23 anos depois, PSD organiza corrida de burro contra Ferrari (e o PAN está contra)

(dr) Arquivo Lusa

António Costa, em 1993, a promover a corrida entre um burro e um Ferrari para alertar para os problemas das obras em Lisboa

António Costa, em 1993, a promover a corrida entre um burro e um Ferrari para alertar para os problemas das obras em Lisboa

O PSD vai recriar esta sexta-feira, em Lisboa, a corrida entre um burro e um Ferrari que o atual primeiro-ministro e ex-presidente da Câmara da capital, António Costa, organizou em 1993 numa campanha para as eleições autárquicas.

“Hoje, quando, mais do que nunca, os lisboetas veem ser diariamente posta à prova a sua mobilidade, senão mesmo a sua capacidade para saltarem obstáculos, o PSD Lisboa entende que é chegado o momento de regressar às origens e homenagear o “costismo” e os seus seguidores com a 2.ª Corrida entre um burro e um Ferrari“, refere o partido, num comunicado divulgado esta quinta-feira.

A partida desta corrida está marcada para as 08h45 na Rua Professor António Flores, junto à Faculdade de Direito de Lisboa, na Cidade Universitária, e terá chegada na Praça Duque de Saldanha, com “meta instalada” junto ao edifício do Monumental.

“Assim, o caos provocado pelas obras de fachada que infernizam o trânsito no centro da capital deixe avançar os dois contendores para uma competição que se quer justa”, lê-se no comunicado.

A primeira corrida entre um burro e um Ferrari aconteceu em 1993, na Calçada de Carriche, e foi organizada por António Costa no âmbito da sua candidatura à Câmara Municipal de Loures.

O PSD Lisboa recorda que, “nas palavras do próprio organizador, o evento saldou-se como ‘uma das mais enriquecedoras experiências políticas’ que viveu”.

“O traçado escolhido para a prova privilegia o eixo central da cidade, embora as obras estejam por toda a capital, em simultâneo, com reflexos diretos no trânsito que nunca esteve tão mal”, refere a concelhia lisboeta do PSD, acrescentando que “as obras sirvam para melhorar a mobilidade dos lisboetas é outra questão a merecer resposta seguramente negativa”.

De acordo com o Google Maps, uma viagem de carro entre a Rua Professor António Flores e a Praça Duque de Saldanha, com cerca de três quilómetros, demora cerca de onze minutos a ser feita. A mesma distância demora cerca de 35 minutos a ser percorrida a pé.

PAN acusa PSD de promover “circo de rua”

O partido Pessoas-Animais-Natureza já acusou o PSD Lisboa de estar a promover um “circo de rua” com esta corrida.

Numa publicação feita no Facebook, o PAN sustenta que “o circo de rua organizado e anunciado pelo PSD vem uma vez mais demonstrar que existe um claro desencontro entre a evolução ética e civilizacional e as práticas partidárias em Portugal, facto que obviamente se reflete na falta de visão política quanto à proteção dos direitos dos animais“.

“Se o problema é a mobilidade, temos uma solução a propor à organização do dito evento: vão antes de bicicleta“, sugere o partido, sustentando que “pensar a mobilidade é refletir sobre a criação de infraestruturas adequadas, a requalificação dos espaços públicos, a criação de espaços de lazer para todos e a idealização de modelos de transporte em que as energias limpas e renováveis sejam de facto o seu motor de desenvolvimento”.

O PAN acrescenta ainda que rejeita “veementemente a utilização de animais nestas ações de campanha”. “Quanto ao Ferrari, Lisboa agradecerá a densa nuvem de carbono emitida pelo automóvel”, conclui o partido.

Animal pede cancelamento da “bizarra corrida”

A associação Animal também já reagiu à iniciativa dos sociais-democratas na capital, considerando que é “absolutamente vergonhoso”.

Em comunicado, citado pelo jornal Público, a presidente da organização, Rita Silva, diz que “sujeitar um animal a este tipo de ‘atividade’ não só é anti-natural, mas também revela pouco caso quanto àquilo que a legislação vigente prevê”.

A responsável pela ONG recorda que a Lei n.º 92/95 estabelece a proibição de se “exigir a um animal, em casos que não sejam de emergência, esforços ou atuações que, em virtude da sua condição, ele seja obviamente incapaz de realizar ou que estejam obviamente para além das suas possibilidades”.

“Exigir a um burro que faça uma corrida com um automóvel, não só não é algo razoável e que só serve para ridicularizar o animal em questão, mas também pode chegar ao nível da ilegalidade”, considera.

“É impressionante como, num tempo em que cada vez mais se considera a proteção dos animais como um valor importante para a sociedade, um partido político – que supostamente deveria dar o exemplo -, tenha uma ideia peregrina destas. É simplesmente vergonhoso!”, continua.

A associação já apelou aos seus apoiantes para que escrevam ao partido a pedir o cancelamento da “bizarra corrida”.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Sempre “adorei” manobras de distracção para que o povo não olhe para o que deve ver! Mas esta é francamente boa ao fazer esta palhaçada numa 6ª Feira à hora de ponta em locais já por si muitíssimo movimentados. Só espero que se vier uma ambulância em alta velocidade a caminho do Hospital de Santa Maria (ali ao lado) amolgue o Ferrari e não toque no pobre do burro, que é o único que não tem culpa de nada! Aliás, será esta “corrida” constitui um eufemismo perverso? Será que o burro nos personifica a todos?
    Se António Costa, em 1993, na 1ª edição deste evento singular (to say the least…) afirmou que tinha sido ‘uma das mais enriquecedoras experiências políticas’ que viveu”, até tremo ao pensar o que se seguirá! Tenho a certeza que nem na Albânia fazem coisas destas, por 2 razões: já devem ter comido os burros e se existir algum Ferrari deve ser de algum alto dignitário que não o disponibiliza para palhaçadas. Agora resta explicar porque é que António Costa rotulou desta forma o evento?
    Como andamos há demasiados anos a fazer de burros, e certamente o somos, caso contrário TODA esta classe política estava no desemprego, será por causa do Ferrari? Não percebo, como tal sou burro!
    Tenho muita pena do animal e de quem circular a essas horas por esses locais. Como as obras omnipresentes nesta Lisboa já não fossem suficientes, só faltava mesmo mais isto! E depois acham que vão ganhar as eleições autárquicas em Lisboa!!! Só se a memória dos Lisboetas for muito curta… tipo de burro!…

  2. Não vejo problema desde que limpem o que o burro sujar. Perto de minha casa há uma escola de equitação e quando cavalgam na rua é preciso depois ver onde se põem os pés. Quanto ao PAN se realmente fosse um partido com real estatuto de partido não caía nestas rídiculas e infelizes declarações.

  3. A hipocrisia da esquerda não tem limites!

    Quando a esquerda organizou evento semelhante (no qual este se inspira e tenta copiar) foi classificado pelos próprios como “uma das mais enriquecedoras experiências políticas” mas quando é a direita… livra que são pessoas com “falta de visão política” ao promoverem um “circo de rua”, uma “bizarra corrida”, algo “absolutamente vergonhoso”, “ilegal”, “anti-natural” “que só serve para ridicularizar o animal em questão”.

    Isto vai muito mais além do dois pesos duas medidas… é a total falta de vergonha da esquerda mais uma vez aqui evidenciada que antes apoiou incondicionalmente a iniciativa mas agora, como são outros a organizá-la, a condena com a mesma força com que antes a apoiou!

    Quanto ao PAN (Pessoas-Animais-Natureza), deveria preocupar-se mais com as pessoas isto se quiser mesmo fazer jus ao seu nome em que a palavra “Pessoas” vem primeiro lugar e só depois “Animais”.
    Deveria preocupar-se, por exemplo (já que falamos de Lisboa), com os cães e respectivos donos que não têm a mínima consideração pelos restantes peões ao deixarem as ruas todas porcas ao ponto de ser mais “seguro” andar pela estrada que pelos passeios. Aliás, não só o PAN mas também a esquerda que governa Lisboa!

RESPONDER

Este pôr-do-sol arroxeado foi causado por uma erupção do outro lado do mundo

A erupção do vulcão Raikoke, em junho, fez com que o nascer e o pôr-do-sol no outro lado do mundo, mais concretamente nos Estados Unidos, ficassem anormalmente roxos. Quando o outrora adormecido vulcão Raikoke, nas Ilhas …

Catarina Martins pede "voto útil" dos socialistas que não querem maioria absoluta

Catarina Martins defende que nas eleições legislativas o voto útil dos socialistas que não querem maioria absoluta é no Bloco de Esquerda, considerando que o crescimento do partido que lidera "pode ser o fator decisivo" …

Mudança do Infarmed para o Porto. Costa prometeu, mas não cumpriu

O primeiro-ministro prometeu, mas a Comissão Independente para a Descentralização não recebeu nenhum pedido do Governo para estudar deslocalização do Infarmed para o Porto. A decisão polémica de mudar a localização da Autoridade do Medicamento para …

Podem chover pedras no "lado noturno" dos exoplanetas de Júpiter

De acordo com um "relatório meteorológico astronómico", os lados escuros dos exoplanetas de Júpiter podem ter um clima bastante rochoso. As nuvens espessas de minerais vaporizados podem estar a chover pedras. Uma equipa de astrónomos da …

Boris compara Reino Unido a super-herói. "Quanto mais enfurecem o Hulk, mais forte ele fica"

O primeiro-ministro britânico comparou o Reino Unido ao super-herói da Marvel, que nunca se deixa prender, deixando subentendido o aviso de que pode ignorar a decisão do Parlamento que quer impedir uma saída sem …

Dente de rinoceronte deu aos cientistas a mais antiga informação genética já registada

Cientistas conseguiram extrair de um dente com 1,7 milhões de anos (de um rinoceronte já extinto) aquela que é a informação genética mais antiga alguma vez registada. Entre o período de há 2,5 milhões e 700 mil …

SNS "é âncora para os portugueses e sabe resistir às pressões"

A ministra da Saúde elogiou o Sistema Nacional de Saúde no dia em este cumpre 40 anos. A data só não está a ser assinalada com mais vigor devido à proximidade das eleições, explicou …

Um terço dos diplomados no curso de Aeroespacial vai trabalhar para o estrangeiro

A nota mínima de entrada no curso de Engenharia Aeroespacial do Técnico bateu um novo recorde. As oportunidades e os salários levam os diplomados para o estrangeiro. O único curso de Engenharia Aeroespacial no ensino superior …

Morreu o cantor Roberto Leal

Morreu o cantor Roberto Leal, confirmou o antigo secretário de Estado das Comunidades e da Administração Local. Tinha 67 anos e lutava contra um cancro. A notícia foi avançada pelo antigo secretário de Estado das Comunidades …

Estudo mostra que o canguru gigante tinha uma parecença com os pandas

O já extinto canguru gigante tinha uma característica muito semelhante com o panda-gigante dos dias modernos: grandes mandíbulas que lhe permitiam comer alimentos que outros animais não conseguiam. Há mais de 40 mil anos, o sudoeste …