/

Sócrates apresenta requerimento contra “violação evidente” do segredo de justiça

4

José Goulão / Flickr

Ex-primeiro ministro e líder do PS, José Sócrates

Ex-primeiro ministro e líder do PS, José Sócrates

A defesa do ex-primeiro-ministro José Sócrates anunciou que vai entregar um requerimento no Ministério Público contra a alegada violação do segredo de justiça, apontando um caso em que considera ter sido “evidente”.

A apresentação do requerimento foi divulgada por Pedro Delille, advogado que acompanha João Araújo na defesa de José Sócrates, depois de reunir com o antigo líder socialista, em prisão preventiva há mais de um mês, no Estabelecimento Prisional de Évora.

Fui notificado hoje, por correio, de um despacho que os senhores jornalistas conhecem desde sexta-feira“, afirmou o advogado, lembrando ter sido questionado na sexta-feira sobre “uma decisão do juiz a indeferir a consulta dos interrogatórios dos outros arguidos”.

“Sexta-feira não houve distribuição de correio e eu recebi, hoje só, um correio a que os jornalistas, pelos vistos, tiveram acesso sexta-feira”, sublinhou.

Segundo Pedro Delille, “neste caso houve uma violação do segredo de justiça evidente“.

“Tornou-se também evidente que ela só pode ter vindo do tribunal ou do Ministério Público, não pode ter vindo de nenhum dos advogados”, afirmou.

“O que é grave é que, num dia em que não há distribuição de correio, os jornalistas saibam diretamente do tribunal, porque veem diretamente do tribunal estes despachos. Nenhum dos advogados no processo pode ter tido acesso a ele, porque não foram notificados, porque não houve distribuição de correio na sexta-feira”, sublinhou.

De acordo com o advogado, José Sócrates “está muito preocupado com esta possibilidade que há de o tribunal ou Ministério Público diretamente facultarem elementos em segredo de justiça antes dos próprios advogados dos arguidos terem conhecimento deles”.

Pedro Delille referiu que renuiu hoje com José Sócrates para “ultimar” o requerimento, que poderá ser entregue na terça-feira.

A 25 de novembro, um dia após ter sido decretada a prisão preventiva de José Sócrates, o Ministério Público anunciou a abertura de um inquérito a eventual violação de segredo de justiça no âmbito da “Operação Marquês”.

O advogado disse, por outro lado, que “ainda não teve resposta” a um requerimento feito “há mais de 15 dias” para o ex-primeiro-ministro ser ouvido de novo.

José Sócrates está preso preventivamente no Estabelecimento Prisional de Évora por suspeita de corrupção, branqueamento de capitais e fraude fiscal qualificada, num caso relacionado com alegada ocultação ilícita de património e transações financeiras no valor de vários milhões de euros.

A 21 de novembro, o antigo líder do PS e ex-primeiro-ministro foi detido e, após interrogatório judicial, ficou em prisão preventiva, por o juiz considerar existir perigo de fuga e de perturbação da recolha e da conservação da prova.

/Lusa

4 Comments

  1. Libertem já o Menino Socrates, que inocentemente andava a fazer vida de milionario sem ter um tostão furado. Aqueles que tanto o defendem, ainda não os vi ou ouvi a perguntar como é possivel ter vida luxuosa sem ter “chito”. Ou saõ ou andam a fazer dos outros parvos assim como o MAROCAS e a sua comandita. Será que a policia só é incompetente quando mete no “saco” aqueles de colarinho branco ? E os ex-procuradores que mandaram destruir provas? Também não deviam estar engaiolados? Porque será que o fizeram ?

    Srs. das TV´s. Acabem com esse circo mediatico que é o de termos de levar diariamente com o folclore das idas a Évora; mostrem antes a capela dos ossos que é mais didático.

    E quando fôr provado que efectivamente houve as maroscas, quais serão as virgens ofendidas que vão continuar a defender este descalabro ? Ou também vão em peregrinação a Badajoz à oficina onde foi feita a revisão do carro ? Porra, já chega de tanta imbecilidade.

  2. Eu vou fartar-me de rir quando tiverem que libertar o homem por falta de provas e ainda terem que o indemenizar, isto vai durar até que qualquer coisa prescreva, como foi o caso dos submarinos, toda a gente recebeu milhões sem saber porquê, mas corruptos não houve. pois eu digo e afirmo, se é preciso fazer dinheiro, venda-se a assembleia da republica, ainda deve render uns trocos e os politicos poderão reunir no Campo Pequeno que não destoa nada. Pasmo como há pessoas deliciadas, sedentas de sangue, com a baba a escorrer nos cantos da boca com o caso Socrates, como se não tivessem em casa muito pior, mas convem desviar as atenções e o socrates veio mesmo a calhar, até tiveram que antecipar a detenção no aeroporto quando ele vinha de livre vontade para responder a notificação, metem-me todos nojo.
    Chamem-me os nomes que quiserem, mas eu falo assim porque sou politicamente livre e independente.
    Bem… não assim tão verdade, vendo que se tem passado à minha volta sou obrigado a sentir saudades do Antonio Oliveira

  3. Cara Ana
    Como disse alguem que eu fui obrigado a admirar como pessoa, embora abominasse as suas ideias.
    Olhe que não ,,,Olhe que não….

    Desejo-lhe um bom ano 2015, se conseguir-mos. Olhe que não vai ser fácil

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE