Proibir as PPP “é um absurdo” (e Marcelo vai vetar)

Tiago Petinga / Lusa

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo Rebelo de Sousa prepara-se para vetar a lei que proíbe Parcerias Público-Privadas na Saúde. Segundo fonte próxima da Presidência da República citada pelo Expresso, o Presidente considera a proibição “absurda” e vai devolver o diploma ao Parlamento.

O presidente da República prepara-se para vetar a lei que proíbe Parcerias Público-Privadas na Saúde. Marcelo Rebelo de Sousa considera a proibição absurda e vai vetar o diploma, adianta o jornal Expresso na sua edição desta sexta-feira.

Marcelo Rebelo de Sousa vai esperar para ver a redacção final da Lei de Bases da Saúde que sai do Parlamento, mas considera “um absurdo” simplesmente proibir as PPP no sector, apurou o semanário.

Esta quarta-feira, Pedro Filipe Soares, líder da bancada parlamentar do Bloco de Esquerda, anunciou como resultado das negociações com o Governo para a nova lei de bases da Saúde, o fim das PPP e das taxas moderadoras nos cuidados de Saúde primários.

“As PPP podem ir até ao fim dos actuais contratos. A partir daí, não haverá mais“, adiantou Moisés Ferreira, deputado do BE que participou nas negociações com o Governo. Mas 24 horas mais tarde, o Governo viria a “tirar o tapete” aos bloquistas., lançando um balde de água fria sobre a pretensão de acabar com as PPP.

O que para o Bloco é um acordo, para o Governo é uma mera “versão de trabalho”. Esta quinta-feira, Duarte Cordeiro, Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, veio esclarecer que “o Governo não fechou qualquer acordo com um partido em particular” no âmbito das negociações para a nova Lei de Bases da Saúde.

Mas se a maioria de esquerda insistir numa Lei de Bases que proíba quaisquer parcerias público-privadas, pode contar com o veto de Marcelo Rebelo de Sousa, diz ao Expresso fonte próxima da presidência.

O Presidente da República considera “um absurdo” legislar no sentido de afastar por completo a possibilidade de o Estado trabalhar em parceria com empresas privadas no sistema nacional de saúde, porque a lei deve permitir que os sucessivos governos tenham margem de manobra sem ter de estar constantemente a alterar a lei.

A atual lei de bases durou muitos anos porque permitiu que quem quisesse fazer PPP as fizesse e quem não quisesse não fizesse. É muito estranho querer tornar impossível para futuro que um Governo as faça e afunilar numa lei de bases uma proibição que, quanto muito, é da competência do Governo”, diz a fonte citada pelo semanário.

“Outra coisa é arranjar uma redacção para a lei que condicione esse tipo de parcerias a determinadas conveniências conjunturais. Isso pode deixar espaço para que cada Governo avalie se deve ou não optar por as fazer”, conclui a mesma fonte.

A notícia da morte das PPP poderá ter sido exagerada – pelo menos, até à próxima ronda de negociações.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. absurdo é andarem todos, televisões, jornais, comentadeiros avençados e cúsrelativos, a pressionar o célito para vetar o que estão a ver que não vai ser vetado. se o SNS não interfere nos serviços de saúde privados porque é que os privados tem que viver à custa do SNS?

  2. Absurdo é o nosso Presidente que só sabe dar Beijinhos, Aulas de Natação e muitos Passeios.
    Há que proteger os amigos.

  3. Pois, mas como funcionam as actuais parcerias público-privadas? Quando uma dessas empresas dá lucro, esse vai para o privado, quando dá prejuízo paga o público, ou seja, pagamos todos nós.

RESPONDER

Há um enorme buraco na atmosfera de Marte (e a água está a escapar)

Uma vez a cada dois anos, um gigantesco buraco abres-e na atmosfera marciana, deixando escapar para o Espaço uma parte das escassas reservas de água do Planeta Vermelho. O estranho mecanismo meteorológico, nunca visto na Terra, …

Musk vai construir um túnel de alta velocidade em Las Vegas

A Boring Company conseguiu um contrato de 48,7 milhões de dólares para construir um sistema subterrâneo, chamado LVCC Loop, em Las Vegas. A empresa Boring Company, de Elon Musk, foi a escolhida para construir um túnel …

Cientistas podem ter descoberto a verdadeira origem da canábis

A origem da canábis é um mistério, mas a análise de pólen antigo sugere que a planta evoluiu cerca de três quilómetros acima do nível do mar no planalto tibetano. Documentos que datam da Idade Média …

Sporting vs FC Porto | Um ano depois, a Taça para os leões

O Sporting venceu o FC Porto, mais uma vez nas grandes penalidades, e arrecadou a 17ª Taça de Portugal. Num jogo muito disputado no Estádio do Jamor, que terminou empatado 1-1 no tempo regulamentar, o Porto …

Marcelo pede aos portugueses para votarem. "Ficar em casa é um erro enorme"

O Presidente da República pediu hoje aos portugueses que façam o "pequeno sacrifício" de votar nas eleições para o Parlamento Europeu e não deixem "nas mãos de 20% ou de 25% a decisão que é …

Uma cidade inteira dos EUA está refém de cibercriminosos

A cidade de Baltimore, nos Estados Unidos, está sob ataque. Mas a ameaça não vem de pessoas armadas com pistolas e bombas. Há duas semanas, cibercriminosos usaram ransomware - um tipo de software nocivo que restringe …

Abandonado em bebé no aeroporto de Gatwick, Steve encontrou a família 33 anos depois

Um bebé foi abandonado no chão de uma casa de banho do aeroporto de Gatwick a 10 de abril de 1986. Foi quando Beryl Wright encontrou o recém-nascido que começou o mistério que só se …

Monges encontram receita perdida e voltam a fabricar cerveja medieval belga após 224 anos

Os monges da abadia de Grimbergen, na província de Brabante Flamengo, na Bélgica, encontraram a receita original de uma cerveja que era produzida artesanalmente no local há 224 anos e voltarão a fabricá-la. Monges da Abadia …

Nova app permite transmitir consentimento ao par num encontro

Vem aí uma nova app para encontros que nos permite sinalizar quando é que o nosso par tem o nosso consentimento para avançar para o próximo passo. A aplicação permite também ganhar pontos conforme se …

Agências de espionagem dos EUA cedem informações a investigação sobre interferência russa

Trump ordenou às agências de espionagem norte-americanas que deem os dados que têm sobre interferência da Rússia nas presidenciais de 2016 ao Departamento da Justiça. O diretor dos serviços secretos nacionais norte-americanos, Dan Coats, afirmou este …