Sócrates acusa MP de campanha criminosa e acusações estapafúrdias

José Coelho / Lusa

-

“O MP está a fazer uma espécie de revisionismo histórico, que esbarra com a verdade. Tudo isso é falso”

O antigo primeiro-ministro José Sócrates considerou este domingo que o Ministério Público (MP) agiu com “motivação política” na ‘Operação Marquês’, criticando também a sua atuação nos casos das rendas da EDP e das viagens ao Euro2016 pagas pela Galp.

Falando aos jornalistas à entrada para um almoço em Lisboa, José Sócrates disse ainda ser “falso” que tenha sido Ricardo Salgado, antigo presidente do BES, a indicar-lhe o nome de Manuel Pinho para ministro da Economia quando ele assumiu a chefia do governo socialista.

José Sócrates acusou o MP de fazer uma campanha “criminosa” na comunicação social, ao divulgar uma declaração “falsa” que terá sido produzida em sede de inquérito por José Maria Ricciardi, primo de Ricardo Salgado e antigo presidente do BES Investimento (BESI).

“O MP está a fazer uma espécie de revisionismo histórico, um revisionismo que esbarra com a verdade. Tudo isso é falso“, disse Sócrates, observando que quando conheceu Manuel Pinho este já colaborava com o PS, pois fazia parte do grupo de economistas que colaboravam com Ferro Rodrigues, quando este era líder do partido.

“Quando eu o conheci, já ele era próximo da direção do PS”, recordou, precisando que conheceu Manuel Pinho através de Ferro Rodrigues e de António Costa, atual primeiro-ministro.

Sócrates assegurou que “nunca teve qualquer conversa com Ricardo Salgado antes de escolher o governo”, dizendo estar até seguro de que antes de ser primeiro-ministro só se encontrou uma vez com Ricardo Salgado, quando era ministro do Ambiente.

“Depois de ser primeiro-ministro, encontramo-nos meia dúzia de vezes, sempre a pedido dele e na residência oficial do primeiro-ministro. Nunca fui ao BES reunir-me com Ricardo Salgado, não tinha o seu número de telefone, nem éramos íntimos. Não fazíamos parte do mesmo círculo de amigos”, disse Sócrates, alegando que o objetivo do MP é fazer uma “campanha de difamação, dizendo que Sócrates e Salgado eram próximos”.

O antigo primeiro-ministro lembrou ainda que em 2010 o seu governo viu-se obrigado a tomar uma decisão contra os interesses de Ricardo Salgado e do BES, tendo a relação entre ambos “esfriado”.

Miguel A. Lopes / Lusa

-

José Sócrates conheceu Manuel Pinho através de Ferro Rodrigues e de António Costa

Quanto ao processo ‘Operação Marquês’, em que é arguido, Sócrates considerou que o MP comete um “abuso à lei” e atua como se estivesse acima da lei e da Constituição ao “adiar mais uma vez” a conclusão do inquérito que dura já há 48 meses, ou seja, há quatro anos, quando os prazos do Código de Processo Penal são, em seu entender, para serem cumpridos e não meramente indicativos.

Sócrates criticou também o MP por ainda recentemente ter constituído arguidos algumas pessoas com o objetivo de interromper o prazo de prescrição, precisando estar a referir-se a Manuel Pinho e a António Mexia, presidente da EDP, no chamado caso das rendas da EDP.

“Quero recordar que não são rendas nenhumas. Tudo isso foi definido em 2004 e aplicado em 2007 porque era o que constava da lei”, sustentou.

Sócrates criticou o facto de o MP ter tido anos e anos para investigar e só no limite do prazo de prescrição ter decidido transformar algumas pessoas em “suspeitas”, quando as suspeições devem ser “fundamentadas, sustentadas e concretas”.

No caso das viagens pagas pela Galp ao Euro2016, que levou à demissão de três secretários de Estado do atual governo, Sócrates classificou tais suspeições de “absolutamente estapafúrdias e sem o mínimo de sustentação“, observando que quiseram transformar essas pessoas em criminosos porque uma empresa que patrocinava a seleção nacional de futebol os convidou a irem assistir a um jogo de futebol.

“São, portanto, suspeitos de excesso de patriotismo”, ironizou Sócrates, insurgindo-se também contra a possibilidade de a Galp vir a ser também constituída arguida por ter organizado um voo de apoio à seleção e não ter lançado um concurso público entre 10 milhões de portugueses para ver quem devia ir no avião.

Sócrates considerou que, ao lançar tais suspeições (recebimento indevido de vantagem) sobre aqueles convidados da Galp, o MP fere a honra e a decência daquelas pessoas e interrompe uma carreira política, admitindo que o MP esteja a agir com uma “agenda política por trás”, à semelhança do que acontece no processo ‘Operação Marquês’.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Messi substituído e surpreendido

Jogo contra o Lyon não estava a correr bem para o PSG e o treinador Mauricio Pochettino decidiu colocar Lionel Messi no banco de suplentes. O Paris Saint-Germain "sobreviveu" neste domingo - mas já sem Lionel …

“Este senhor é primeiro-ministro? Não, mas vai ser“. Em tempo de autárquicas, Pedro Nuno faz campanha dupla

Pedro Nuno Santos tem aproveitado a campanha autárquica para prosseguir a sua campanha interna. Um dia será sucessor de António Costa e a ocasião é perfeita para ganhar simpatizantes dentro do próprio partido. Entre sexta e …

Pelo menos oito mortos e seis feridos num tiroteio em universidade na Rússia

Pelo menos oito pessoas morreram e seis outras ficaram feridas após um atirador abrir fogo hoje numa universidade na cidade russa de Perm, segundo o Comité de Investigação da Rússia citado pela agência de notícias …

Vulcão nas Canárias em erupção e destrói casas. Cinzas podem chegar à Madeira

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, entrou este domingo em erupção na zona de Las Manchas, depois de mais de uma semana em que foram registados milhares de sismos na região. A …

Cientistas queriam estudar a propagação das borboletas, mas criaram uma matriosca de parasitas

Objetivo dos cientistas era perceber, através da introdução da espécie de borboletas Glanville fritillary qual o seu poder de dispersão numa ilha finlandesa. No entanto, acabaram com um retrato alarmante para todos os investigadores que …

Marcelo encontra-se em Nova Iorque com Presidentes das Maldivas e Peru

O Presidente da República tem agendados encontros bilaterais com cinco chefes de Estado, em Nova Iorque, à margem da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), entre os quais os presidentes das Maldivas e …

Erupção do Fagradalsfjall dura há seis meses. É a mais longa na Islândia em 60 anos

A erupção vulcânica perto de Reykjavik se tornou a mais longa da história da Islândia desde 1960, marcando seis meses de expulsão de gás, pedra e lava no domingo (18). Milhares de espectadores ficaram maravilhados com …

Cientistas foram à procura de matéria escura e acabaram por encontrar energia escura

Uma equipa de cientistas foi à procura de matéria escura e pode ter encontrado energia escura em vez disso. Os investigadores querem ter a certeza que não foi uma casualidade. A energia escura é uma forma …

Role play ao serviço da Ciência. Investigadores fingem ser Neandertais para estudar caça a aves

Uma equipa de investigadores espanhóis decidiu adotar a "dramatização" científica para reconstruir um novo elemento do comportamento Neandertal: a cooperação com os membros do grupo enquanto usa fogo e ferramentas para caçar gralhas no interior …

Estoril 0-1 Sporting | Figueira deu o fruto que saciou o leão

Foi preciso surgir um erro crasso do guarda-redes estorilista (até então a fazer uma belíssima exibição) para o campeão nacional poder respirar de alívio e festejar a quarta vitória na Liga, esquecendo por agora a …