Quim Torra eleito presidente do Governo da Catalunha

Andreu Dalmau / EPA

Quim Torra, o novo presidente do governo regional da Catalunha

O Parlamento da Catalunha elegeu Quim Torra como presidente do governo regional desta região espanhola, que poderá assim recuperar o estatuto de autonomia perdido em outubro de 2017 com a tentativa de independência liderada por Carles Puigdemont.

Quando Quim Torra formar o Governo regional (Generalitat), terminará a tutela política imposta por Madrid na Catalunha na sequência da proclamação da independência da região em 27 de outubro de 2017.

A eleição põe também fim a um impasse político de quase cinco meses depois das eleições regionais de 21 de dezembro em que os partidos independentistas voltaram a ter uma maioria no Parlamento da Catalunha.

O candidato agora eleito foi indicado pelo ex-presidente catalão, Carles Puigdemont, refugiado na Alemanha e a aguardar uma decisão sobre o mandato europeu de detenção emitido pela justiça espanhola que aguarda pela sua extradição para o julgar.

Quim Torra foi hoje eleito em segunda votação por 66 votos dos dois grandes partidos independentistas, ‘Juntos Pela Catalunha’ (direita) e Esquerda Republicana da Catalunha (ERC, socialista), tendo votado contra 65 deputados regionais dos Cidadãos (liberais), Partido Socialista da Catalunha (associado ao PSOE), Partido Popular (PP, direita), ‘En Comú-Podem’ (extrema-esquerda).

A abstenção dos quatro deputados do pequeno partido independentista de extrema-esquerda ‘Candidatura de Unidade Popular’ (CUP) foi essencial na eleição de Quim Torra, que assim conseguiu ganhar por maioria relativa, depois de ter falhado a primeira votação no sábado em que precisava da maioria absoluta dos 135 deputados regionais.

No discurso que fez esta manhã, Torra voltou a sublinhar que Puigdemont é o presidente “legítimo” do governo regional da Catalunha e prometeu ser “leal ao mandato” para “construir um Estado independente em forma de República”.

“Todos irão ganhar direitos com a República”, disse Torra durante a apresentação do seu programa perante os parlamentares regionais, defendendo uma “nação plena” catalã e sublinhando que “ninguém irá perder direitos. A República é para todos e não interessa em quem se vote”.

Quim Torra anunciou que irá criar um “conselho de Estado no exílio” com o ex-presidente regional. O candidato também defendeu a criação de uma assembleia constituinte para escrever uma Constituição para a futura República catalã.

O chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, mostrou-se disposto a ter uma relação de “entendimento e concórdia” com o novo presidente do governo catalão, desde que este cumpra a lei e a Constituição.

O Executivo vai apostar pelo “entendimento e pela concórdia”, disse o chefe do Governo espanhol, garantindo que “a lei, a Constituição espanhola e o resto do ordenamento jurídico se irão cumprir”.

Rajoy avançou que não gosta das palavras que tem ouvido da boca de Quim Torra, mas que o irá julgar não por estas, mas sim pelo que fizer a partir de agora. O primeiro-ministro reconheceu que o momento atual não é fácil e fez um apelo no sentido da contenção, da tranquilidade e de que “ponha de lado a ansiedade”.

Antes destas declarações, o porta-voz do Executivo, Ínigo Méndez de Vigo, já tinha avisado que o Governo poderia a qualquer momento voltar a intervir na Catalunha se Quim Torra violar a Constituição.

O representante assegurou que Madrid não “terá dúvidas em voltar a atuar com firmeza” se se repetir a situação como aquela que levou à intervenção do Governo na Catalunha.

Torra é uma das figuras menos conhecidas dos independentistas catalães mas, em 2015, dirigiu durante vários meses a poderosa associação cívica separatista Omnium Cultural.

Este editor, de 55 anos, entrou na política em dezembro passado quando foi eleito deputado regional na lista “Juntos pela Catalunha” formada por Puigdemont e tendo por base deputados que pertencem ao Partido Democrático e Europeu da Catalunha (PDeCAT, direita) e personalidades independentes.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

O planeta extrassolar mais próximo da Terra pode ter companhia

Uma equipa internacional de astrofísicos encontrou evidências da existência de um segundo planeta a orbitar Próxima Centauri, a estrela mais próxima do Sol. Na prática, o mundo extrassolar mais próximo de nós pode ter companhia. …

Uma estrela ajudou a perceber quando é que a Via Láctea devorou outra galáxia

Recentemente, astrónomos descobriram que uma colisão com uma galáxia satélite encheu a Via Láctea de estrelas. Agora, graças a uma única estrela, já é possível perceber quando é que isso aconteceu. A galáxia satélite Gaia-Enceladus foi, …

Homem pede "julgamento por combate" com espadas japonesas para resolver disputa legal com a ex-mulher

Para resolver uma disputa legal com a sua ex-mulher, David Ostrom sugere que seja feito um "julgamento por combate" com espadas japonesas. Há precedentes legais que o podem favorecer em tribunal. O insólito aconteceu no Iowa, …

Crimes violentos podem aumentar drasticamente nos EUA devido ao aquecimento global

O número de crimes violentos nos Estados Unidos pode aumentar drasticamente nos próximos anos devido ao aquecimento global, concluiu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade do Colorado, em Boulder. "Dependendo da rapidez …

Twitter pede desculpa por permitir anúncios direcionados a neonazis

O Twitter emitiu esta quinta-feira um pedido de desculpa público depois de a BBC denunciar que a rede social estava a permitir anúncios direcionados a neonazis, islamofóbicos e outros grupos de ódio. A emisorra britânica …

Carlos Silva alega falta de apoio do PS e anuncia saída da liderança da UGT

O secretário-geral da UGT não é candidato a um novo mandato na central sindical, alegando que o “desgaste tem sido tremendo” e que é visto como força de bloqueio. “Não quero continuar”, “já está decidido e …

A maior aeronave do mundo vai ficar ainda maior. Medirá quase 100 metros

A maior aeronave do mundo vai ficar ainda maior: o dirigível híbrido Airlander 10, que media 92 metros de comprimento, vai bater o seu próprio recorde. De acordo com a emissora britânica BBC, a aeronave passará a …

Mortes nos Comandos. Governo só indemniza famílias se for condenado

O Governo deu ordem para parar as negociações com as famílias dos recrutas que morreram durante o 127.º Curso de Comandos, que decorreu na região de Alcochete, em 2016. Segundo o Jornal de Notícias, o Governo …

Eduardo Cabrita diz que polícias compram equipamento "porque querem"

O ministro da Administração Interna afirmou que os agentes policiais que compram equipamento de proteção do seu próprio bolso fazem-no porque o querem. Numa entrevista ao Diário de Notícias e à TSF, divulgada este fim-de-semana, o …

Chuva deixa Austrália entre incêndios e cheias. Número de mortos sobe para 29

A chuva trouxe algum alívio aos bombeiros e habitantes do leste da Austrália, mas também causou cheias e novos problemas. As equipas ainda combatem cerca 100 focos de incêndio na região e o número de …