Proibir as PPP “é um absurdo” (e Marcelo vai vetar)

Tiago Petinga / Lusa

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo Rebelo de Sousa prepara-se para vetar a lei que proíbe Parcerias Público-Privadas na Saúde. Segundo fonte próxima da Presidência da República citada pelo Expresso, o Presidente considera a proibição “absurda” e vai devolver o diploma ao Parlamento.

O presidente da República prepara-se para vetar a lei que proíbe Parcerias Público-Privadas na Saúde. Marcelo Rebelo de Sousa considera a proibição absurda e vai vetar o diploma, adianta o jornal Expresso na sua edição desta sexta-feira.

Marcelo Rebelo de Sousa vai esperar para ver a redacção final da Lei de Bases da Saúde que sai do Parlamento, mas considera “um absurdo” simplesmente proibir as PPP no sector, apurou o semanário.

Esta quarta-feira, Pedro Filipe Soares, líder da bancada parlamentar do Bloco de Esquerda, anunciou como resultado das negociações com o Governo para a nova lei de bases da Saúde, o fim das PPP e das taxas moderadoras nos cuidados de Saúde primários.

“As PPP podem ir até ao fim dos actuais contratos. A partir daí, não haverá mais“, adiantou Moisés Ferreira, deputado do BE que participou nas negociações com o Governo. Mas 24 horas mais tarde, o Governo viria a “tirar o tapete” aos bloquistas., lançando um balde de água fria sobre a pretensão de acabar com as PPP.

O que para o Bloco é um acordo, para o Governo é uma mera “versão de trabalho”. Esta quinta-feira, Duarte Cordeiro, Secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares, veio esclarecer que “o Governo não fechou qualquer acordo com um partido em particular” no âmbito das negociações para a nova Lei de Bases da Saúde.

Mas se a maioria de esquerda insistir numa Lei de Bases que proíba quaisquer parcerias público-privadas, pode contar com o veto de Marcelo Rebelo de Sousa, diz ao Expresso fonte próxima da presidência.

O Presidente da República considera “um absurdo” legislar no sentido de afastar por completo a possibilidade de o Estado trabalhar em parceria com empresas privadas no sistema nacional de saúde, porque a lei deve permitir que os sucessivos governos tenham margem de manobra sem ter de estar constantemente a alterar a lei.

A atual lei de bases durou muitos anos porque permitiu que quem quisesse fazer PPP as fizesse e quem não quisesse não fizesse. É muito estranho querer tornar impossível para futuro que um Governo as faça e afunilar numa lei de bases uma proibição que, quanto muito, é da competência do Governo”, diz a fonte citada pelo semanário.

“Outra coisa é arranjar uma redacção para a lei que condicione esse tipo de parcerias a determinadas conveniências conjunturais. Isso pode deixar espaço para que cada Governo avalie se deve ou não optar por as fazer”, conclui a mesma fonte.

A notícia da morte das PPP poderá ter sido exagerada – pelo menos, até à próxima ronda de negociações.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. absurdo é andarem todos, televisões, jornais, comentadeiros avençados e cúsrelativos, a pressionar o célito para vetar o que estão a ver que não vai ser vetado. se o SNS não interfere nos serviços de saúde privados porque é que os privados tem que viver à custa do SNS?

  2. Absurdo é o nosso Presidente que só sabe dar Beijinhos, Aulas de Natação e muitos Passeios.
    Há que proteger os amigos.

  3. Pois, mas como funcionam as actuais parcerias público-privadas? Quando uma dessas empresas dá lucro, esse vai para o privado, quando dá prejuízo paga o público, ou seja, pagamos todos nós.

RESPONDER

Xi Jinping dá os parabéns a Joe Biden pela vitória nas eleições

O Presidente chinês deu os parabéns pela vitória ao Presidente eleito dos Estados Unidos, esta quarta-feira, expressando esperança num espírito de cooperação entre os dois países, para que todos fiquem a ganhar. A China foi uma …

Cristiano Ronaldo é o único português nomeado para os prémios "The Best"

O avançado da Juventus é o único português nomeado para os prémios "The Best", inserido na lista de 11 candidatos na categoria de melhor futebolista de 2020, divulgada hoje pela FIFA. Cristiano Ronaldo reparte a nomeação …

Máscaras descartáveis são de plástico e ameaçam flagelo ambiental. Governo lança campanha de sensibilização

Em plena Semana Europeia de Prevenção de Resíduos, o Ministério do Ambiente e da Ação Climática lançou a campanha “Não Deixes Cair a Máscara”. Por mês, são usadas no país 150 milhões de máscaras. De acordo …

Football Leaks. Julgamento suspenso por 14 dias devido a caso de covid-19

O julgamento do processo Football Leaks foi suspenso por 14 dias, esta quarta-feira, devido à confirmação de um teste com resultado positivo ao novo coronavírus de um familiar de um dos juízes do coletivo. Cerca de …

Morreu El Pibe, Diego Armando Maradona

O antigo internacional argentino Diego Armando Maradona morreu esta quarta-feira aos 60 anos de idade. Foi vítima de uma paragem cardiorrespiratória, avança a imprensa argentina. O estado de saúde do ex-futebolista estava debilitado e, segundo relatos do …

Empresas deixam de estar obrigadas a pôr o código QR nas faturas

A obrigatoriedade de as empresas incorporarem nas faturas o código QR e o código único de documento “traria custos adicionais para as micro pequenas e médias empresas, particularmente na adaptação de sistemas informáticos”. A obrigatoriedade de as …

Bolieiro cita Sá Carneiro e reconhece "exigente missão"

O novo presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, tomou esta terça-feira posse na Assembleia Legislativa Regional e, citando Sá Carneiro, reconheceu a "exigente missão" que tem pela frente. "Medimos os desafios a enfrentar e …

Escócia é o primeiro país a tornar os produtos menstruais gratuitos

Os produtos de higiene íntima feminina vão passar a ser gratuitos na Escócia. A primeira medida do género em todo o mundo entrará em vigor em janeiro e tem o objetivo de combater a “pobreza …

Fenprof diz que a falta de docentes em algumas escolas se resolvia com oferta de horários completos

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) estima que milhares de alunos continuem sem ter todas as aulas por falta de docentes, um problema que acredita que se resolvia com medidas como completar os horários vagos …

Retirado cartaz em Oeiras por "ofender" Isaltino Morais. Iniciativa Liberal já apresentou queixa

A Câmara Municipal de Oeiras retirou um cartaz da Iniciativa Liberal (IL) que questionava a gestão de Isaltino Morais. O partido liderado João Cotrim Figueiredo já apresentou queixa. De acordo com o semanário Expresso, a …