“Não deverá ter bom resultado”. Plano do Governo de combate à violência doméstica em risco

Manuel de Almeida / Lusa

A Ministra da Justiça, Francisca Van Dunem

Os números de vítimas mortais por violência doméstica no início do ano passado foram alarmantes. A chegada da pandemia e o confinamento obrigatório tornaram o assunto ainda mais urgente e preocupante. Contudo, a solução do Governo para acelerar o combate à violência doméstica não desata no Parlamento e pode mesmo não avançar.

Desde abril que está na Assembleia da República uma proposta de lei que altera o regime jurídico aplicável à prevenção da violência doméstica e à proteção e à assistência das vítimas, mas esta não avança nos trabalhos da comissão parlamentar.

A Ministra da Justiça, Francisca Van Dunem, explica que “a natureza das reservas suscitadas na generalidade e a circunstância de a proposta ter baixado à comissão sem votação levam a admitir que a solução ali desenhada não colherá apoio suficiente para vingar”, disse ao Expresso.

Van Dunem já tinha demonstrado não ter muita esperança que a proposta avançasse. “Não penso que venha a ter bom resultado”, disse em entrevista ao podcast do PS, “Política com Palavra”.

As críticas no Parlamento, e fora dele, foram tantas que a solução passa por deixar cair a medida de dar mais poder aos tribunais criminais para assegurar maior proteção às vítimas. Segundo o Expresso, a proposta não tem sido agendada para discussão pelos socialistas o que leva deputados a acreditar que não há interesse em avançar.

Entretanto entrou em vigor uma alteração legislativa proposta pelo PCP que resolve parte do problema, ao impedir os tribunais de inscreverem as moradas das vítimas nas diligências direcionadas aos agressores.

Um dos problemas identificados nos casos de violência doméstica é o facto de o agressor descobrir a morada da vítima quando há regulação parental. Se o casal está separado e há um processo por violência doméstica a correr, o agressor não tem acesso à morada da vítima nesse processo, mas o mesmo não acontece quando corre um processo paralelo de regulação parental.

A proposta do Governo passava por aumentar os poderes dos tribunais criminais na aplicação de “decisões provisórias urgentes de proteção da vítima, tais como a regulação provisória do exercício das responsabilidades parentais, a utilização provisória da casa de morada de família e a guarda de animais de companhia”.

Uma medida “inovadora” escreveram os juízes, mas não no bom sentido. Na discussão inicial da proposta, o Conselho Superior de Magistratura alertou para as “implicações graves” nas competências dos tribunais, sobretudo nos tribunais de família e menores e que poderia levantar “questões de constitucionalidade”, diz o Expresso.

Há um ano, António Costa apresentava a sua proposta de programa de Governo numa convenção do PS e defendeu uma revisão constitucional para criar tribunais especializados em crimes de violência doméstica. “Se isto não merece uma revisão constitucional, não sei o que mereça”, referiu.

Em 2019, a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima registou 45 homicídios. Costa sublinhou a importância de equacionar a possibilidade de uma “abordagem judiciária integrada” dentro do quadro constitucional existente, mas além disso defendia a criação dos tribunais especializados.

Uma ideia com a qual Francisca Van Dunem não concorda. A falta de consenso em torno do assunto parece atrasar ainda mais a aplicação de novas medidas,o que consequentemente não deverá contribuir muito para a resolução deste problema social.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A coisa pode esperar. Ainda não houve suficientes mortes e os agressores até continuam, na sua maioria, em liberdade até ao julgamento e, depois deste, ficam “impossibilitados (?)” de se aproximar das vítimas – até que as matam.

RESPONDER

Peça que terá sido usada no batismo de D.Maria II está à venda. Estado não a compra por ser demasiado cara

Há uma semana que está à venda uma peça que pertenceu à coroa portuguesa. Terá pertencido à família real depois do Terramoto de 1755 e, de acordo com o antiquário que agora a comercializa, terá …

"Dupla pancada". Vítimas de violência doméstica são deixadas ao abandono sem indemnização

Mais de 80% das vítimas de violência doméstica, a maioria mulheres, não recebem indemnizações, nem dos agressores nem do Estado. Se as vítimas não tiverem sofrido uma incapacidade para o trabalho por um período igual ou …

Ministério Público declara ilegal eleição de André Ventura

Ministério Público invalidou a mudança nos estatutos do Chega, incluindo a eleição direta de André Ventura. O líder do partido admite um novo congresso. No início do mês, o Ministério Público (MP) pediu ao Tribunal Constitucional …

Ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos demite-se por causa do Afeganistão

Sigrid Kaag demitiu-se do seu cargo de ministra dos Negócios Estrangeiros dos Países Baixos, depois de o Parlamento considerar que o Governo fez uma má gestão da retirada de cidadãos do Afeganistão. A ministra dos Negócios …

Rio "atirou" Costa aos macacos e pediu aos eleitores que "penalizem" o descaramento do PS

Rui Rio afirma nunca ter visto um "desplante" semelhante ao do PS no que respeita a promessas eleitorais como o que está a acontecer na atual campanha para as autárquicas. Mais um dia, mais uma capelinha. …

Boris quer destronar Thatcher com mais uma década no poder

Há quem acredite que o atual primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, quer bater o recorde de Margaret Thatcher, que exerceu o cargo de 1979 a 1990. Um membro do Governo britânico terá dito ao The Times que …

Itália passa a exigir certificado verde a todos os trabalhadores

Medida é das mais restritivas atualmente em vigor no mundo inteiro, já que todos os regimes de obrigatoriedade que vigoram atualmente aplicam-se sobretudo a profissionais do setor da saúde. A partir de 15 de outubro, itália …

Com receio de que violência negacionista possa escalar, PSP reforça segurança pessoal de políticos

As forças de segurança temem que a violência negacionista aumente e o movimento atraia pessoas desequilibradas. No passado sábado, vários negacionistas, reunidos em mais uma manifestação, desta vez com o mote “Pelas nossas crianças – Rumo …

Promessa eleitoral de Costa em Coimbra arranca um aviso da CNE. Rio ficou "chocado"

António Costa tem estado activo na campanha eleitoral, ao lado dos candidatos do PS às autárquicas, e até sacou da cartola uma maternidade em Coimbra. Uma promessa que deixou Rui Rio "chocado" e que leva …

O voto que dá que falar. "Não há um centímetro quadrado de Portugal que seja indigno" do Constitucional

Três juízes do Tribunal Constitucional contestaram o parecer dos seus pares que considera "desprestigiante" a mudança deste órgão de Lisboa para Coimbra, mas é o voto contra de Mariana Canotilho que dá que falar, uma …