/

Proibidas as deslocações entre concelhos de 30 de outubro a 3 de novembro

4

Mário Cruz / Lusa

O Governo vai proibir a deslocação entre concelhos entre 30 de outubro e 3 de novembro, aprovou esta quinta-feira o Conselho de Ministros.

A proibição vigora até 3 de novembro às 24 horas, segundo o jornal Observador.

O Conselho de Ministros decidiu ainda decretar o dia 2 de novembro como dia de luto nacional em memória das vítimas da pandemia de covid-19.

O semanário Expresso avança ainda que o Governo vai decretar medidas específicas para  Lousada, Felgueiras e Paços de Ferreira, concelhos do distrito do Porto onde as novas infeções tem aumentado exponencialmente nos últimos dias.

Estas regiões têm o dever de permanecer no domicílio durante 15 dias a partir das 00:00 de sexta-feira, à exceção dos que trabalham ou tenham de frequentar escolas.

Em conferência após o Conselho de Ministros, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, explicou que as populações dos três concelhos têm o “dever de permanência domiciliária, com exceção de um conjunto de atividades, à semelhança do que tinha acontecido no passado no conjunto de 19 freguesias [na Grande] Lisboa”.

Os veículos particulares podem circular na via pública desde que seja para realizar as atividades autorizadas ou para o reabastecimento em postos de combustível.

É também permitida a saída dos domicílios para compras e/ou passeios higiénicos.

Nestes concelhos estão também proibidos os eventos com mais de cinco pessoas e todos os estabelecimentos terão de encerrar às 22 horas. O teletrabalho será obrigatório nestes três concelhos sempre que as seja possível exercer as funções laborais em casa.

Ficam também proibidas a visitas a lares e a realização de feiras e/ou mercados.

O comunicado do Conselho de Ministros pode ser lido na íntegra online.

“Elevada pressão de novos casos”

“Estes concelhos que foram objeto de medidas adicionais são concelhos que têm sofrido uma elevada pressão de novos casos”, disse esta quinta-feira a ministra da Saúde, Marta Temido, que estava presente na mesma conferência de imprensa.

Referindo-se a Felgueiras, Lousada e Paços de Ferreira, a governante considerou que esta é a única forma, para já, de reduzir a propagação da doença na região.

As medidas específicas para estes concelhos surgem depois de o primeiro-ministro ter reunido esta quinta-feira, em Paços de Ferreira, com três autarcas destas regiões. António Costa prometeu anunciar medidas específicas para os três concelhos, descartando a imposição de confinamentos ou cercas sanitárias.

Portugal contabiliza pelo menos 2.229 mortos associados à covid-19 em 106.271 casos confirmados de infeção, segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS).

  ZAP //

4 Comments

    • Estão com medo dos seus idos falecidos. Eu não tenho medo dos meus. Ensinaram-me a ser honesto o que muitos não sabem o que é.
      Mas têm medo que a chucha ou mama se esvazie. Quando prestarem contas haverão de se arrepender-
      Não respondo qualquer comentário porque, por norma, vêm do sistema.
      Saúde

    • O benefício é apenas o de preparar o palco para um novo estado de emergência e mais confinamento, como está já a acontecer em outros países da europa que estão 2-3 semanas avançados na curva.
      E quando tiverem 8000+ casos diários no meio de novembro,com a curva de óbitos a ajustar o desfasamento entre início de infecções e casos mortais, antão vai estar tudo em pânico outra vez.
      Sem sequer contar que a maioria dos “recuperados”, entre 30 e 80% ficam com problemas e sintomas a longo prazo.
      Enfim, antes da casa roubada, ninguém quer trancas na porta….

      • Totalmente de acordo. Levaram isto tudo com leviandade. E podem não querer confinar, mas a este ritmo caminhamos para lá inevitavelmente. Um desgoverno total.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.