Presidente da Associação Zoófila acusada de fazer “negócios consigo mesma”

Ana Fernandes / Facebook

A presidente da Associação Zoófila Portuguesa, Ana Fernandes

Ana Fernandes, presidente demissionária da Associação Zoófila Portuguesa (AZP), foi alvo de uma queixa-crime, por parte do Conselho Fiscal da própria associação, por ter “negócios consigo mesma”.

Segundo o Diário de Notícias, que avançou a notícia, a presidente do Conselho Fiscal da AZP, Luísa Coelho, apresentou na semana passada uma queixa-crime contra a presidente da instituição, Ana Fernandes, por alegado abuso de confiança.

“Há uma sensação de impunidade. Não podemos aceitar estes comportamentos. Uma pessoa que está a gerir o dinheiro dos outros não pode agir assim. Que podemos fazer para que a senhora deixe de achar que a associação é ela?”, disse Luísa Coelho.

Ana Fernandes, que presidia à associação desde 2009, está demissionária tal como toda a restante direção desde 20 de junho. Segundo o mesmo jornal, Ana Fernandes é “suspeita de ter feito “negócios consigo mesma“.

Em causa estarão irregularidades imputadas à presidente da associação e deputada municipal do PAN em Odivelas, que tem em seu nome uma empresa, a Izumix, que prestava serviços à associação.

Entre as irregularidades estão ainda a compra de um telemóvel por 843 euros sem decisão colegial prévia e a aquisição, em fevereiro de 2017, de mais de três mil euros de ração fora de prazo de uma marca de que a sua empresa detinha a representação.

Ana Fernandes, em declarações ao DN, disse que “nunca tomou decisões sem respaldo da restante direção” e lembra que “as contas foram sempre aprovadas por sucessivos conselhos fiscais, incluindo o que a acusa de abuso de confiança”.

A presidente demissionária não nega que a empresa de que é proprietária desde 2011 cobrou serviços à AZP, salientando que os membros da direção sabiam da sua relação com a empresa.

“Faturas foram entregues, seguiram circuitos administrativos normais, passaram por várias pessoas e foram validadas pela tesouraria. O nome da empresa aparece nos balancetes. Não só nunca escondi que a empresa era minha como disse, em várias oportunidades, que tinha uma empresa. Além de ser informação pública”, disse.

“O potencial conflito de interesses foi avaliado pelos órgãos sociais e aceite dados os benefícios que trazia à AZP”, rematou.

“Versão pindérica do caso Raríssimas”

Eurico Pinto, que desempenhava funções como tesoureiro na direção que saiu no início do ano, disse ao DN: “Alguém me disse que isto é a versão pindérica da Raríssimas e concordo. A presidente tomava decisões, omitia informação aos membros da direção, punha e dispunha”.

Mas Eurico Pinto, de 55 anos, por quem passavam todas as autorizações de pagamento, conhecia o nome Izumix desde que Ana Fernandes propôs a contratação de uma pessoa para fazer “a gestão da dívida” à AZP, ou seja, para tentar cobrar junto dos clientes devedores.

ZAP //

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. É melhor deixar a dita cuja negociar à sua vontade… se a incomodam muito pede uma indemnizaçao e o povinho tem que desembolsar uns cobres valentes para a cuja dita!

  2. O que dizer acerca desta noticia. A SER VERDADE é mais uma vergonha, falta de respeito e um encher os “bolsos” á custa da desgraça alheia. Fala-se e critica-se tanto o dinheiro ganho por criadores de cães e de quem os compra e eis que temos gentalha que se armam em humanos bonzinhos a defender os animais e só querem encher a carteira. Se calhar é por estas situações que não há dinheiro para pagar um bem essencial: ÀGUA. ATÉ ONDE ESTÁ A CHEGAR A POBREZA DE ESPIRITO? Até onde vai a sem vergonhice? É por isso que quando se pede ajuda para compra de ração e medicamentos há pessoas que desconfiam se é para isso mesmo ou para pagar as contas de alguém

  3. O problema é que o Correio da Manhã foi desenterrar a faturação da empresa dela e vejam só:
    Associação paga 130 mil euros a dirigente
    29.06.2018 08:31 por CM 0
    Faturação de 2015 e 2016 apresenta valores idênticos de 54 185 euros.

    Por Correio da Manhã

    A Izumix, empresa constituída em novembro de 2011 por Ana Fernandes, presidente demissionária da Associação Zoófila Portuguesa (AZP) e deputada municipal do PAN de Odivelas, faturou mais de 130 mil euros entre 2014 e 2016.

    Esta é a empresa que está na origem de uma queixa-crime, por abuso de confiança, feita contra Ana Fernandes, pela presidente do Conselho Fiscal da AZP, Luísa Coelho. Segundo noticiou o ‘Diário de Notícias’, vários membros e funcionários da AZP acusam a gestora de realizar “negócios consigo própria”.

    De acordo com os relatórios de contas a que o CM teve acesso, referentes aos três últimos anos de prestação de contas, a Izumix faturou 22 216 euros em 2014, e em 2015 e 2016 registou uma faturação idêntica de 54 185 euros.

    Acresce que nestes três anos não declarou gastos com pessoal. A única sócia é Ana Fernandes. Não há no Portal da Justiça registo de qualquer alteração desde a sua constituição.

    A empresa alegadamente recebe da AZP por serviços de manutenção ao hospital veterinário.

    O CM enviou questões à AZP, mas até à hora de fecho não obteve resposta.

  4. Associação paga 130 mil euros a dirigente
    29.06.2018 08:31 por CM 0
    Faturação de 2015 e 2016 apresenta valores idênticos de 54 185 euros.

    Por Correio da Manhã

    A Izumix, empresa constituída em novembro de 2011 por Ana Fernandes, presidente demissionária da Associação Zoófila Portuguesa (AZP) e deputada municipal do PAN de Odivelas, faturou mais de 130 mil euros entre 2014 e 2016.

    Esta é a empresa que está na origem de uma queixa-crime, por abuso de confiança, feita contra Ana Fernandes, pela presidente do Conselho Fiscal da AZP, Luísa Coelho. Segundo noticiou o ‘Diário de Notícias’, vários membros e funcionários da AZP acusam a gestora de realizar “negócios consigo própria”.

    De acordo com os relatórios de contas a que o CM teve acesso, referentes aos três últimos anos de prestação de contas, a Izumix faturou 22 216 euros em 2014, e em 2015 e 2016 registou uma faturação idêntica de 54 185 euros.

    Acresce que nestes três anos não declarou gastos com pessoal. A única sócia é Ana Fernandes. Não há no Portal da Justiça registo de qualquer alteração desde a sua constituição.

    A empresa alegadamente recebe da AZP por serviços de manutenção ao hospital veterinário.

    O CM enviou questões à AZP, mas até à hora de fecho não obteve resposta.

RESPONDER

Ministério da Saúde abre 435 vagas para médicos de família

É o maior número de vagas dos últimos anos colocadas a concurso para a contratação de médicos especialistas em medicina geral e familiar para o SNS. De acordo com o jornal Público, o Ministério da Saúde …

MP brasileiro processa pastor por anunciar cura com feijões para a covid-19

O Ministério Público brasileiro pediu a abertura de um processo contra o pastor evangélico Valdemiro Santiago e a Igreja Mundial do Poder de Deus, que anunciaram a cura da covid-19 a partir do cultivo de …

Dívida do Estado à ADSE ascende a 200 milhões de euros

A dívida do Estado à ADSE, em 2019, ascendia a 198,2 milhões de euros, segundo o parecer do Conselho Geral e de Supervisão (CGS) ao relatório e contas do ano passado, publicado no site do …

Governo dos Açores violou Constituição ao impor quarentena obrigatória

O confinamento obrigatório de 14 dias que o governo regional dos Açores tem imposto a quem chega à região autónoma é inconstitucional, dizem os juízes do Tribunal Constitucional. As autoridades açorianas violaram a Constituição ao impor …

China caminha a passos largos para a normalidade. Gaming, cerveja e Ikea dão empurrão

A China não regista, desde 17 de maio, vítimas mortais causadas pelo novo coronavírus. No entanto, há dois surtos ativos que parecem não impedir a população de caminhar em direção à normalidade. À semelhança do resto …

No regresso ao Superior, o Ministério recomenda aulas presenciais, com máscara e ao sábado

No regresso do Ensino Superior, o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior recomenda que voltem as aulas em regime presencial com uso obrigatório de máscara e algumas das quais lecionadas ao sábado. Num comunicado …

"A profissionalização é fundamental". Este ano já morreram quatro bombeiros, todos voluntários

Nos incêndios deste ano já morreram quatro bombeiros. O último ano tão mortífero foi 2013, em que sete bombeiros perderam a vida. Em comparação, nos incêndios de 2019, não se registaram vítimas mortais entre esses profissionais. Como …

Portugal só tem 4 fiscais da ferrovia (e cada um tem de inspecionar 811 quilómetros)

O Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) tem apenas quatro técnicos afetos à fiscalização do setor. O organismo está a pedir o reforço destes profissionais desde 2014. De acordo com a edição desta quarta-feira do …

Dybala eleito melhor jogador do ano em Itália. Ronaldo fora da lista

O avançado argentino da Juventus foi eleito o melhor jogador da temporada 2019/20 do futebol italiano, enquanto o português Cristiano Ronaldo ficou de fora da lista de premiados. Na nota publicada no site oficial da Série …

Novo Banco registou perdas de 260 milhões à revelia do Banco de Portugal

A equipa António Ramalho terá inscrito nas contas 260 milhões de euros em perdas, passíveis de reembolso, sem falar com o Fundo de Resolução. O Público avança que a equipa de António Ramalho sinalizou, nos resultados …