Primeiro-ministro islandês demite-se devido ao Panama Papers

controlarms / Flickr

O Primeiro-ministro da Islândia, Sigmundur Davíð Gunnlaugsson

O Primeiro-ministro da Islândia, Sigmundur Davíd Gunnlaugsson, demitiu-se depois de o seu nome ter sido associado ao escândalo Panama Papers.

A BBC avança que o ministro da agricultura deverá substituir Gunnlaugsson como chefe de Governo.

O chefe de Governo tinha pedido ao Presidente para dissolver o Parlamento islandês, mas Olafur Grimsson recusou tomar a decisão antes de ouvir os principais partidos.

“Recusei assinar a declaração para dissolver o Parlamento e fiz saber ao primeiro-ministro que não o poderia consentir antes de me encontrar com responsáveis dos outros partidos para saber a sua posição”, afirmou o Presidente.

A queda de Sigmundur Gunnlaugsson acontece um dia depois de os partidos da oposição terem formalizado uma moção de censura contra o PM devido às alegações de que o PM e a sua mulher detêm secretamente uma empresa offshore, a Wintris, com sede em Tortola, nas Ilhas Virgens Britânicas.

Na noite de segunda-feira a oposição convocou uma manifestação frente ao parlamento para exigir a demissão do primeiro-ministro.

Sigmundur Gunnlaugsson, 41 anos, tinha avançado esta terça-feira com uma proposta de eleições antecipadas face à possibilidade de perder o apoio do seu parceiro de coligação, o Partido da Independência.

“Disse ao presidente do Partido da Independência que se os deputados do partido acharem que não podem continuar a apoiar o Governo para que terminemos juntos o trabalho, irei dissolver o Parlamento e convocar eleições legislativas”, escreveu na sua página no Facebook.

A empresa em causa foi criada em 2007 pela Mossack Fonseca, a empresa de advogados do Panamá que sofreu uma fuga de informações que envolveu mais de 11 milhões de documentos.

A investigação revela ainda que a sociedade do casal, criada para gerir a sua fortuna, teve títulos que valeram milhões de euros em três grandes bancos da Islândia, que faliram no contexto crise financeira de 2008.

De acordo com os documentos publicados pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação (ICIJ), Gunnlaugsson deteria 50% da sociedade envolvida até ao final de 2009. Quando foi eleito deputado pela primeira vez, em abril de 2009, na qualidade de líder do Partido Progressista, omitiu essa participação na sua declaração de património.

Após um governo social-democrata, que subiu ao poder na sequência do colapso económico da Islândia em 2008, Gunnlaugsson garantiu o cargo de primeiro-ministro em 2013 com o apoio do Partido da Independência, cujo líder, Bjarni Benediktsson, atual ministro das Finanças, também surge nos “Panama Papers”.

Os documentos revelam que milhares de empresas foram criadas em paraísos fiscais para que políticos e personalidades administrassem o seu património.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Princesa Masako do Japão “insegura” por se tornar imperatriz mas dará o seu melhor

A princesa Masako do Japão confessou este domingo que se sente “insegura” por se tornar imperatriz mas afirmou que dará o seu melhor para servir o povo. Masako Owada torna-se imperatriz quando o marido, o príncipe …

Setenta anos depois, teste de ADN reúne mãe e filha pela primeira vez

Genevieve achava que a sua bebé recém-nascida tinha morrido no parto. Mas não: foi adotada por uma família da Califórnia que lhe mentiu sobre as origens. Agora conheceram-se graças a um teste de ADN. Quase 70 …

Arcebispos de Barcelona ajudaram padre acusado de abusos a fugir à polícia

O padre Senabre, acusado de ter abusado de um menor de 13 anos, esteve desaparecido por mais de 25 anos. Foi agora encontrado no Equador e o seu caso está a ser investigado pelo Vaticano …

Problemas de direitos humanos persistem em Portugal apesar dos progressos

O mais recente relatório da Amnistia Internacional sobre direitos humanos indica que em Portugal “ainda persistem” desigualdades no acesso a habitação condigna, e diferentes formas de discriminação de pessoas e comunidades mais vulneráveis. O documento divulgado …

Theresa May adia votação do Brexit

A primeira-ministra britânica, Theresa May, confirmou, esta segunda-feira à tarde, perante o parlamento britânico, que será adiada a votação do acordo do Brexit agendada para esta terça-feira, dia 11. A decisão da primeira-ministra britânica procura evitar …

"Lobisomem da Sibéria". Maior assassino em série da Rússia era polícia e matou 78 mulheres

Um ex-polícia russo, já condenado a prisão perpétua pela morte de 22 mulheres, foi sentenciado esta segunda-feira na Sibéria por mais 56 homicídios, o que o torna no maior assassino em série da história recente …

Mais de 20 comboios vão ser suprimidos no Natal e Ano Novo

Mais de duas dezenas de ligações ferroviárias, entre Intercidades e Alfa-Pendulares, serão suprimidas nos dias 24, 25 e 31 de dezembro e 1 de janeiro de 2019, à semelhança de anos anteriores, devido à fraca …

Catalães devem seguir a via eslovena e estar "dispostos a tudo" para alcançar independência

Quim Torra disse este sábado que os catalães devem seguir o exemplo do processo de independência da Eslovénia e estar "dispostos a tudo". O presidente do governo regional da Catalunha, Quim Torra, disse este sábado que …

"Injustiça fiscal." Governo rejeita alterar IRS para salários de anos anteriores

O Governo recusou aceitar uma recomendação da Provedora de Justiça que pedia ao Executivo para atualizar o regime de IRS para rendimentos relativos a anos anteriores. No início de outubro, a Provedora da Justiça escreveu a …

Oito anos depois, pensionistas recebem subsídio de Natal por inteiro

Oito anos depois, os pensionistas recebem esta segunda-feira o subsídio de Natal por inteiro, sem cortes e no mês de dezembro. A maioria dos pensionistas da Segurança Social começa esta segunda-feira a receber a pensão de …