Segundo Orçamento da Esquerda aprovado (com o Papa e a Alice no País das Maravilhas pelo meio)

-

A chamada “geringonça” formada por PS, Bloco de Esquerda e PCP aprovou o seu segundo Orçamento de Estado, depois de um debate parlamentar que contou com acusações e alusões ao Papa e à “Alice no País das Maravilhas” e que não teve intervenção de nenhum dos líderes partidários.

O Orçamento do Estado para 2017 (OE2017) foi hoje aprovado, em votação final global, com os votos favoráveis do PS, BE, PCP, PEV e PAN e os votos contra do PSD e do CDS-PP.

A sessão de encerramento da discussão sobre o OE2017 não contou com a intervenção de António Costa, nem de Pedro Passos Coelho, nem de Catarina Martins, nem de Jerónimo de Sousa, nem de Assunção Cristas.

E foi a ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques, quem encerrou o debate, tratando de realçar as medidas mais emblemáticas do OE2017.

“Podemos afirmar, com provas e números, alguns dos quais bem recentes, que contra o pessimismo de muitos – e o secreto desejo de alguns – cumprimos o Orçamento, sem planos B ou orçamentos rectificativos, e cumprimos, em geral, o que prometemos”, sustentou a ministra.

Maria Manuel Leitão Marques não deixou de lançar umas farpas à oposição, notando que “é da vida que tenham inveja da previsão para o défice orçamental deste ano”.

Acusações e a “Alice no País das Maravilhas”

Antes dela, o Executivo ouviu as duras críticas do PSD pela voz de José Matos Correia, vice-presidente do Grupo Parlamentar social-democrata, que acusou o governo de um “populismo” que sairá caro aos portugueses e o PS de ter apagado o documento com o cenário macroeconómico, elaborado por um grupo de economistas liderados por Mário Centeno, do site do Partido.

Pelo meio ainda citou uma conversa do livro “Alice no País das Maravilhas”, para ilustrar que o governo não sabe para onde quer ir com este Orçamento, e falou do caso CGD como um “case study de incompetência” e de “desrespeito pelo estado de direito”.

No mesmo tom crítico, a deputada do CDS-PP Cecília Meireles defendeu que o Orçamento é uma “nova austeridade dissimulada”, acusando PCP e BE de mudarem sentidos de voto na discussão na especialidade depois de telefonemas do Governo.

Este “é o Orçamento da nova austeridade, é uma austeridade dissimulada que mantém todos os aumentos de impostos do início do ano, inventa vários outros, e que por cada medida avulsa de apoio lá encontra duas para ir buscar dinheiro à classe média e ao contribuinte”, disse Cecília Meireles, falando em “barafunda fiscal” e no “favorecimento das esquerdas” à custa dos portugueses.

Papa e Trump levados ao debate

Em defesa das medidas do governo, o líder parlamentar do PS, Carlos César, realçou medidas como o aumento real das pensões e do Rendimento Social de Inserção, a eliminação da sobretaxa de IRS, a extensão do abono de família, a promoção da natalidade e os manuais escolares gratuitos para considerar que o OE2017 “mostra que há, e que sempre houve, outro caminho“.

Carlos César também citou o Papa Francisco para atacar o CDS que disse que “até se reclama do radicalismo do amor”, numa alusão a declarações de Assunção Cristas. “Sem a verdade o amor é incapaz de estabelecer um vínculo firme”, salientou referindo ma encíclica papal.

“A disfuncionalidade política da oposição e o seu pavor a qualquer sucesso de agora levam-na a todas as invectivas, como a de desvalorizar, ou até negar, quaisquer progressos comprovados”, afirmou também o líder parlamentar socialista.

Em nome do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares criticou os “extremismos” de PSD e CDS, mas também as “imposições” do Tratado Orçamental e o “extremismo do centro”.

“Se um Trump incomoda muita gente, um Trump e uma Le Pen incomodam muito mais“, considerou o deputado bloquista, frisando o trabalho do Bloco nas pensões e no combate à precariedade no Estado, embora reconhecendo que há ainda “combates” por fazer no futuro, nomeadamente ao nível do IMI e do seu alargamento aos partidos e de uma maior responsabilização dos autarcas nas decisões tomadas.

Pelo PCP, João Oliveira sublinhou o acolhimento de 55 das cerca de 90 propostas de alteração apresentadas pelo PCP, falando de um documento “com novos avanços“, mas “aquém das necessidades e possibilidades do país”.

O líder parlamentar comunista relevou a “marca decisiva” do PCP no aumento generalizado das pensões, entre outras iniciativas, e condenou os “critérios mesquinhos da trica política” da oposição PSD/CDS-PP, que insistem no “desrespeito” por um Governo da República ao apelidá-lo de “geringonça”.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Que pobreza de espírito!
    A oposição ressabiada é só bota-abaixo Nem uma autocrítica sobre a sua política falhada.
    O governo e seus apoiantes parece que têm o rei na barriga só porque devolveram uns cobres à função pública que foram buscar através de aumentos indiretos dos combustíveis, mais uns pós de IMI e aumento da dívida pública. É um governo poucochinho, que não tardará em ficar sem o pou, apenas coxinho…
    Oxalá me engane!

    • Ai é Fernando Sousa? Devolveu uns cobres à função pública? Pois olhe que não devia ter devolvido, pois qualquer dia a função publica passa a dona disto tudo outra vez… Pobres e mal agradecidos é o que a função publica é!
      São os que estão melhor e ainda assim, são os que mais reclamam. Acha que o anterior governo lhes garantia melhor o Tacho?
      No tempo da ditadura estavam caladinhos que nem ratos. Só abriam o bico para dar informações à PIDE. Agora são os que mais reclamam.

RESPONDER

Ligação fluvial entre o Seixal e Lisboa suspensa a partir de hoje (e durante 45 dias)

A Transtejo tinha informado que a ligação fluvial entre o Seixal e Lisboa estaria suspensa a partir desta segunda-feira, por 45 dias, devido a obras, mas será assegurado transporte rodoviário até ao terminal de Almada. “A …

Nagorno-Karabakh. Arménia e Azerbaijão acusam-se mutuamente de violação de novo cessar-fogo

A Arménia e o Azerbaijão trocaram esta segunda-feira acusações pela violação de um novo cessar-fogo acordado no domingo para pôr fim às hostilidades no enclave de Nagorno-Karabakh, que deveria ter entrado hoje em vigor. A Arménia …

Venezuela testou molécula que "anula a 100%" o novo coronavírus

O Presidente da Venezuela anunciou, este domingo, que o Instituto Venezuelano de Investigações Científicas (IVIC) testou com sucesso uma molécula, a DR10, que "anula 100%" o novo coronavírus. "O IVIC testou uma molécula usada para tratar …

Com a bancarrota a caminho, Governo Sócrates vendeu quase 80% dos imóveis públicos

Numa altura em que o país já estava em situação complicada, com o cenário de bancarrota no horizonte, o último Governo de José Sócrates vendeu quase 80% do património imobiliário público em apenas dois anos. Estes …

Na primeira noite de recolher obrigatório em Madrid, houve centenas de festas ilegais e álcool na rua

Na primeira noite de recolher obrigatório em Madrid, foram muitos os que ignoraram as restrições. A polícia espanhola foi obrigada a intervir em centenas de festas ilegais e numa festa ao ar livre com mais …

Casa Branca admite que EUA não poderão controlar pandemia. Biden acusa Trump de ter desistido

A Casa Branca admitiu este domingo que os EUA não poderão controlar a pandemia por ser tão contagiosa, numa mudança à postura de minimização da gravidade da crise, numa altura em que há novos recordes …

GNR obrigada a intervir no GP de Fórmula 1. Bastonário diz que evento foi um "insulto" aos profissionais de saúde

O circuito de Portimão teve de fechar algumas bancadas para garantir o distanciamento dos 27.500 espetadores autorizados pela Direção-Geral de Saúde (DGS). Pelo menos em duas foi necessária a intervenção da GNR. Em comunicado, a GNR …

Governo atira-se ao Bloco de Esquerda. Voto contra é "incompreensível"

Em conferência de imprensa, esta segunda-feira, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, Duarte Cordeiro, afirmou que "o Governo considera incompreensível que não possa contar com o Bloco de Esquerda" para aprovar o Orçamento do …

Chilenos votam de forma esmagadora para substituir Constituição de Pinochet

Os chilenos votaram de forma esmagadora, este domingo, a favor de uma nova Constituição para substituir a herdada da era do ditador Pinochet, num referendo realizado um ano após uma revolta popular contra a desigualdade …

Parques eólicos instalados em terrenos baldios vão passar a pagar IMI

Os terrenos baldios onde sejam instalados parques eólicos destinados a produzir energia elétrica vão perder o direito à isenção de IMI que a lei previa anteriormente para este tipo de imóveis. O Jornal de Negócios adianta …