Ricciardi recusa responsabilidade na queda do impérito e acusa Salgado

(td) Isabelmariapinto / Wikimedia, sinanyuzakli / Flickr

José Maria Espírito Santo Silva Ricciardi, Presidente do BES Investimento

José Maria Espírito Santo Silva Ricciardi, Presidente do BES Investimento

O presidente do Banco Espirito Santo Investimento (BESI), José Maria Ricciardi, responsabilizou o primo Ricardo Salgado pela queda do império Espírito Santo, numa carta enviada, em maio, ao Banco de Portugal e publicada esta terça-feira no Diário de Notícias.

Na carta, datada de 27 de maio de 2014, ao vice-governador do Banco de Portugal, Ricciardi desmentiu Ricardo Salgado, ex-presidente do BES e do GES, e recusou qualquer quota de responsabilidade pelo buraco detetado no banco.

A missiva, a que o Diário de Notícias teve acesso, foi enviada cinco dias depois de Ricardo Salgado ter afirmado, em entrevista ao Jornal de Negócios, não ter sido o único responsável pela crise no banco e no Grupo Espirito Santo (GES), avançando que os vários membros da família no Conselho Superior do Grupo tinham cometido erros.

Hoje, Ricardo Salgado e o seu primo José Maria Ricciardi vão ser ouvidos, em separado, pela primeira vez, na comissão parlamentar de inquérito ao BES para explicarem como se desmoronou o maior grupo financeiro português.

Na carta publicada pelo DN, Ricciardi explica que as contas e os movimentos financeiros da Espirito Santo International, holding do Grupo GES, eram tratados por um “núcleo restrito” sob a direção do antigo homem-forte do BES, Ricardo Salgado, garantindo nunca ter sido chamado a interferir.

Na altura, o presidente do BESI alertou que já tinha pedido um inquérito, em novembro de 2013, para apurar as responsabilidades sobre a situação financeira e contabilística do grupo. No entanto, o banqueiro não revelou publicamente a sua posição pois considerava que tal penalizaria a imagem e reputação do BES.

O ano 2014 ficará para sempre ligado à queda do império Espírito Santo, consumada com o colapso do BES, a jóia da coroa, que foi alvo de uma intervenção pública da qual resultou o Novo Banco.

As desavenças públicas entre Ricardo Salgado, líder histórico do Banco Espírito Santo, e José Maria Ricciardi, presidente do BESI, no final de 2013, foram o primeiro sinal.

Mesmo depois de emitirem uma declaração conjunta em que apaziguavam a tensão existente, em novembro de 2013, a guerra entre primos não deixou boas perspetivas para 2014.

Durante os primeiros meses do ano, a sucessão de Ricardo Salgado continuava a ser notícia.

Em meados de fevereiro, o BES apresentou um prejuízo de 517,6 milhões de euros relativamente a 2013, quando tinha fechado 2012 com um lucro de 96,1 milhões de euros.

Na apresentação dos resultados, a última em que os órgãos de comunicação social foram convocados, Salgado admitiu a possibilidade de o BES vir a fazer um novo aumento de capital.

Com a divulgação dos resultados do BES relativos ao primeiro trimestre, marcado pelo prejuízo próximo de 90 milhões de euros é também confirmado que o banco vai mesmo avançar com um aumento de capital superior a mil milhões de euros.

E é o prospeto desse aumento de capital, publicado em maio, que, entre muitas outras informações relevantes, confirma a existência de irregularidades graves nas contas da holding Espírito Santo International (ESI).

É o dia que marca o início do fim do império da família Espírito Santo.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

43% dos restaurantes pondera avançar para insolvência

Cerca de 43% das empresas de restauração e bebidas e de 17% do alojamento turístico ponderam avançar para insolvência, informa o mais recente inquérito mensal da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP). "No …

António Mexia investe 25 mil euros no aumento de capital da EDP

O presidente do Conselho de Administração Executivo da EDP, que se encontra com funções suspensas, subscreveu 7738 ações, num investimento de 24.535 euros, no aumento de capital de mais de mil milhões de euros do …

Liga quer adeptos nas bancadas em setembro. Governo não se compromete

O presidente da Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) disse, esta quarta-feira, que o organismo está a trabalhar para que a época 2020/21 comece com público nas bancadas. Na conferência "Futebol Profissional e Economia Pós COVID-19", …

ONU teme "catástrofe geracional" e pede medidas para reabertura das escolas

A Organização das Nações Unidas (ONU) pediu na terça-feira a todos países para que seja dada prioridade à reabertura das escolas sempre que haja controlo da transmissão local dos contágios de covid-19, alertando que o …

IMT suspende circulação de veículos como o que provocou acidente em Soure

O Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) decidiu, esta quarta-feira, suspender a circulação de veículos de manutenção da ferrovia, como aquele que colidiu contra um Alfa Pendular em Soure, até que sejam adotadas medidas …

PJ e MP fazem buscas no âmbito do caso das golas antifumo

A PJ e o Ministério Público estão a realizar 10 buscas, esta quarta-feira, no âmbito do processo sobre o negócio das golas antifumo, no qual o ex-secretário de Estado, Artur Neves, e o presidente da …

Mais uma morte e 167 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, esta quarta-feira, mais uma morte e 167 novos casos de infeção por covid-19 em relação a terça-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde (DGS). Segundo o boletim diário da Direção-Geral de Saúde, …

Presidente promulga lei que lança app Stayaway Covid

O Presidente da República promulgou, esta terça-feira, o diploma que estabelece o responsável pelo tratamento dos dados e regula a intervenção do médico no sistema 'Stayaway Covid'. À margem de uma visita a Lagoa, no Algarve, …

Prémios e dados pessoais. Worten alerta clientes para falso SMS em circulação

A Worten alerta os clientes para não partilharem dados pessoais em resposta a mensagens publicitárias falsas que estão a circular por SMS em nome da retalhista, a anunciar um prémio. "Alertamos que não devem ser facultados …

GNR já passou 2200 coimas por falta de limpeza de terrenos. Mais de cem câmaras multadas

Mais de uma centena de câmaras municipais foram multadas por falta de limpeza de terrenos, sendo a ausência de tratamento nas margens das estradas e junto às linhas de distribuição elétrica a principal infração registada …