/

Oposição a Pinto da Costa cresce. Reeleição está em risco

7

Há já três candidatos à presidência do FC Porto nas próximas eleições. Se até agora Pinto da Costa era um nome incontornável no clube, o seu longo reinado está agora a entrar em decadência.

Nuno Lobo é o nome mais recente a candidatar-se às próximas eleições presidenciais no FC Porto. O empresário de 50 anos anunciou a sua candidatura, mas realça que desiste caso Pinto da Costa altera a sua equipa diretiva.

“Sou candidato, mas poderei ponderar uma eventual retirada da candidatura caso a do presidente Pinto da Costa se apresente com alterações na equipa diretiva que me agradem. Caso contrário, vou mesmo a votos”, disse Lobo, em declarações ao jornal O JOGO.

José Martins Soares também anunciou que se vai candidatar novamente à presidência do FC Porto em abril deste ano, depois das tentativas contra Pinto da Costa em 1988 e 1991. O médico e empresário junta-se a José Fernando Rio, jurista e comentador do Porto Canal que também confirmou estar na corrida para a liderança do clube azul-e-branco.

“Pinto da Costa começa a deixar de ser intocável. Foi um grande presidente, mas, neste momento, deveria sair em grande. Não devia sair empurrado, porque vai levar o FC Porto para uma situação idêntica à do Sporting, com muitos candidatos”, atirou Martins Soares.

José Fernando Rio, por sua vez, diz que se candidata porque o clube “precisa de uma mudança na liderança, o que é óbvio para toda a gente, de virar a página e de se modernizar, de alguém que o saiba liderar com contas saudáveis para o futuro”.

O comentador considera ainda que são precisas novas pessoas e novas ideias. “Todos percebem que há uma perda de competitividade por parte do FC Porto. Amo o FC Porto e estou a dar a cara“, disse.

O antigo presidente da Associação Nacional de Jovens Empresários João Rafael Koehler também teceu algumas críticas ao presidente portista, alertando para a preocupante situação financeira do clube.

“Se enquanto administrador de uma empresa apresentasse contas deste calibre, demitia-me. € 51,8 milhões de prejuízo no primeiro semestre da época é grave, mas ainda me angustia mais não vislumbrar na atual administração um sinal de mudança de política de gestão ou uma receita alternativa para inverter os crónicos exercícios negativos”, disse, citado pela Tribuna Expresso.

“A única explicação é má prática de gestão financeira e desportiva. Este tipo de gestão é uma insanidade”, acrescentou.

O empresário nortenho, de acordo com o jornal A BOLA, também tem sido pressionado a apresentar candidatura nas próximas eleições no Dragão. Embora, numa primeira fase, tenha rejeitado essa possibilidade, a ideia de se candidatar ao lugar começa a ganhar novamente força.

“Sempre que o FC Porto vendeu um jogador cerca de 41 por cento do dinheiro se tenha perdido em comissões e outros custos. É uma coisa que não existe em lado nenhum do mundo. É uma coisa impossível de se aceitar. É hora de dizer basta e de Pinto da Costa e os administradores se explicarem”, disparou.

A SAD do FC Porto apresentou um resultado líquido consolidado negativo de 51,854 milhões de euros no primeiro semestre da época desportiva 2019/20, justificado pela qualificação falhada para a Liga dos Campeões de futebol.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

“Apesar da inevitável redução das receitas obtidas pela participação nas provas europeias, devido aos montantes significativamente inferiores atribuídos pela Liga Europa, a administração da FC Porto – Futebol, SAD tomou a opção de não vender, neste mercado de transferências de janeiro, jogadores que pudessem pôr em risco a competitividade da equipa”, lê-se no relatório e contas do FC Porto.

Para além da situação económica, o FC Porto de Pinto da Costa também tem falhado a nível desportivo. Apesar de estar na liderança do campeonato, após uma recuperação hérculea de nove pontos, a ausência da Liga dos Campeões nesta temporada deixou o orgulho ferido aos adeptos. A fraca participação na Liga Europa apenas veio agravar ainda mais o problema.

Jorge Nuno Pinto da Costa está na liderança do FC Porto há 37 anos e é o presidente que ganhou mais títulos à frente de um clube de futebol.

  DC, ZAP //

7 Comments

  1. os dirigentes dos clubes sabem é vender jogares e comprar tudo pela porta dos fundos. Dinheiro grande parte vai p/ o bolso dos dirigentes dos clubes e agentes. Isto já é feito décadas atras de décadas chega-se ao fim é tudo e todos iguais- são como os politicos.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.