceu o Grande Canal de Veneza. A bordo estava um quarteto de cordas, que tocou Four Seasons de Vivaldi. O Noah's Violin …

Assembleia de credores aprova recuperação da Groundforce

Esta quarta-feira, os credores da Groundforce aprovaram a recuperação da empresa. Em causa está uma dívida de 154 milhões de euros. Os credores da Groundforce, reunidos esta quarta-feira em assembleia de credores, no tribunal de Monsanto, …

Europeus acreditam numa "guerra fria" entre os EUA e a China e Rússia

A maioria dos cidadãos da União Europeia (UE), 62%, considera que os Estados Unidos (EUA), com apoio das instituições comunitárias, estão numa nova "guerra fria" com a China, mas recusam envolvimento nacional, revelou um inquérito …

Desenho de Van Gogh esteve guardado mais de 100 anos. Agora, é exibido pela primeira vez

O Museu de Amesterdão, nos Países Baixos, ganhou um novo inquilino: Study for 'Worn Out', um desenho recém-descoberto de Vincent van Gogh. O holandês Vincent van Gogh ainda continua a impressionar o mundo inteiro com a …

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã, com receio de que os avanços dos últimos 20 anos tenham sido conquistados em vão. A Vice falou com algumas professoras afegãs que garantem continuar …

Apenas um terço das crianças em 91 países tem acesso a uma alimentação adequada, alerta UNICEF

Apenas um terço das crianças com menos de dois anos em 91 países em desenvolvimento têm acesso aos alimentos que necessitam para um crescimento saudável, revelou um relatório da UNICEF, apontando que nenhum progresso foi …

Preços das casas voltaram a aumentar no segundo trimestre

Entre abril e junho, o índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos. A revelação foi feita esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu …