A revolucionária Faraday Future tem o futuro por um fio

A misteriosa empresa Faraday Future está a enfrentar uma luta contra o tempo para conseguir alcançar uma meta cuja data limite é em dezembro: arrecadar cerca de 419 milhões de euros.

Segundo um relatório da Bloomberg, publicado esta terça-feira, a empresa, que tem como foco o desenvolvimento de carros elétricos inteligentes, entrará em incumprimento com os investidores chineses caso não consiga obter o valor.

O dinheiro tem vindo a ser arrecadado desde o início do ano, altura em que a empresa anunciou estar a passar por uma fase precária, divulga o CanalTech.

As dívidas da Faraday Future são referentes a contas não pagas e ações judiciais dos fornecedores. Para piorar a situação, o diretor financeiro Stefan Krause, um dos executivos recém-contratados para liderar o projeto de angariação de 839 milhões de euros, deixou a empresa no mês passado.

A Faraday Future estaria a negociar o financiamento de um plano com países do Médio Oriente, Reino Unido, Alemanha, China e Estados Unidos, que colocaria os veículos inteligentes nas estradas. Com a falta do financiamento, a empresa viu-se forçada a arquivar um projeto em Las Vegas, tendo sido a locação movida para a Califórnia.

De acordo com fontes familiarizadas com a situação da startup, os tribunais chineses congelaram grande parte dos bens de Jia Yueting, o único investidor conhecido da Faraday Future, e tornaram impossível a injeção do capital necessário para construir as duas fábricas prometidas, em Las Vegas e São Francisco.

Além disso, Yueting terá recusado a ideia de Krause que envolvia a criação de um plano de falência, descartando todas as outras soluções que implicavam Jia Yueting abdicar do controlo da Faraday Future.

A empresa começou por se tornar conhecida em novembro de 2015. No início, sabia-se apenas que iria desenvolver carros elétricos ligados de forma inteligente com o mundo exterior e com as nossas vidas.

Em Janeiro do ano seguinte, a misteriosa empresa apresentou o seu primeiro carro autónomo, continuando, porém, sem dar muito mais detalhes sobre quais seriam os seus próximos passos.

Em teoria, o FFZER01 tem uma potência de mil cavalos, atinge velocidades de 0 a 100 km por hora em menos de três segundos e ultrapassa a barreira de 320 km por hora de velocidade.

Dois dias depois de ter apresentado o automóvel, a Faraday Future revelou que já tinha recebido mais de 64 mil reservas para o seu primeiro elétrico de produção. Na altura, a Faraday Future estipulou 5 mil dólares (4800 euros) como valor de depósito reembolsável para se proceder à encomenda do futuro elétrico.

Em comparação, na altura da apresentação do Model 3, a Tesla exigiu 1000 dólares de depósito (quase mil euros). Mas o FF91, de acordo com a Faraday Future, estará muito acima do rival de Elon Musk, não devendo custar menos de 100.000 dólares.

O veículo parece estar projetado e a um pequeno passo de se tornar o automóvel futuro. Mas, ao que tudo indica, a empresa tem o seu por um fio.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Investigação portuguesa descobriu 14 espécies marinhas com potencial para produção de antibióticos

Uma investigação conjunta da Universidade de Aveiro e da Universidade Católica descobriu 14 novas espécies e um género de fungos marinhos, com potencial para produção de antibióticos, revelou esta segunda-feira fonte académica. "Neste momento, estão a …

Impossíveis de cumprir. Directores preocupados com novas regras para as escolas

As orientações da Direcção Geral de Saúde (DGS) para as escolas com vista ao regresso das aulas presenciais, em Setembro, estão a preocupar os directores dos estabelecimentos de ensino. Isto porque as consideram impossíveis de …

Homicídios disparam na maioria das cidades norte-americanas durante a pandemia

O número de homicídios cometidos em solo norte-americano disparou na maioria das cidades do país na primeira metade de 2020, comparativamente com o mesmo período do ano passado, revela uma investigação do New York Times. …

Investigadores desenvolvem robô-cientista (e já descobriu um novo catalisador)

Uma equipa de cientistas da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, construiu um robô-cientista móvel inteligente, que realiza experiências sem ajuda humana. O novo robô-cientista toma decisões sozinho e já descobriu um novo catalisador. Segundo a …

Sérgio Figueiredo deixa direção de informação da TVI

Sérgio Figueiredo saiu do cargo de diretor de informação da TVI, anuncia a estação de televisão em comunicado enviado às redações. A cessação de funções é efetiva a partir desta sexta (10) e põe fim a …

Dinamarca lança "passaporte covid-19"

O Governo da Dinamarca lançou o "passaporte covid-19", um documento que atesta que o portador do mesmo não teve um resultado positivo ao novo coronavírus recentemente. Deverá ser utilizado em viagens internas ou externas. De …

Mais oito mortes e 342 novos casos. Mais 305 pessoas dadas como recuperadas

Portugal regista este sábado mais oito mortes por covid-19 e mais 342 casos confirmados em relação a sexta-feira, segundo dados da Direção-Geral de Saúde. De acordo com o boletim epidemiológico diário da DGS, há 46.221 casos …

Ainda há esperança para os gorilas mais raros do mundo. Foram fotografados com crias

Os gorilas do rio Cross, os mais raros do mundo, foram fotografados na Nigéria com algumas crias, aumentando a esperança para esta espécie de primatas. A fotografias foram divulgadas por uma organização não-governamental nigeriana, a …

"Já sofreu muito". Trump comuta pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, comutou a pena de prisão do seu amigo e antigo conselheiro Roger Stone, que foi condenado em fevereiro a 40 meses de prisão, anunciou sexta-feira a Casa Branca. Roger …

Armas, droga, sucata e prostituição financiam neonazis portugueses (mas lucros não vão todos para a causa)

Os grupos neonazis portugueses são "bastante desorganizados" e financiam-se com dinheiro obtido em negócios ilícitos, como o tráfico de armas, de droga e de mulheres para prostituição e a sucata. Mas os ganhos obtidos não …