Ryanair ganha caso das raspadinhas ao fisco

A filial portuguesa da Ryanair ganhou um processo à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) num tribunal arbitral, conseguindo ver anuladas correções de IVA relativas às raspadinhas vendidas a bordo de alguns voos da companhia irlandesa em 2014, 2015 e 2016.

De acordo com a edição desta segunda-feira do jornal Público, a sucursal da Ryanair em Portugal ganhou um processo arbitral à Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) num caso relacionado com as raspadinhas vendidas a bordo dos aviões, entre 2014 e 2016.

A companhia aérea viu anuladas correções de IVA dessas raspadinhas. Em causa está o facto de os cartões do lotto terem sido vendidos pela casa-mãe da transportadora aérea, em Dublin, na Irlanda, segundo os árbitros nomeados pelo Centro de Arbitragem Administrativa (CAAD).

Segundo o tribunal arbitral, a atividade da filial nacional da Ryanair “está reduzida ao apoio em terra” nos aeroportos de Lisboa, do Porto e de Ponta Delgada (Açores). Na prática, as liquidações de 75,9 mil euros de IVA deverão ser anuladas.

“Sendo o serviço prestado pela Ryanair DAC, em aviões seus e através de tripulantes que têm contrato de trabalho com esta empresa, não há suporte factual para concluir que os seus serviços tenham sido prestados pela sucursal em Portugal, independentemente de esta se poder ou não considerar como um estabelecimento estável”, concluem os árbitros.

Liam Hicky, consultor da Ryanair em Dublin, afirmou que a sucursal não tem aviões, não tem pessoal afeto ao transporte de passageiros – pilotos ou pessoal de cabine – nem instalação fixa em Portugal, lembrando que a própria casa-mãe e a sucursal têm números de IVA diferentes.

No fundo, a sucursal não é o sujeito passivo nestas operações. Além disso, refere o diário, não é por ter declarado aqueles valores (vindo, depois, alegar que o fez por erro, procurando afastar a tributação de Portugal para a colocar no país da sede da multinacional) que passa a poder ser-lhe imputado o imposto.

ZAP //

PARTILHAR

15 COMENTÁRIOS

      • Não nos queres “iluminar” e dizer qual foi o tribunal arbitral e quem foram os arbitros?!
        Tentei descobrir mas ainda não consegui…

        • Terá mesmo que estudar que eu não dou lições grátis. E já agora estude também português porque não encontro em lado algum da notícia que as “raspadinhas” tenham sido vendidas em território português.

          • Pois, pois… é o “argumento” típico dos sabichões – aconselham e ir estudar, mas também não sabem!…
            É… se calhar as rapadinhas foram vendidas em voos entre a Estónia e a Letónia e a AT de Portugal lembrou-se de ir lá cobrar impostos!…
            Faz todo o sentido…

    • Nada disso, só se paga imposto uma única vez, que é no país onde é feito o faturamento, o nosso estado é que gosta de tentar meter a unha em todo o lado

      • E, como é óbvio, o “facturamento” devia ser feito onde é realizada a venda!
        O Estado faz muito bem em “meter a unha” nesses mafiosos da Ryanair porque, além de tratarem os clientes como gado e os funcionários como escravos, andam sempre com esquemas para não pagar impostos!

    • Voltou o maluco…
      Mafioso deves ser tu, que só vês máfias…e por falar em máfias…conheces alguma pior que a Máfia do Governo Português?
      A Máfia do Governo Português quer meter o dedo em tudo mas não é por nós, povo, ou pela evolução seja do que for no país….naaaaa, é que quanto mais entra mais há pra sair, prós bolsos dos do costume claro.
      Abre a pestana, tenho-te dito, andas a dormir e um dia quando acordares já será tarde 😉 Enfim…

      • Sim, sim, anjinho… toda a gente sabe que a Ryanair é uma empresa exemplar…
        E claro que são empresas assim que fazem muito pelos povos e pela evolução… por isso é que foram corridos da Dinamarca!…

      • Por experiência, por trabalhar neste ramo específico, o comum e usual é pagar os impostos na cidade de partida, ou seja tudo o que é vendido a bordo de um avião que sai de Lisboa, Porto, Faro, etc, paga o imposto a Portugal.
        As companhias quando fazem o preço do produto já contam com o maior IVA de que podem sofrer.
        Quer isto dizer que o produto tem preços sem IVA diferentes para cada origem, para o preço de venda ser sempre o mesmo após adicionar o IVA.(assim o menu é igual para todos os voos)

        Eu não acredito que vou dizer isto, mas concordo com o “eu”, este tribunal arbitral baseou-se em algo que não é correto e sem precedentes por interesse de alguns, mas Portugal pode resolver isso de forma simples e estou seguro que o vão fazer, até porque o retail a bordo é um mercado de milhões.
        A própria Europa não tem interesse em que isto não fique resolvido, imaginem todos os estados membros a perder dinheiro com a abertura deste precedente, o próximo passo seria as outras a fazer o mesmo e os governos a perder o cash da easyJet, Vueling, wizzair, air Europa, Norwegian, e outras que fazem vendas a bordo

        • Haja alguém com o mínimo de bom senso (e que fala do que sabe)!
          .
          Não sei de onde vem admiração no facto de comcordarmos (confesso que não decoro os nicks, nem estou assim tão atento a quem discorda das minhas opiniões – e também há outros a utilizar o “meu” nick!), mas, certamente, que estaremos de acordo noutras situações…

  1. E, como é óbvio, o “facturamento” devia ser feito onde é realizada a venda!
    O Estado faz muito bem em “meter a unha” nesses mafiosos da Ryanair porque, além de tratarem os clientes como gado e os funcionários como escravos, andam sempre com esquemas para não pagar impostos!

  2. “aeroportos de Lisboa, do Porto, de São Miguel e de Ponta Delgada (Açores).”
    – São Miguel é o nome da ilha, Ponta Delgada é o nome da cidade situada em São Miguel.
    Portanto aeroportos de “Lisboa, Porto e de Ponta delgada (Açores)*”.

  3. Se o estado tivesse ganho, o passo seguinte, era pôr os tripulantes a pagar IRS aos países de onde partem em cada vôo! Ia ser lindo. Preenchiam 50 declarações por ano. Em nome da ganância, o estado só complica.
    Gostava de saber quantos dos que chamam “mafiosa” à Ryanair, é que costumam viajar nela. Ao menos essa tem bons preços e não me vai ao bolso sem eu poder fazer nada a respeito, se for mal gerida. Ao contrário da TAP, que alguns iluminados decidiram deveria pertencer a todos (ser 50% pública), e agora dá-nos prejuizos de milhões enquanto a respetiva administração se atribui a si própria, bónus chorudos por bom desempenho!

RESPONDER

Sony apresenta o seu primeiro drone, o Airpeak S1

Há algum tempo que a Sony planeava lançar um drone, agora, é oficial. A empresa de tecnologia apresentou um drone chamado Airpeak S1 que será, muito provavelmente, o primeiro de muitos. A Sony anunciou oficialmente o …

Candidaturas a astronauta da Agência Espacial Europeia encerram na sexta-feira

Os candidatos têm de ter, pelo menos, um mestrado e experiência profissional, serem fluentes em inglês e ter mais de 1,30 metros.  O prazo para apresentação de candidaturas a vagas para novos astronautas da Agência Espacial …

Dois meses no escuro. Valentina Miozzo passou a quarentena sozinha no Ártico

A pandemia de covid-19 foi um duro golpe de solidão forçada para a maioria das pessoas, mas para a italiana Valentina Miozzo foi a oportunidade perfeita para usufruir de alguns momentos a sós. A meio da …

Pedras misteriosas provocam "corrida aos diamantes" na África do Sul

Uma verdadeira "febre de diamantes" assolou a vila de KwaHlathi, na província de KwaZulu-Natal, litoral da África do Sul. Centenas de pessoas, com utensílios caseiros a servir de engenhos de mineração, ocuparam um terreno à …

Designer cria um "terceiro olho" para quem vive agarrado ao telemóvel

Um designer industrial sul-coreano criou, recentemente, um “terceiro olho” para ajudar aqueles que, mesmo em andamento, não conseguem tirar os olhos do telemóvel. O designer industrial Minwook Paeng criou recentemente o The Third Eye ('terceiro olho' …

Depois de Ronaldo e da Coca Cola, Pogba imitou-o com a Heineken (e a UEFA podia castigar Portugal e França)

Após Cristiano Ronaldo ter removido duas garrafas de Coca Cola da mesa onde se sentou para uma conferência de imprensa no Euro 2020, foi a vez do francês Paul Pogba ter feito o mesmo com …

Adeptos portugueses proibidos de entrar na "fan zone" de Budapeste

Momento confuso numa zona da capital da Hungria, na véspera do jogo com Portugal, na estreia no Europeu 2020. A Hungria não escapou ao coronavírus mas, entre os países que recebem jogos do Europeu 2020, é …

Mulher recebe quatro certificados de imunidade - e nenhum é válido

O governo da Hungria está a emitir cartões que garantem que determinada pessoa, na teoria, é imune ao coronavírus. Mas nem tudo corre bem. A vida nas ruas da Hungria é diferente do que se vive …

Novo vídeo mostra morcegos vivos em laboratório de Wuhan (e adensa o mistério sobre a origem da pandemia)

Para já, é possível afirmar que o consenso científico aponta para a origem zoonótica do novo coronavírus, que confirma a versão chinesa de que o patógeno passou de morcegos para um animal e desse para …

Canal 11 anuncia jogos que não transmite (e avisou 5 minutos antes)

Sucedem-se os casos de jogos de futebol que, apesar de estarem inseridos na programação oficial do canal, não são transmitidos, ou são transmitidos noutro dia. Último caso aconteceu em Varzim. O Canal 11 revolucionou a transmissão …