“Tenho muita Pena”. Santana Lopes sai do PSD e cria novo partido liberal

Miguel A. Lopes / Lusa

Ex-primeiro ministro, ex-presidente da câmara de Lisboa e da Figueira da Foz, ex presidente do PSD e do Sporting, ex provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, Pedro Santana Lopes

Pedro Santana Lopes já comunicou à liderança social-democrata que vai sair do PSD e formar um novo partido, decisão que explica numa carta aberta aos militantes.

O histórico social-democrata Pedro Santana Lopes vai mesmo sair do PSD e formar novo partido. Segundo o Observador, a decisão foi comunicada na sexta-feira à tarde, por telefone, ao líder do partido, Rui Rio, e ao secretário-geral, José Silvano.

Santana Lopes põe assim fim a 40 anos de militância no PSD, dos quais guarda recordações de “momentos únicos” e “extraordinários”, mas também de alguma desilusão, sobretudo por sentir que os seus discursos eram ouvidos, mas as suas ideias pouco atendidas.

“Um texto difícil”. É assim que Pedro Santana Lopes começa a carta aberta aos militantes do PSD para se despedir do partido, a que o jornal teve acesso.

Santana Lopes considera que “não faz sentido continuar numa organização política só porque já estamos há muito, ou porque em tempos alcançamos vitórias e concretizações extraordinárias se, no passado e no tempo que importa, no tempo presente, não conseguimos fazer vingar ideias e propostas que consideramos cruciais para o bem do nosso país”.

Entre os exemplos de ideias que defendeu, e das quais “o PSD nunca quis saber”, para a Política Agrícola Comum, a desertificação do interior ou ainda as críticas ao poder “discricionário” de demissão do Governo atribuído ao Presidente da República.

Adeus, menino guerreiro

Recordando o episódio em que foi demitido de primeiro-ministro pelo então Presidente da República Jorge Sampaio, Pedro Santana Lopes reconhece que talvez se devesse ter desfiliado na altura, mas não deixa de apontar o dedo ao PSD.

“Quando destacadíssimos militantes do partido tudo fizeram para que Jorge Sampaio abolisse a maioria parlamentar legítima e estável por motivos que se ‘absteve de enunciar’. Ou, no ano seguinte, quando o PSD impediu a recandidatura à Câmara Municipal de Lisboa que conquistáramos, a pulso, à maioria de esquerda, 4 anos antes”, especifica.

Para o ex-provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, todas estas decisões “graves” têm consequências políticas até hoje.

Sobre a liderança atual, Santana Lopes não poupa Rui Rio, o “pensamento económico ortodoxo” e a “aproximação ao PS”, e lembra os avisos que fez durante as diretas.

“Vinha aí uma estratégia de condescendência para com o PS, para mim, um erro grave. Disse, e repeti, que os militantes deveriam rejeitar a via que, de modo mais ou menos explícito, admitia o Bloco Central”, escreve Santana Lopes, citado pelo Observador.

Elogio a Passos Coelho

Em contrapartida, Santana Lopes elogia Pedro Passos Coelho, de quem diz ser uma “pessoa com grandes qualidades, em vários domínios da vida” e que “como líder político mostrou ser sério, competente, coerente”.

Lembrando que nunca calou “diferenças” com o antigo primeiro-ministro, como “no congresso de 2014 e no dia da resolução do BES”, Santana num patamar de excelência Lopes não deixa de considerar que Passos Coelho “fez um trabalho notável a conduzir o país num período de emergência nacional, tendo conseguido a ‘saída limpa’ que iniciou a recuperação económica”.

Foi a saída de Passos Coelho que fez com que deixasse a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, para se candidatar à liderança do PSD. O novo caminho que agora vai seguir é o de criar uma nova formação partidária liberal, para a qual ainda não tem nome escolhido.

A política deve ser lutar por aquilo em que acreditamos ser o melhor para a comunidade de que fazemos parte. Sonho com um país em que a Cultura, o Ambiente, a Inovação, a Investigação, o Mar, sejam verdadeiras prioridades, orçamentalmente assumidas e, antes disso, assumidas na consciência nacional”, escreve, lançando as primeiras pistas sobre os assuntos pelos quais o seu partido se vai bater.

O objetivo de Santana Lopes é “contribuir para dar força à alternativa de que Portugal precisa para substituir a maioria de esquerda”.

“Quero intervir politicamente num espaço em que não se dê liberdade de voto quando se é confrontado com a agenda moral da extrema–esquerda”, diz Santana Lopes, que se manifestou, por exemplo, contra a liberdade de voto dada por Rui Rio aos deputados do partido na votação sobre a eutanásia.

Pedro Santana Lopes sublinha, ainda, que o caminho que e segue é o que o faz estar de bem com a sua consciência.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Depois de passar a vida a fazer (e a dizer) asneiras, o Santana vai finalmente formar um partido – pela amostra do líder já se está a ver a “qualidade” do partido!…

  2. Não sou do PSD, mas se fosse apenas diria que Santana já vai tarde.
    A sua vaidade e mediocridade provavelmente só encontram paralelo em Sócrates. O menino guerreiro tinha e tem uma grande ambição, mas ela nunca foi acompanhada por especial inteligência, conhecimento, humildade democrática e capacidade de aprender. Fez-me lembrar sempre a fábula da rã que queria ser boi.
    E quanto ao chamado poder “discricionário” de Sampaio, ele deve estar a ver mal e com memória curta. Apenas duas questões: quem o tinha eleito, a nível partidário e nacional, para ocupar a vaga de Durão Barroso? se está tão certo da sua razão, por que motivo é que o povo conferiu nessa altura a maioria absoluta ao PS e o presenteou com uma estrondosa derrota?
    O seu breve consulado caraterizou-se por um exercício de poder entre o penoso e o cómico: amador, errático, sem autoridade e sem capacidade de decisão. Lembro-me bem do fiasco do concurso informático dos professores, dos seus discursos atabalhoados, das pegas dos seus ministros, que considerava tudo primeiras escolhas. E nem um mea culpa. O homem não tem emenda. Só sabe mirar-se ao espelho!

  3. O Santana quer é tacho e estava tão bem instalado na SCML tão dedicada ao bem estar dos portugueses logo a começar pelo viciamento no jogo e a destruição de muitas famílias.

  4. Ai Santana Santana que bem te podes reformar! Depois do teu governo achas mesmo que ainda alguém acredita em ti?!!!

RESPONDER

Afinal comer um ovo por dia é mau outra vez

Afinal, comer um ovo por dia não é assim tão bom para a saúde como estudos recentes sugeriam. O maior consumo de ovos e colesterol pode aumentar o risco de doenças cardíacas e de morte …

Na Colômbia, há um "arco-íris líquido" que é descrito como a 8ª maravilha do mundo

Escondido nos confins da Serra da Macarena, na Colômbia, está o rio Caño Cristales. De dezembro a maio, o curso de água é como outro qualquer, apesar de estar rodeado de um dos ecossistemas mais …

Com uma nova interface neural, a telepatia já é possível

Uma equipa internacional de cientistas deu um passo adiante no desenvolvimento de interfaces neuronais para propor uma interface que envolve a transferência de informação entre as pessoas diretamente. As interfaces cérebro-computador podem melhorar as habilidades individuais …

Bombeiros profissionais ameaçam deixar de prestar serviço voluntário nas corporações

Os bombeiros voluntários das associações humanitárias admitem deixar de prestar serviço voluntário nas corporações, caso a Liga dos Bombeiros Portugueses continue por concluir o acordo coletivo de trabalho, que está em negociação há mais de …

Baleia encontrada morta nas Filipinas com 40 quilos de plástico no estômago

Uma baleia foi encontrada morta na sexta-feira, na costa sudeste das Filipinas, com 40 quilos de plástico no estômago, informou a imprensa local. O cetáceo, uma baleia-bicuda-de-cuvier, apareceu na sexta-feira à beira-mar no município de Mabini, …

Macron convoca reforços após novos confrontos de coletes amarelos

A nova manifestação de "coletes amarelos", no sábado, registou distúrbios violentos na capital francesa. Como resposta, o presidente francês Emmanuel Macron convocou um reforço das forças de segurança. O dia de sábado marcou mais um protesto …

Pedidos de nacionalidade portuguesa aumentaram 50% em dois anos

Nos últimos dois anos, o número de pedidos de nacionalidade portuguesa aumentou cerca de 50%, avança o jornal Público esta segunda-feira. Se em 2016 foram 117.629 os cidadãos estrangeiros que pediram a nacionalidade portuguesa, em 2018 …

Não há democracia na Coreia do Norte? "É uma opinião", diz Jerónimo

Jerónimo de Sousa evitou classificar o regime de Kim Jong-un em termos "de ser ou não ser" uma democracia. A Coreia do Norte é ou não uma democracia? "É uma opinião", respondeu Jerónimo de Sousa. Numa …

Afinal, o esparguete à bolonhesa não existe

Quando se trata de refeições italianas clássicas, a maioria das pessoas pensa em pratos simples como uma pizza Margherita, lasanha e esparguete à bolonhesa. Contudo, segundo Virginio Merola, presidente de Bolonha, em Itália, o esparguete à bolonhesa …

Javalis tomaram o lugar dos coelhos. "Muitos animais estão doentes"

Para já, não há perigo de saúde pública, mas os javalis carregam doenças que podem passar a outros animais. Se antes se matavam mil coelhos, abatem-se agora 10 javalis. Jacinto Amaro, presidente da Fencaça - Federação …