PSD cancela corrida entre burro e Ferrari (e diz que a Câmara proibiu)

(dr) Arquivo Lusa

António Costa, em 1993, a promover a corrida entre um burro e um Ferrari para alertar para os problemas das obras em Lisboa

António Costa, em 1993, a promover a corrida entre um burro e um Ferrari para alertar para os problemas das obras em Lisboa

A corrida organizada pelo PSD, que estava marcada para esta sexta-feira de manhã, foi cancelada. Os sociais-democratas alegam que a Câmara de Lisboa proibiu a iniciativa mas a autarquia nega.

Nem burro nem Ferrari. A segunda edição da corrida, desta vez iniciativa do PSD, estava marcada para as 08h45 desta sexta-feira mas acabou por ser cancelada.

Num comunicado divulgado na tarde desta quinta-feira, o PSD Lisboa diz ter recebido “com estupefação” uma notificação da Câmara a proibir a sua realização.

“O PSD Lisboa recebeu hoje uma notificação da Câmara da capital proibindo a realização da 2.ª edição da corrida entre um burro e um Ferrari”, cita o jornal Público.

Os sociais-democratas queriam recriar a corrida realizada pelo atual primeiro-ministro e ex-presidente da autarquia, António Costa, para as as eleições autárquicas de 1993.

A partida seria na Rua Professor António Flores, junto à Faculdade de Direito de Lisboa, na Cidade Universitária, com destino à Praça Duque de Saldanha, junto ao edifício do Monumental.

Tal como o atual chefe do Governo, os sociais-democratas queriam alertar para “o caos provocado pelas obras de fachada que infernizam o trânsito no centro da capital”.

“O objetivo era apenas saber qual a melhor forma de fazer face ao tráfego caótico que os lisboetas enfrentam diariamente na capital, originado pelas obras que decorrem um pouco por toda a cidade. Por isso, estranhamos ainda mais esta proibição”, acrescentam.

Câmara de Lisboa nega ter proibido a corrida

A Câmara de Lisboa já veio negar a versão apresentada pelo PSD, afirmando que apenas foi enviado um “parecer da Provedora Municipal dos Animais de Lisboa”.

“Não só esse parecer não proíbe a iniciativa, como a Provedora Municipal dos Animais de Lisboa é uma estrutura independente dos serviços da Câmara“, pode ler-se na nota, também citada pelo jornal.

“Qualquer decisão sobre a realização ou não do dito evento é da exclusiva responsabilidade dos seus organizadores”, conclui.

Em declarações à agência Lusa, Inês Sousa Real afirma que não proibiu a corrida e que apenas recomendou ao partido “que não utilizasse o animal porque poderia pôr em causa o seu bem-estar”.

“Uma iniciativa desta natura, além de ridicularizar o animal, sujeita-o ainda às intempéries que se preveem para o dia de amanhã (chuva), ao stress da cidade, podendo daqui decorrer desconforto físico e até acidentes, não tendo sequer sido acautelado previamente se o percurso realizado e as condições existentes cumprem os requisitos legalmente estabelecidos através do parecer vinculativo do médico veterinário municipal, sendo assim suscetível de lesar o bem-estar animal”, lê-se no parecer enviado.

Ontem, os sociais democratas receberam críticas por parte do PAN e da Animal, uma organização de defesa dos direitos dos animais, ao saber do anúncio da corrida.

ZAP

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Que falta de imaginação (do PSD)! Usar as ideias de outros! Ainda se o Passos e o Portas se tivessem oferecido para serem as “bestas de carga”, (papel que sempre gostaram de delegar… em todos nós!) aí sim, seria criativo. Como sugestão para os (ou as) montadores, que tal alguéns com, no mínimo, 120 kilos? Talvez assim aprendessem o peso que “esses” nos puseram a carregar durante quatro anos e meio (e que continuaremos a carregar)! Já agora , acrescentaria outra “besta”: O ex Presidente (o al que não tem dinheiro para as despesas)!

  2. Podiam ter realizado a corrida na mesma bastava para tal substituir o burro pelo e aí sim tínhamos um verdadeiro burro na corrida!

  3. Felizmente que alguém se preocupa com o bem-estar do Burro.
    Infelizmente parece que ninguém se preocupa com o bem-estar dos lisboetas que se deparam diariamente com uma cidade caótica, manietada por obras, gerando constrangimentos, prejuízos, stress, ruído, mal-estar e mais poluição, por razões de calendário eleitoral.
    No final desta aventura vai chegar a conta, ultrapassando as estimativas mais ambiciosas e que será paga por todos nós com taxas e taxinhas encapotadas.
    Vão chegar e agravar-se os problemas que as obras não se preocuparam em resolver (falta de estacionamento público, caos no trânsito e aumento da sinistralidade automóvel).
    Haverá ganhos certamente, principalmente nos passeios, ciclovias e áreas verdes, mas infelizmente subsistirão para os lisboetas um conjunto de problemas, que penalizarão a sua qualidade de vida. Que o digam os residentes que deixaram de ter espaço para parar a sua viatura na proximidade da sua residência.
    Vendam o carro! Andem de transportes públicos (que não existem)! – Diz o político que se desloca em carro com chauffeur!
    Em Portugal é assim. Somos de 8 ou 80! Ignoramos os problemas dos outros, mesmo quando legitimados democraticamente representantes dos interesses de todos.
    Resquícios de 40 anos de ditadura, prevalecendo nos homens do poder público um autismo autoritário de quem não lida bem com processos de decisão participados, equilibrados e do interesse geral.

RESPONDER

Vai ser possível ver auroras boreais a partir de um balão de ar quente

A agência Off The Map Travel vai lançar em dezembro de 2020 o primeiro balão de ar quente. O objetivo é levá-lo a ver auroras boreais do céu. As auroras boreais são já um verdadeiro espetáculo …

Nova tecnologia militar aquece as mãos em temperaturas negativas sem luvas

Cientistas do exército norte-americano criaram uma tecnologia capaz de aquecer as mãos dos soldados em baixas temperaturas sem serem necessárias luvas. Se completar uma tarefa do dia-a-dia com luvas pode revelar-se complicado, imagine-se tentar recarregar uma …

Os animais começaram a fazer sons para poderem conversar no escuro

O reino animal está cheio de diferentes vocalizações. A produção sonora apareceu há entre 100 milhões e 200 milhões de anos e a sua origem está fortemente ligada à vida no escuro. Os vertebrados são animais …

O novo líder do CDS reclama uma nova direita (e quer um partido "sexy")

Francisco Rodrigues dos Santos sagrou-se este domingo o 10º presidente do CDS, reclamando no seu discurso de vitória a herança de todos os seus antecessores, desde o fundador, Freitas do Amaral, a Assunção Cristas. O tom …

Paços 0 - 2 Benfica | “Águia” não vacila e passa pressão

O Benfica foi a Paços de Ferreira vencer por 2-0, colocando pressão sobre o FC Porto, segundo classificado, que na próxima terça-feira recebe o Gil Vicente. A formação “encarnada” foi superior na maioria dos principais momentos …

Governo reabre processo para corrigir mapa das freguesias

O Governo reabriu o processo para a correção ao mapa de freguesias, num compromisso com as associações de municípios e de freguesias, anunciou o secretário de Estado da Descentralização e Administração Local, Jorge Botelho. “Iremos retomar …

Google cria modelo de cérebro mais detalhado (e com maior resolução) de sempre

A recriação 3D do cérebro de uma mosca da fruta - que mostra 20 milhões de sinapses e 25 mil neurónios - é a que tem a maior resolução até ao momento. Uma equipa de …

Morreu Kobe Bryant, uma das maiores estrelas de sempre da NBA

Kobe Bryant, um dos maiores basquetebolistas de sempre, morreu na manhã deste domingo em Calabasas, Califórnia, num desastre de helicóptero. De acordo com a TMZ, Bryant viajava com, pelo menos, três outras pessoas num helicóptero privado, …

Há seis queixas de violência policial por semana

Em Portugal, são apresentadas em média seis queixas semanais por violência policial, escreve o semanário Expresso na sua edição deste fim-de-semana, citando os dados mais recentes da Procuradoria-Geral da República. De acordo com os números, relativos …

CRISPR tornou galinhas resistentes a um vírus comum

A técnica de edição genética CRISPR tem sido usada para tornar as galinhas resistentes a um vírus comum, uma abordagem que poderia aumentar a produção de ovos e de carne em todo o mundo. Mesmo quando …