Santos Silva já fez as pazes com os parceiros da “feira de gado”

O ministro dos Negócios Estrangeiros admitiu que usou uma “liberdade de linguagem que não tem pertinência” e, por isso, pede desculpa a qualquer agente da concertação social que se tenha sentido “melindrado”.

Em declarações ao Público, Augusto Santos Silva reagiu à polémica tornada pública pela TVI, que captou o governante, no jantar de Natal do grupo parlamentar do PS, a comparar a concertação social a uma “feira de gado”.

“Ali o Vieira da Silva conseguiu mais um acordo, pá! Ó Zé António, és o maior… negociante. Grande negociante. Era como uma feira de gado!”, disse o ministro dos Negócios Estrangeiros, aparentemente sem se aperceber da presença das câmaras.

Em questão estavam as negociações do ministro do Trabalho e da Segurança Social, Vieira da Silva, com os parceiros sociais por causa do salário mínimo.

O ministro refere ao jornal que esta declaração foi feita “no âmbito de uma conversa privada com um amigo” e em “tom de brincadeira”.

Santos Silva explica que a frase pretendia “valorizar o resultado de uma negociação” e daí ter usado uma alusão às feiras de gado que, geralmente, são “duras e complexas e que acabam com honradez de ambas as partes”.

Mesmo assim, o governante admite que usou uma “liberdade de linguagem que não tem pertinência” e pede desculpa a qualquer agente da concertação social que se tenha sentido “melindrado”.

Para concluir, o ministro deixa uma palavra de apreço à concertação social, considerando que é “um instrumento fundamental do nosso Estado” e um “dos pilares essenciais da nossa arquitetura constitucional”.

Segundo a TSF, os parceiros sociais dão o assunto por encerrado.

“Não desejamos mas todos nós por vezes temos frases infelizes, foi a vez do senhor ministro. Já pediu desculpa, estão aceites. O que importa relevar é o acordo que foi conseguido”, disse António Saraiva, presidente da CIP.

“Foi de facto uma frase infeliz, num momento que não era formal. O ministro já pediu desculpa, (…) a situação está sanada”, declarou ainda João Machado, da Confederação de Agricultura (CAP).

ZAP //

PARTILHAR

11 COMENTÁRIOS

  1. É lamentável este tipo de comportamento. Não é a primeira vez que profere este tipo de comentários! Este senhor é o tal que disse que gosta de malhar na direita! Enfim…quando temos políticos que dizem bacoradas destas, está tudo dito…mas que falta de respeito pelas pessoas que estiveram a negociar o salário minimo…ao menos ainda pediu desculpa…às vezes nem isso pedem..

  2. “…polémica tornada pública pela TVI, que captou o governante, no jantar de Natal do grupo parlamentar do PS…”
    Num jantar privado não há ” Liberdade de Expressão ” tão apregoada pela Máfia jornalística?
    Reparem neste termo “…captou o governante…” Parece que voltámos à PIDE, aos jornalistas do Estado Novo.

    • Não, minha senhora, é ao contrário!

      No tempo da PIDE é que se um governante tivesse dito uma imbecilidade, em público ou em privado (que não é o caso de um “jantar de Natal do PS”), nunca um jornal ou TV teria podido divulgar as imagens!

      Será que não percebe mesmo, ou a sua cegueira ideológica só lhe permite ver para um lado e distorcer para o outro?

      Liberdade de expressão? Alguém está a impedir o ministro de se exprimir? E que tal a liberdade de informar o povo do tipo de graçolas que os seus governantes exprimem?

      Se tivesse sido um governante do PSD a fazer uma qualquer piada imbecil, estaria aqui a defender que se censurasse a TV que tivesse captado a piadola?

      Não há pachorra para a hipocrisia e falta de honestidade intelectual dos pseudo-defensores da liberdade que só o são quando lhes convém.

  3. Talvez o homem já estivesse com os copos mas começam a ser já vários os casos de membros do PS um pouco passados dos limites, talvez nervosismo a mais! Pode ser que entretanto também passe por uma feira de gado talvez no estrangeiro porque por cá já estão extintas e entretanto fará uma comparação.

  4. Não têm que pedir desculpas aos agentes da concertação social.
    Deveria pedir desculpas a todos os portugueses sem excepção, independente de classes ou cores politicas, declarações destas nada têm a ver com politica, acredito que nenhum partido se revê nelas.
    Nas feiras de gado negoceia-se o valor do gado, nesta negociação estava em causa o salário de trabalhadores, pessoas e não Gado.
    O ministro ofendeu todos os trabalhadores deste pais ao compará-los com gado, é vergonhoso, triste , antidemocrático è ofensa, isto ultrapassa todos os limites sejam eles, políticos, profissionais, democráticos,judiciais e mostra o que poderá ser o dia a dia de quem nos governa independentemente da classe politica, a consideração que têm por quem lhes paga o ordenado.

  5. Não vejo onde está tanta indignação . Não estamos em Portugal, republica das bananas ?
    Este cavalheiro, bruto que nem uma porta ,se tivessemos um primeiro ministro a sério e não a brincar teria sido demitido de imediato e depois temos o Sr.Presidente da Republica que está como ele diz ” lélé da cuca”, caso contrario já o teria mandado demitir, mas recusa-se convenientemente a não comentar. Como alguem atraz comentava, se fosse alguem de um outro partido que nas fossem os BE,PCP e afins, teriamos um autentico terramoto e pedido de demisão, mas como foi este vandalho que as proferiu, estamos todos da Paz do Senhor. Enfim, “empalado” seria pouco.

    • eheheheh como no tempo do salazar que a assembleia parecia uma brigada do reumático? Tenha juizo, na Itália até há bofetada no parlamento e que eu saiba a Itália governa-se melhor que nós..ahh e tem melhores cidadãos

  6. ZAP, quem vos autorizou a usarem o meu endereço de e-mail para um comentário vosso?
    Não sabem distinguir o que é público e o que é privado?
    O profissionalismo anda longe dessa casa. Não tentem repetir!

    • Cara Ana B,
      Não “usámos o seu endereço” para um comentário nosso.
      O email que recebeu é uma notificação automática de que o seu comentário tinha tido uma resposta de um utilizador – função que foi activada há algumas semanas, a pedido de alguns utilizadores, e cuja utilidade tem sido bem recebida.
      Se não quer receber notificações, comente com um email inexistente. O sistema de comentários não a obriga a usar um email verdadeiro.
      Mas, a montante dessa questão, respeite por favor o profissionalismo dos funcionários desta casa.
      Se não lhe merecemos esse respeito, não nos visite por favor.

  7. Admito a possibilidade de estar errado no meu ponto de vista mas, sinceramente, não fiz a leitura que a grande maioria das pessoas fez desta questão.
    Parece-me natural a utilização de termos, expressões ou palavras mais “brejeiras” estando, como foi o caso, num ambiente mais informal, mais descontraído. Com todos nós se passa isso, não haja hipocrisias.
    Não creio que o ministro tenha usado a expressão para diminuir as pessoas, sejam patrões ou trabalhadores, aliás, todos eles aceitaram as desculpas e nem sequer alimentaram a questão ou fizeram “filmes” do assunto. Interpreto mais numa lógica de classificação dos próprios actos e atitudes decorrentes nestas reuniões. Convenhamos (e imagino) que aquilo deve parecer mesmo “uma feira de gado” ou uma “peixeirada”, com os “negociantes” a regatear “preços”, dum lado uns a tentar vender ( a mão de obra) e lutar por mais uns cobres (sindicatos) e do outro, os compradores, a tentarem comprar (a mão de obra) mais barata.

RESPONDER

"Parasitas" vai ter uma série na HBO. E já são conhecidos dois nomes do elenco

A produção sul-coreana de Bong Joon Ho, especialmente condecorada pela Academia, merece agora uma adaptação para a televisão pelas mãos da HBO. A série televisiva de "Parasitas" foi anunciada em janeiro e a produção está encarregue …

O carregador do seu smartphone é mais potente do que o computador da Apollo 11

Não restam dúvidas de que a informática deu um passo gigante em termos de evolução nos últimos 50 anos. Agora, um engenheiro de software descobriu que até mesmo o carregador do seu smartphone é mais …

Tribunal suspende construção da Gigafactory na Alemanha

Um tribunal alemão ordenou à Tesla, este domingo, a suspensão das obras da sua fábrica "Gigafactory" por questões ambientais. Em novembro do ano passado, Elon Musk, presidente executivo da Tesla, anunciou que a Alemanha tinha sido …

Novos semáforos da Índia ficam vermelhos quando os condutores buzinam

A Polícia de Mumbai, na Índia, instalou detetores de ruído em vários semáforos de cruzamentos importantes da cidade, visando reduzir a poluição sonora. Agora, quanto mais os condutores buzinam, mais tempo a luz se mantém …

Polícia de Hong Kong procura autores de roubo de papel higiénico

Um camião que transportava papel higiénico foi, esta segunda-feira, alvo de um assalto à mão armada em Hong Kong, onde a escassez do produto motivou uma corrida ao comércio local. As autoridades informaram que um motorista …

Centeno considera gravações de Varoufakis "politicamente lamentáveis"

O presidente do Eurogrupo considerou, esta segunda-feira, a atitude do antigo ministro das Finanças grego, que gravou reuniões do fórum de ministros das Finanças da zona euro, "politicamente lamentável". "Honestamente, não tenho comentários a fazer sobre …

Elton John obrigado a interromper concerto devido a crise de pneumonia

O cantor britânico foi obrigado a interromper um concerto, na Nova Zelândia, devido a um diagnóstico de pneumonia atípica. No último domingo, o cantor britânico Elton John interrompeu um concerto no Auckland’s Mount Stadium, na Nova …

Tancos. Coronel da GNR nega pacto de silêncio

O ex-diretor de investigação criminal da GNR disse, esta segunda-feira, desconhecer qualquer pacto de silêncio com a Polícia Judiciária Militar que envolvesse a colaboração na investigação do furto das armas de Tancos. Na sessão desta segunda-feira …

Anel de curso perdido nos EUA encontrado 47 anos depois na Finlândia

Um anel de curso de um liceu nos Estados Unidos, perdido em 1973, foi agora descoberto numa floresta da Finlândia. De acordo com o The Guardian, Debra McKenna perdeu o anel de curso do marido em …

Apresentadas mais de 50 queixas contra post de André Ventura sobre Joacine Katar Moreira

A Comissão para a Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR) já recebeu mais de 50 queixas devido à publicação na qual o deputado do Chega sugeria devolver Joacine Katar Moreira ao seu país de origem. Em …