Rio e Ventura são “líderes autocráticos” (e essa é “a única possibilidade” de aproximação entre PSD e Chega)

“Onde está o meu partido?” Paula Teixeira da Cruz junta-se às vozes críticas do acordo firmado entre o PSD e o Chega nos Açores. A ex-ministra do Governo de Passos Coelho considera que “empobrece o PSD” e diz que a única semelhança entre os dois partidos está nos seus “líderes autocráticos”.

Paula Teixeira da Cruz apela, tal como o ex-ministro social-democrata Jorge Moreira da Silva, a um congresso extraordinário para efectuar “uma clarificação face ao que ocorreu nos Açores”, mas também para fazer “uma clarificação sobre o que se nos depara no continente”, conforme declarações à Rádio Renascença.

“Quero saber para onde vai o meu partido e quem é o meu partido nesta altura”, acrescenta a antiga ministra do Governo PSD.

Paula Teixeira da Cruz entende que “o PSD renegaria as suas raízes se fizesse – como está a fazer – um acordo [com o Chega], quer nos Açores, quer o que se prepara para fazer em Portugal continental”. “Tudo isto empobrece o PSD, limita o PSD. Onde está o meu partido?”, salienta ainda.

A ex-vice-presidente do PSD nota que o “ADN social-democrata” impede qualquer proximidade com o Chega.

Para ela, “a única possibilidade de reunião que há entre os dois partidos” é pelo facto de terem “líderes autocráticos que, como líderes autocráticos que são, pensam que tudo é possível”.

Uma situação que considera “lamentável”, realçando que o PSD não é “um partido livre” neste momento.

“Sempre fomos um partido livre, não é agora que nos vão tirar essa liberdade”, conclui, porém, Paula Teixeira da Cruz.

Em declarações ao jornal Sol, a ex-ministra já tinha dito que “não faz sentido ter uma aproximação com um partido que já teve a pena de morte no programa e que tem, neste momento, a prisão perpétua no programa”.

Os princípios não se sacrificam e é isso que acontece neste momento. Não vale a pena a conversa de que o Chega vai mudar. O Chega não vai mudar nada porque, se mudar, desaparece”, referiu ainda Paula Teixeira da Cruz ao Sol, concluindo que o Chega “nada tem ideologicamente a ver com o PSD” e que “por alguma razão André Ventura saiu do partido”.

A ex-ministra também criticou Rio nessa entrevista ao Sol, salientando que o líder do PSD convidou os críticos a deixarem o partido.

“O PSD tem vindo a seguir uma via que eu diria muito pouco democrática, mesmo relativamente aos seus próprios militantes”, atirou.

Ex-candidato à presidência do PSD defende Rio

Em sentido contrário, o ex-candidato à liderança do PSD, Miguel Pinto Luz, refere que a política de alianças com o Chega foi tema da campanha interna de Janeiro passado e apela a que não se propague o “discurso do adversário”.

Questionado pela Lusa sobre a proposta lançada pelo ex-ministro Jorge Moreira da Silva de um congresso extraordinário no PSD, na sequência do acordo com o Chega para viabilizar uma solução governativa nos Açores, o vice-presidente da Câmara de Cascais defende  que tanto ele como Rui Rio foram claros sobre este tema.

“Recordo os mais distraídos que nas últimas eleições o tema de potenciais alianças com o Chega foi discutido, ninguém pode acusar o dr. Rui Rio de não ter sido suficientemente claro sobre este tema. Eu fui claro. Rui Rio foi claro”, afirma Pinto Luz.

“Sejamos honestos, o que incomoda muitos dos que acordaram agora para esta discussão é que Rui Rio está hoje mais próximo de continuar a liderar o PSD e isso baralha o calendário de muitos”, afirma ainda.

Sem se referir directamente a Moreira Silva, Pinto Luz lamenta ver companheiros que respeita a “interiorizar e propagar o discurso do adversário”.

“Esta é uma hora de enorme responsabilidade para o PSD nos Açores, herdámos uma região com uma grave crise financeira e social num contexto agravado pela pandemia. Deixemos a política partidária e apoiemos José Manuel Bolieiro na difícil tarefa que vai ter pela frente para bem de todos os açorianos”, considera.

O autarca sublinha que foi “o primeiro no PSD a tomar uma posição pública, clara e objectiva sobre a política de alianças no centro-direita”.

“Fi-lo em contexto abstrato e de pensamento estratégico para a minha família política. Actualmente, vivemos uma situação concreta e decisiva para o futuro dos açorianos e qualquer tentativa de angariar ou dividir protagonismo, com quem de facto deve decidir, é um exercício de vedetismo ou vaidade em que não estou interessado”, acrescenta.

Quando foi candidato à liderança do PSD, Pinto Luz admitiu disponibilidade para formar alianças com qualquer partido representado no parlamento, incluindo o Chega.

Pinto Luz referiu, então, não fazer sentido que o primeiro-ministro e líder do PS, António Costa, faça alianças com a “esquerda radical” e que o PSD se “auto-limite” na sua capacidade de poder dialogar no centro-direita.

Moreira da Silva, antigo vice-presidente do PSD, defende a realização de u um congresso extraordinário para clarificar a estratégia de “coligações e entendimentos”, atacando a “traição” aos valores do partido pela solução governativa nos Açores.

 

ZAP ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

FC Porto 1-0 Guimarães | Dragão já vê Sporting no horizonte

O Porto venceu no fecho da 28ª jornada da Liga NOS pela margem mínima, na recepção ao Vitória SC, e conseguiu o principal objectivo, que passava por somar os três pontos e reduzir para quatro …

Italiano faltou ao trabalho durante 15 anos, mas ganhou quase 600 mil euros

Um funcionário de um hospital no sul de Itália recebeu o salário durante 15 anos, apesar de nunca ter aparecido para trabalhar. De acordo com a polícia italiana, citada pela cadeia televisiva CNN, Salvatore Scumace está …

Google ficou sem o domínio na Argentina (e Nicolás achou que ia ser o novo dono)

Na última quarta-feira, um jovem argentino achou que ia ficar rico à custa da distração da Google no seu país. Acabou por não acontecer e tudo ficou resolvido. "Que pague a dívida externa", "que compre vacinas", …

Lola, a robô humanóide, dá "passos de bebé" (e equilibra-se com as mãos)

Uma equipa de cientistas está a ensinar a robô humanóide Lola a dar "passos de bebé", equilibrando-se com as suas mãos em vários pontos de contacto. Há muito tempo que os investigadores estudam a locomoção de …

Presidente da República veta decreto sobre inseminação post mortem

O Presidente da República vetou, esta quinta-feira, o decreto do Parlamento sobre inseminação post mortem, considerando que suscita dúvidas no plano do direito sucessório e questionando a sua aplicação retroativa. Na mensagem dirigida à Assembleia da …

Primeiro-ministro francês está a receber centenas de peças de lingerie no correio

O primeiro-ministro francês tem estado a receber roupa interior feminina na sua caixa de correio. Foi a forma encontrada pelas lojas de lingerie para protestarem contra as restrições da pandemia que as obrigam a estar …

Inteligência artificial "identifica" autores dos Manuscritos do Mar Morto

Investigadores da Universidade de Groningen, nos Países Baixos, recorreram à inteligência artificial para concluir que os Manuscritos do Mar Morto foram redigidos por vários escribas, o que abre uma "nova janela" para o estudo do …

Inteligência Artificial vai ajudar a identificar fontes de poluição no Bangladesh

A produção de tijolos é uma fonte de poluição que ameaça a saúde da população e do planeta, mas regular esta indústria pode ser uma tarefa difícil para as autoridades. Para resolver o problema, uma …

Portimonense 1-5 Benfica | "Águia" arrasa em solo algarvio

O Benfica regressou aos triunfos depois de ter vencido o Portimonense por 5-1, numa partida relativa à 28.ª jornada da Liga NOS, após o desaire registado na recepção ao Gil Vicente.  Porém, não foi um duelo …

Vigaristas burlaram mulher de 90 anos em 32 milhões de dólares

Uma mulher de Hong Kong, de 90 anos, foi defraudada em 32 milhões de dólares por burlões que se fizeram passar por agentes policiais chineses, via chamada telefónica. A Agence France-Presse (AFP) escreve que um jovem …