23 anos depois, PSD organiza corrida de burro contra Ferrari (e o PAN está contra)

(dr) Arquivo Lusa

António Costa, em 1993, a promover a corrida entre um burro e um Ferrari para alertar para os problemas das obras em Lisboa

António Costa, em 1993, a promover a corrida entre um burro e um Ferrari para alertar para os problemas das obras em Lisboa

O PSD vai recriar esta sexta-feira, em Lisboa, a corrida entre um burro e um Ferrari que o atual primeiro-ministro e ex-presidente da Câmara da capital, António Costa, organizou em 1993 numa campanha para as eleições autárquicas.

“Hoje, quando, mais do que nunca, os lisboetas veem ser diariamente posta à prova a sua mobilidade, senão mesmo a sua capacidade para saltarem obstáculos, o PSD Lisboa entende que é chegado o momento de regressar às origens e homenagear o “costismo” e os seus seguidores com a 2.ª Corrida entre um burro e um Ferrari“, refere o partido, num comunicado divulgado esta quinta-feira.

A partida desta corrida está marcada para as 08h45 na Rua Professor António Flores, junto à Faculdade de Direito de Lisboa, na Cidade Universitária, e terá chegada na Praça Duque de Saldanha, com “meta instalada” junto ao edifício do Monumental.

“Assim, o caos provocado pelas obras de fachada que infernizam o trânsito no centro da capital deixe avançar os dois contendores para uma competição que se quer justa”, lê-se no comunicado.

A primeira corrida entre um burro e um Ferrari aconteceu em 1993, na Calçada de Carriche, e foi organizada por António Costa no âmbito da sua candidatura à Câmara Municipal de Loures.

O PSD Lisboa recorda que, “nas palavras do próprio organizador, o evento saldou-se como ‘uma das mais enriquecedoras experiências políticas’ que viveu”.

“O traçado escolhido para a prova privilegia o eixo central da cidade, embora as obras estejam por toda a capital, em simultâneo, com reflexos diretos no trânsito que nunca esteve tão mal”, refere a concelhia lisboeta do PSD, acrescentando que “as obras sirvam para melhorar a mobilidade dos lisboetas é outra questão a merecer resposta seguramente negativa”.

De acordo com o Google Maps, uma viagem de carro entre a Rua Professor António Flores e a Praça Duque de Saldanha, com cerca de três quilómetros, demora cerca de onze minutos a ser feita. A mesma distância demora cerca de 35 minutos a ser percorrida a pé.

PAN acusa PSD de promover “circo de rua”

O partido Pessoas-Animais-Natureza já acusou o PSD Lisboa de estar a promover um “circo de rua” com esta corrida.

Numa publicação feita no Facebook, o PAN sustenta que “o circo de rua organizado e anunciado pelo PSD vem uma vez mais demonstrar que existe um claro desencontro entre a evolução ética e civilizacional e as práticas partidárias em Portugal, facto que obviamente se reflete na falta de visão política quanto à proteção dos direitos dos animais“.

“Se o problema é a mobilidade, temos uma solução a propor à organização do dito evento: vão antes de bicicleta“, sugere o partido, sustentando que “pensar a mobilidade é refletir sobre a criação de infraestruturas adequadas, a requalificação dos espaços públicos, a criação de espaços de lazer para todos e a idealização de modelos de transporte em que as energias limpas e renováveis sejam de facto o seu motor de desenvolvimento”.

O PAN acrescenta ainda que rejeita “veementemente a utilização de animais nestas ações de campanha”. “Quanto ao Ferrari, Lisboa agradecerá a densa nuvem de carbono emitida pelo automóvel”, conclui o partido.

Animal pede cancelamento da “bizarra corrida”

A associação Animal também já reagiu à iniciativa dos sociais-democratas na capital, considerando que é “absolutamente vergonhoso”.

Em comunicado, citado pelo jornal Público, a presidente da organização, Rita Silva, diz que “sujeitar um animal a este tipo de ‘atividade’ não só é anti-natural, mas também revela pouco caso quanto àquilo que a legislação vigente prevê”.

A responsável pela ONG recorda que a Lei n.º 92/95 estabelece a proibição de se “exigir a um animal, em casos que não sejam de emergência, esforços ou atuações que, em virtude da sua condição, ele seja obviamente incapaz de realizar ou que estejam obviamente para além das suas possibilidades”.

“Exigir a um burro que faça uma corrida com um automóvel, não só não é algo razoável e que só serve para ridicularizar o animal em questão, mas também pode chegar ao nível da ilegalidade”, considera.

“É impressionante como, num tempo em que cada vez mais se considera a proteção dos animais como um valor importante para a sociedade, um partido político – que supostamente deveria dar o exemplo -, tenha uma ideia peregrina destas. É simplesmente vergonhoso!”, continua.

A associação já apelou aos seus apoiantes para que escrevam ao partido a pedir o cancelamento da “bizarra corrida”.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Sempre “adorei” manobras de distracção para que o povo não olhe para o que deve ver! Mas esta é francamente boa ao fazer esta palhaçada numa 6ª Feira à hora de ponta em locais já por si muitíssimo movimentados. Só espero que se vier uma ambulância em alta velocidade a caminho do Hospital de Santa Maria (ali ao lado) amolgue o Ferrari e não toque no pobre do burro, que é o único que não tem culpa de nada! Aliás, será esta “corrida” constitui um eufemismo perverso? Será que o burro nos personifica a todos?
    Se António Costa, em 1993, na 1ª edição deste evento singular (to say the least…) afirmou que tinha sido ‘uma das mais enriquecedoras experiências políticas’ que viveu”, até tremo ao pensar o que se seguirá! Tenho a certeza que nem na Albânia fazem coisas destas, por 2 razões: já devem ter comido os burros e se existir algum Ferrari deve ser de algum alto dignitário que não o disponibiliza para palhaçadas. Agora resta explicar porque é que António Costa rotulou desta forma o evento?
    Como andamos há demasiados anos a fazer de burros, e certamente o somos, caso contrário TODA esta classe política estava no desemprego, será por causa do Ferrari? Não percebo, como tal sou burro!
    Tenho muita pena do animal e de quem circular a essas horas por esses locais. Como as obras omnipresentes nesta Lisboa já não fossem suficientes, só faltava mesmo mais isto! E depois acham que vão ganhar as eleições autárquicas em Lisboa!!! Só se a memória dos Lisboetas for muito curta… tipo de burro!…

  2. Não vejo problema desde que limpem o que o burro sujar. Perto de minha casa há uma escola de equitação e quando cavalgam na rua é preciso depois ver onde se põem os pés. Quanto ao PAN se realmente fosse um partido com real estatuto de partido não caía nestas rídiculas e infelizes declarações.

  3. A hipocrisia da esquerda não tem limites!

    Quando a esquerda organizou evento semelhante (no qual este se inspira e tenta copiar) foi classificado pelos próprios como “uma das mais enriquecedoras experiências políticas” mas quando é a direita… livra que são pessoas com “falta de visão política” ao promoverem um “circo de rua”, uma “bizarra corrida”, algo “absolutamente vergonhoso”, “ilegal”, “anti-natural” “que só serve para ridicularizar o animal em questão”.

    Isto vai muito mais além do dois pesos duas medidas… é a total falta de vergonha da esquerda mais uma vez aqui evidenciada que antes apoiou incondicionalmente a iniciativa mas agora, como são outros a organizá-la, a condena com a mesma força com que antes a apoiou!

    Quanto ao PAN (Pessoas-Animais-Natureza), deveria preocupar-se mais com as pessoas isto se quiser mesmo fazer jus ao seu nome em que a palavra “Pessoas” vem primeiro lugar e só depois “Animais”.
    Deveria preocupar-se, por exemplo (já que falamos de Lisboa), com os cães e respectivos donos que não têm a mínima consideração pelos restantes peões ao deixarem as ruas todas porcas ao ponto de ser mais “seguro” andar pela estrada que pelos passeios. Aliás, não só o PAN mas também a esquerda que governa Lisboa!

RESPONDER

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …

Hologramas e outras tecnologias podem ajudar a combater incêndios florestais

Portugal continua a ser assombrado pela destruição sem precedentes dos incêndios florestais. Agora é a hora de aproveitar as nossas ferramentas tecnológicas e encontrar maneiras inovadoras de ajudar a aliviar o problema e também evitar …

Pombos estão a perder dedos ou patas por causa da poluição

Basta passar algum tempo na praça de uma cidade para ver que alguns pombos têm patas feridas ou dedos em falta. Embora possamos pensar que isto é causado por algum vírus ou pelos eventuais desentendimentos …

Descoberto no Japão fóssil de pássaro com 120 milhões de anos

O fóssil de um pássaro do Cretáceo recentemente descoberto no Japão pode levar os cientistas a repensarem alguns detalhes sobre a evolução do voo. Há cerca de 120 milhões de anos, um pássaro com o tamanho …