Uma enorme descida de impostos. Rio promete redução de IRS e IVA a 6% na energia

Rui Farinha / Lusa

Rui Rio anunciou esta sexta-feira, no Porto, uma série de medidas fiscais que serão incluídas no programa eleitoral do PSD. A redução de escalões do IRS e a diminuição do IVA no gás e na eletricidade para 6% são algumas das medidas de maior destaque.

Numa conferência de imprensa no Porto, o líder dos sociais-democratas fez várias promessas a nível fiscal que serão incluídas no programa eleitoral do PSD para as próximas eleições. Rui Rio propõe uma redução do IVA da eletricidade e do gás, passando dos atuais 23% para 6%, alertando que Portugal é “um dos países da União Europeia com a energia mais cara”.

Prometeu ainda baixar o IRS a salários até 3 mil euros. Segundo o Observador, o líder laranja apelou a uma redução de taxas nos escalões intermédios do IRS, ao aumento das deduções com educação e a um forte incentivo fiscal à poupança das famílias. Para a classe média/alta não há alterações de alívio previstas.

“A carga fiscal em Portugal atingiu o máximo com a governação de toda a história de Portugal. Nunca os portugueses pagaram tantos impostos”, reiterou Rio, citado pelo jornal Expresso. O social-democrata definiu as empresas como o seu principal foco, mas não descurou da atenção dada às famílias.

Para Rui Rio, a classe média foi “a que sofreu mais com a troika” e que, por isso, é importante demarcar a diferença em relação às políticas financeiras de António Costa. O Partido Social-Democrata quer, progressivamente, devolver 3,7 mil milhões de euros em impostos à economia.

Quanto ao IRC, Rio quer já baixar a taxa em dois pontos percentuais no próximo ano e outros dois pontos em 2021, chegando aos 17%. Isto permite uma recuperação de 1,9 mil milhões de euros em impostos para as empresas. O social-democrata já tinha deixado a promessa de reduzir a carga fiscal na próxima legislatura, caso vencesse as eleições.

“Uma estratégia económica para melhores empregos e melhores salários, assente nas exportações e no investimento, aumento do investimento público face àquilo que tem vindo a ser com a governação do PS e redução da carga fiscal“, disse, terça-feira, a discursar em Lisboa.

Para Rio é fundamental “apoiar as empresas principalmente as que exportam e as que investem, e são principalmente as pequenas e médias empresas que podem podem dar melhores empregos e melhores salários”.

O IMI, que o líder social-democrata batizou de “imposto Mortágua” e sugeriu ser inconstitucional, também será reduzido caso o PSD vença as eleições. Assim sendo, a taxa mínima do IMI seria baixada de 0,3% para 0,25%.

“Falha ali quase tudo”, reage Centeno

Em entrevista ao jornal Público, o ministro das Finanças admite estar a ajudar na preparação do programa eleitoral socialista, um documento que, segundo Mário Centeno, está preparado para rever em alta a previsão de crescimento da economia este ano.

Neste âmbito, Centeno aproveita para fazer uma crítica violenta ao cenário macro-económico que Rui Rio apresentou esta semana como base do programa do PSD às legislativas de outubro.

Para o ministro de António Costa, o problema não é a previsão de um crescimento do PIB de 2,7%: no que diz respeito à “razoabilidade orçamental, do pouco que sabemos falha ali quase tudo“.

“Há ali o habitual milagre do corte da despesa que levanta alguma dúvidas, em particular no que respeita aos consumos intermédios. Há uma dimensão enormíssima dessa despesa que é precisamente na Saúde. Portanto é preciso saber onde é que esses cortes são feitos. E a mesma coisa é verdade para as despesas com pessoal e prestações sociais”, atira Centeno.

Questionado sobre se o programa do PSD é irrealista do lado do corte da despesa, Mário Centeno responde: “a evolução da receita pode sempre ser legislada. Se se cortar as taxas de IRS e de IRC, a evolução da receita é aquilo que se quer. Mas do ponto de vista da despesa é preciso ter respostas“.

Sobre a sua continuidade num próximo Governo, o ministro das Finanças deixa apenas pontas soltas. “O Mário Centeno não deixa nenhum legado, ainda tem muitos anos de vida ativa. Seja como ministro das Finanças ou não.” Mas é a António Costa “que cabe anunciar o que quer que seja.”

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. A geringonça comunista é que tem mantido os impostos altos e destruído a classe média. Impostos altos num Estado pesadão infestado de chupistas e mandriões. Para além de baixa de impostos é preciso reduzir o número de deputados na A. R. para ver se os comunistas de lá desaparecem e vão cavar batatas. Nas europeias já levaram um boa cacetada e em Outubro vão levar mais.

      • Foram os primos xuxas bancarrota que forçaram a tal para haver dinheiro para o estado funcionar, sabias ou já lavaste o passado com lixivia a ver se desgrunha tal borrada xuxa caloteira?

  2. O Passos e o Costa não fizeram promessas na campanha pois era muito provável o incumprimento. Rio voltou à política antiga das promessas, mas penso que o povo já não acredita no pastor que alerta para os lobos. Rio só ganha se prometer 35 horas para o privado. Promessas de dinheiro não são credíveis em Portugal.

  3. Afinal não baixou o IVA nem no Gás nem na Luz. A promessa era baixar o IVA no aluguer dos contadores até 3,45 kVA e no escalão 1, a partir de 1 de Julho. Mentira !!! Nada baixou !!!

RESPONDER

Alemanha expulsa dois diplomatas russos. Rússia vai tomar medidas

Dois diplomatas russos, acusados pelo Ministério Público alemão de falta de cooperação na investigação de um homicídio, foram expulsos da Alemanha. A Rússia já reagiu e avisou que tomará medidas. Esta quarta-feira, a Alemanha expulsou "com …

Segurança Social demora quase cinco meses a pagar pensões

Em 2018, os beneficiários da Segurança Social tiveram de esperar, em média, 147 dias - cerca de cinco meses -, entre o dia que se aposentaram e o momento que começaram a receber a pensão …

Empresas fechadas e 28 mil despedimentos. Setor têxtil pode atravessar crise

Até 2025, a indústria têxtil em Portugal pode ver um terço das empresas a fecharem e 28 mil trabalhadores a serem despedidos. Este é o pior cenário equacionado no setor nos próximos anos. O setor da …

Ministério Público arquiva queixa de Aguiar-Branco contra Ana Gomes por difamação

Aguiar Branco tinha levantado um processo de difamação a Ana Gomes por declarações sobre alegadas ligações entre o seu escritório de advogados e o grupo Martifer. O Ministério Público (MP) arquivou a queixa apresentada pelo ex-ministro …

66 louvores a funcionários. Centeno é o ministro mais "agradecido" de todo o Governo

Mário Centeno e os seus secretários de Estado publicaram em Diário da República 66 louvores. O seu gabinete garante que não há qualquer significado político associado - nem mesmo uma despedida anunciada. O louvor é dado …

Os glaciares da Nova Zelândia estão a mudar de cor

À medida que o Hemisfério Sul entra no verão, acontece uma temporada catastrófica de incêndios florestais na costa leste da Austrália. Há casas destruídas, coalas a morrer e um fumo espesso que cobre o estado …

Não se irrite. Fisco vai comunicar de forma mais clara

A Autoridade Tributária e Aduaneira vai lançar um serviço de apoio e defesa ao contribuinte que usará uma linguagem mais simples e clara. A alteração é inspirada num modelo britânico. A Autoridade Tributária e Aduaneira vai …

Juiz Rui Rangel justificou ganhos com direitos de autor de programa televisivo

O juiz afirmou, perante o plenário do Conselho Superior da Magistratura, que os ganhos fora da magistratura correspondiam a direitos de autor de um programa na televisão. O juiz Rui Rangel, que foi demitido da magistratura esta …

Governo faz ultimato: empresas têm 30 dias para regularizar fundos europeus parados (ou devolver dinheiro)

O Governo vai dar 30 dias para que as empresas que têm fundos comunitários parados regularizem a situação. Findo esse período, terão de devolver o dinheiro. José Mendes, secretário de Estado do Planeamento, garantiu, em entrevista …

Pelo menos 58 mortos em naufrágio ao largo da Mauritânia

Pelo menos 58 pessoas morreram, esta quinta-feira, num naufrágio ao largo da costa da Mauritânia. Pelo menos 58 migrantes morreram num naufrágio ao largo da costa da Mauritânia, anunciou a Organização Internacional para as Migrações (OIM). …