Os dois anos recuperados “são zero”. Sindicatos de professores querem veto presidencial

Manuel de Almeida / Lusa

Mário Nogueira confirmou que os sindicatos pediram ao Presidente da República para não promulgar o decreto-lei que consagra a recuperação de apenas dois anos, nove meses de 18 dias dos nove anos, quatro meses e dois dias do tempo de serviço congelado que têm sido exigidos pelos sindicatos.

As organizações sindicais de professores pediram esta segunda-feira ao Presidente da República que vete o decreto-lei do Governo sobre a contagem de tempo de serviço dos professores, por entenderem que “está ferido de ilegalidades e inconstitucionalidades”. “O que ali está é zero”, referiu Mário Nogueira.

“O que solicitámos ao senhor Presidente é que não promulgue, portanto vete, este decreto-lei, na medida em que ele não obedece a uma lei de valor reforçado, neste caso estamos a falar da lei do Orçamento do Estado para 2019”, afirmou o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, aos jornalistas à saída de uma audiência com Marcelo Rebelo de Sousa.

Representantes da Federação Nacional de Professores (Fenprof), da Federação Nacional de Educação (FNE), do Sindicato dos Educadores e Professores Licenciados (SEPLEU) e do Sindicato Nacional dos Professores Licenciados Pelos Politécnicos e Universidades (SPLIU) foram recebidos por Marcelo, a quem apresentaram os seus argumentos para o Presidente não promulgar o decreto-lei aprovado em Conselho de Ministros na próxima quinta-feira.

O diploma aprovado pelo Governo apenas contempla para progressão na carreira dois anos e meio do tempo de serviço que os docentes viram congelado, contra os nove anos, quatro meses e 29 reclamados pelos sindicatos.

“Pareceu-nos que o senhor Presidente ficou sensibilizado com os nossos argumentos. Isso não quer dizer que vá tomar uma decisão ou outra, isso não sabemos. Também não era isso que viemos aqui pedir que o Presidente nos dissesse. Viemos trazer tópicos para a reflexão do senhor Presidente”, disse o sindicalista.

Segundo Mário Nogueira, a intenção da reunião foi relatar ao Presidente, “de viva voz”, o que consideram ser ilegal e inconstitucional no diploma governamental, bem como as questões de justiça e direitos e mostrar a sua vontade de verem a lei vetada.

Mário Nogueira disse que Marcelo Rebelo de Sousa questionou os sindicatos sobre se perante um eventual “chumbo” não era corrido o risco de se perderem os dois anos e meio propostos pelo Governo, e que a resposta foi de que, numa situação dessas, a situação passaria para a responsabilidade do parlamento e para um novo quadro de negociação para o Orçamento do Estado de 2019.

O sindicalista reiterou as reivindicações dos professores, num dia em que foi emitido um pré-aviso de greve parcial entre 15 de outubro e 31 de dezembro, e referiu que o chefe de Estado se manifestou interessado e “sensibilizado” para as questões apresentadas, numa reunião que durou cerca de 50 minutos.

Mário Nogueira apelou ainda para a mobilização dos professores na luta entre os sindicatos da classe e o Governo. “É preciso vir para a rua“, disse, adiantando que “a luta dos docentes não se faz na sala de aula”.

Os sindicatos dos professores consideram que o estatuto da carreira docente tem de ser respeitado e que “é da mais elementar justiça que todo o tempo de trabalho que cumpriram lhes seja contabilizado, sendo reprovável a decisão unilateral do Governo de eliminar mais de seis anos e meio da sua vida profissional para efeitos de carreira”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. É preciso não esquecer que apesar de um professor em principio de carreira ganhar pouco mais de 800 euros (o que é pouco para um licenciado), bastam um 10 anos para poderem ganhar mais de 1300 e no topo 3300 euros.

RESPONDER

Demissão em bloco dos chefes de equipa de urgência do hospital D. Estefânia

Os chefes de equipa de urgência do hospital D. Estefânia, em Lisboa, consideram que houve "quebra do compromisso" feito pela instituição de contratar mais médicos. O anúncio, feito esta quarta-feira, refere que os médicos consideram que …

Lidl aumenta salário mínimo para 670 euros

O Lidl decidiu aumentar “para 670 euros o valor do ordenado de entrada” no primeiro ano na empresa, acima do salário mínimo nacional, que é de 600 euros. O Lidl Portugal anunciou esta terça-feira que …

Sindicato dos estivadores prolonga greve até 2019

O Sindicato Nacional dos Estivadores e Atividade Logística (SEAL) vai avançar com o pré-aviso para que a greve às horas extraordinárias dos estivadores do Porto de Setúbal continue em 2019 por tempo indeterminado. A greve às …

Time elege Khashoggi e outros jornalistas "guardiões da verdade" como personalidades do ano

O jornalista saudita Jamal Khashoggi, assassinado a 2 de outubro deste ano no consulado da Arábia Saudita em Istambul, é uma das personalidades do ano eleitas pela revista norte-americana Time. O colunista do Washington Post, voz …

Função Pública: Nova modalidade pré-reforma propõe 25% a 100% do salário-base

O Governo quer avançar com uma nova modalidade de pré-reforma na Função Pública, permitindo assim que os funcionários com 55 anos ou mais possam deixar de trabalhar, mantendo parte do salário. O Governo quer avançar com …

Trump ameaça paralisar Governo caso não consiga fundos para o muro. Norte-americanos preferem que desista

O Presidente norte-americano, Donald Trump, ameaçou nesta terça-feira paralisar o próprio Governo caso não consiga fundos suficiente para a construção do muro na fronteira com o México, iniciativa contestada pelos democratas.  “Se não conseguir o que …

"Coletes Amarelos" chegam a Portugal a 21 de dezembro e querem parar o país

O evento, marcado para o dia 21 de dezembro e inspirado nos "Coletes Amarelos" franceses, ganha cada vez mais dimensão nas redes sociais: mais de 13 mil pessoas confirmaram presença. Depois de França, é a vez …

Ministério Público abre inquérito às incongruências no currículo de candidata à JS

O Ministério Público de Lisboa abriu um inquérito ao casos dos erros e incongruências no currículo de Maria Begonha, candidata à liderança da Juventude Socialista. O Ministério Público abriu um inquérito ao caso dos erros e …

"Agora, só falo de anos aos 100". Ninguém sabe como Marcelo vai celebrar os 70

Marcelo Rebelo de Sousa cumpre hoje 70 anos de vida e, como não é nada habitual, não tem agenda oficial, deixando de lado os compromissos como Presidente da República, e até recusou dar entrevistas, afastando-se …

Atentado em Estrasburgo faz três mortos. Atirador ainda em fuga

A França está em estado de "Alerta Atentado", depois do tiroteio em Estrasburgo. O atirador que matou 3 pessoas estava sinalizado por radicalização e continua em fuga. O movimento "Coletes Amarelos" lança no ar uma …