Santana disse a Marcelo que a Aliança confia nele e veio para “viabilizar soluções de Governo”

Mário Cruz / Lusa

Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, acompanhado pelo presidente da comissão instaladora do partido Aliança, Pedro Santana Lopes

Pedro Santana Lopes foi recebido por Marcelo Rebelo de Sousa, a quem disse que a Aliança veio para “viabilizar soluções de Governo”, como “uma força construtiva”.

O presidente da comissão instaladora da Aliança, Pedro Santana Lopes, foi recebido esta quinta-feira pelo chefe de Estado, a quem disse que este novo partido veio para “viabilizar soluções de Governo”, como “uma força construtiva, trabalhando pela afirmativa”.

“Viemos também dizer ao senhor Presidente da República que, como novo partido político, confiamos na pessoa que exerce as funções de chefe de Estado“, adiantou Pedro Santana Lopes, em declarações aos jornalistas, no Palácio de Belém, em Lisboa, no final da audiência com Marcelo Rebelo de Sousa, que durou cerca de uma hora.

Santana referiu-se, a este propósito, ao “ruído que tem havido a propósito de algumas matérias da atualidade, ao nível mais cimeiro desse mesmo Estado”, e deixou uma sugestão: “O chefe de Estado não precisa de dizer com frequência que os portugueses podem acreditar nele. Porque nós estamos convencidos que acreditam mesmo”.

Numa possível alusão ao caso de Tancos, Santana Lopes acrescentou que está a haver “ruído sobre matérias que devem de facto ser entregues às instituições competentes, que terminarão a investigação quando entenderem”, e defendeu que “o Estado tem de viver ao seu nível mais cimeiro de outro modo”.

“Vem aí um ano eleitoral. O país também precisa de um Presidente da República equidistante, entre o Governo, as forças da oposição, porque todos nós nos revemos, naturalmente, na sua alta magistratura, os que votaram nele, os que não votaram”, disse Santana Lopes.

“Mas qualquer país precisa de um chefe de Estado que possa dedicar-se a corpo inteiro às causas mais importantes para esse país”, continuou. Em seguida, considerou que isso “é o que este Presidente da República tem feito e vai continuar a fazer”.

Santana Lopes não esclareceu, no entanto, se o seu novo partido exclui ou não vir a aliar-se ao PS. “O que vai acontecer depois das eleições, veremos. E vamos guardar essa matéria mais para campanha eleitoral”, respondeu.

No entanto, sustentou que o atual primeiro-ministro e secretário-geral do PS, António Costa, “tem a obrigação de dizer, até pelo que se passou há três anos, se vai para eleições querendo governar com esta maioria na próxima legislatura ou não”.

“Dissemos ao senhor Presidente da República que procuraremos ser uma força – eu gostava muito de sublinhar isto – construtiva, trabalhando pela afirmativa”, afirmou, garantindo que vêm “para construir e para procurar favorecer e viabilizar soluções de Governo”.

A Aliança surge “para tentar viabilizar alternativa a esta maioria, mas sem preconceitos”, frisou. “Queremos é ter o melhor resultado possível. E julgo que o senhor Presidente da República – não posso falar por ele – acreditou na nossa firme vontade. Nós não vimos para criar dificuldades, mas para fazer bem ao sistema político português.”

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

No dia anterior à derrocada houve explosões na pedreira de Borba

Um dos sobreviventes da derrocada, que em novembro do ano passado matou cinco pessoas em Borba, garante que na véspera da tragédia "houve explosões e fogo" no fundo da pedreira. Um dos sobreviventes da derrocada de …

As vaquitas estão extinguir-se à nossa frente. Já só há 10 em todo o mundo

A vaquita marinha, o cetáceo mais pequeno do mundo, está à beira da extinção, havendo apenas cerca de dez criaturas vivas, segundo cientistas. O ser humano é o principal responsável pelo seu contínuo desaparecimento. As vaquitas …

A Ciência descobriu quando nasceu Deus

A ideia de um deus todo-poderoso que vigia os humanos a partir do Céu e pune os que se desviam da norma surgiu depois que estes trocaram a tribo pela sociedade. Essa é a principal conclusão …

Famílias numerosas queixam-se de disparidades no preço da água consumida

A Associação Portuguesa das Famílias Numerosas queixou-se da diferença no preço da água consumida consoante o município onde se vive e o número de pessoas do agregado familiar. Na quarta edição do estudo sobre a água …

Costa condiciona extensão do Brexit para além de 23 de maio à aprovação do acordo

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu esta quinta-feira que uma extensão do Brexit para além de 23 de maio implica a ratificação do Acordo de Saída pelo Parlamento britânico ou a realização de eleições europeias no …

Ter avós, tios ou primos com Alzheimer influencia risco de desenvolver a doença

Ter avós, tios ou primos com Alzheimer aumenta a probabilidade de desenvolver a doença, concluiu um estudo recente que avaliou a história familiar de mais de 280 mil pessoas. Na última década, vários estudos indicaram a …

Marcelo Rebelo de Sousa promulgou a nova lei da paridade (mas com alguns parêntesis)

O Presidente da República promulgou a nova Lei da Paridade. A lei estabelece que as listas para a Assembleia da República, para o Parlamento Europeu e para as autarquias locais têm de assegurar a representação …

Cientistas descobrem o que provocou três eras glaciais na Terra

Cientistas estadunidenses calcularam que um evento geológico repetido deu origem às três últimas eras glaciais no nosso planeta, a última das quais ainda mantém o seu gelo nas regiões polares. Segundo a revista Science, a responsável …

A Terra pode guardar um Oumuamua no seu interior

Uma parte da terra que pisamos poderia vir, literalmente, de outras regiões da galáxia - áreas muito distantes do local onde o planeta está localizado e que para chegar até aqui teriam que viajar anos-luz …

Há um planeta mais próximo da Terra do que Vénus

A partir do Sol, a ordem dos primeiros planetas começa com Mercúrio, depois Vénus e depois a Terra. Então, Vénus é o planeta mais próximo do nosso? A resposta é: depende. Uma equipa de cientistas acaba …