Pelo menos 100 civis mortos em bombardeamentos do regime sírio em Ghouta

Pelo menos 100 civis, incluindo 20 crianças, morreram, na segunda-feira, nos bombardeamentos sírios ao enclave rebelde de Ghouta, de acordo com um novo relatório do Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

O diretor deste observatório, Rami Abdel Rahmane, disse à France Presse que este é, desde 2015, o registo mais sangrento de baixas civis num dia de combates nesta região.

A Força Aérea síria bombardeou, na segunda-feira, o enclave rebelde de Ghouta, no leste, próximo de Damasco.

Os ataques aéreos e os bombardeamentos da artilharia prosseguem em várias cidades desta região, sitiadas desde 2013, pelas forças do Presidente sírio, Bashar al-Assad, e que mostram escassez de bens essenciais, segundo o correspondente da agência.

Os hospitais têm também dificuldades em dar resposta face ao aumento crescente de feridos.

A Coligação Nacional Síria, com sede na Turquia, a principal formação da oposição no exílio, denunciou, num comunicado, uma “guerra de extermínio” que é levada a cabo no leste de Ghouta, bem como o “silêncio internacional” contra “crimes” das forças leais a Assad, numa guerra que devasta a Síria há quase sete anos.

Os ataques a civis “devem parar já”, apelou o coordenador da Nações Unidas para ajuda humanitária na Síria, em comunicado. “A situação humanitária dos civis no leste de Ghouta está totalmente fora de controlo e é imperativo que esse sofrimento humano sem sentido seja interrompido imediatamente”, disse ainda o responsável.

No domingo, o regime de Damasco disparou centenas de “rocketes” na região, tendo matado 17 civis.

Esta terça-feira, a Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) publicou uma nota em branco para demonstrar como se encontra “sem palavras” depois destes ataques.

O documento, intitulado “A Guerra contra os menores na Síria”, só contém uma frase do diretor da Unicef para o Médio Oriente e Norte da África, Geert Cappelaere: “Nenhuma palavra fará justiça aos menores assassinados, às suas mães, aos pais e aos entes queridos”, cita o Jornal de Notícias.

O resto da nota permanece em branco, ainda que no rodapé da página se possa ler: “Já não temos palavras para descrever o sofrimento dos menores e a nossa indignação. Aqueles que infligem o sofrimento ainda têm palavras para justificar esses atos bárbaros?”.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Pandemia fez com que quase metade dos portugueses poupe menos

Quase metade dos portugueses (48%) afirma poupar menos devido ao impacto da pandemia, embora mais de um terço assuma que a crise sanitária está a ter um efeito positivo nos seus gastos, segundo um estudo …

"Ministra da Insensibilidade Social". CDS pede a demissão de Ana Mendes Godinho

O CDS criticou este sábado a reação da ministra a Solidariedade Social à morte de 18 idosos num lar em Reguengos de Monsaraz e considerou que Ana Mendes Godinho desvaloriza o impacto da pandemia nos …

Esgotos de dois milhões de portugueses monitorizados para prever segunda vaga de covid-19

Os esgotos de dois milhões de portugueses estão a ser monitorizados para detetar a eventual presença do vírus da covid-19 e prever uma nova vaga. O Jornal de Notícias avança este sábado que a análise está …

Covid-19. Mais 198 infetados e 3 mortes em Portugal

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 198 casos de infeção por covid-19 e três óbitos, de acordo com o boletim epidemiológico publicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico Direção-Geral da Saúde (DGS) desde …

Média já divulgaram publicidade institucional (mas Estado ainda não lhes pagou)

O Sindicato dos Jornalistas lamentou esta sexta-feira que o Governo não tenha disponibilizado os 15 milhões de euros relativos à compra antecipada de publicidade institucional, vincando que o executivo está em dívida com as empresas …

Autoridades admitem que extrema-direita vá vigiar manifestações antifascistas de domingo

A Frente Unitária Antifascista anunciou que vai organizar no próximo domingo duas manifestações - uma Lisboa (Praça Luís de Camões) e outra no Porto (Avenida dos Aliados). O mote é a luta contra o fascismo. Estas manifestações …

Marcelo não entende por que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido (e leu os relatórios de Reguengos)

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, disse, em declarações transmitidas pela RTP3, que não entende porque é que Portugal continua na "lista negra" do Reino Unido. Em declarações transmitidas pela RTP3 a partir de …

Estado só recuperou 21% dos créditos tóxicos do BPN

O Estado apenas recuperou 21% dos créditos tóxicos do Banco Português de Negócios, que derivaram da nacionalização da instituição bancária em 2008. Até final de 2019, o Estado só conseguiu recuperar 21% da carteira de créditos …

Novas matrículas "só" vão durar 45 anos (por causa das palavras obscenas)

O novo formato de matrículas entrou em vigor a 2 de março. As novas matrículas vão durar menos tempo do que poderiam porque não serão usadas combinações “que possam formar palavras ou siglas que se …

Novo lay-off conta apenas com 1% das adesões do simplificado

O sucedâneo do lay-off simplificado conta apenas com 1.268 adesões nas primeiras duas semanas. Este valor é apenas 1% do número de empresas que acederam ao primeiro apoio. Nas primeiras duas semanas desde a sua implementação, …