França e Itália retêm migrantes “sem água, comida e abrigo”

De acordo com um relatório divulgado pela Oxfam, os migrantes que estão na fronteira entre França e Itália estão presos “sem água, comida, abrigo ou direitos básicos”.

O relatório divulgado esta sexta-feira pela organização não-governamental Oxfam acusa a França e a Itália de não tratarem os migrantes que estão na fronteira entre os dois países com dignidade.

O documento contém testemunhos de migrantes que afirmam que a polícia na fronteira francesa detém as crianças deixando-as sem comida ou água, corta as solas dos sapatos e retira o cartão SIM dos seus telemóveis antes de “ilegalmente enviá-las de volta para Itália”.

“Em Ventimiglia, perto da fronteira entre a Itália e a França, os refugiados e outros migrantes estão a viver um período duro, sem acesso aos serviços mais básicos. Mulheres, homens e crianças são «empurrados» para fora do sistema de asilo italiano, que muitas vezes falha em oferecer-lhes as necessidades básicas para a sua segurança, informação e educação”, revela o documento.

“Do outro lado da fronteira, a polícia francesa recebe as crianças com abuso e envia-as de volta para Itália, violando a lei francesa e da União Europeia. Milhares de pessoas, presas, estão impedidas de procurar o suporte mais básico”, diz o estudo da ONG.

Segundo o Observador, que cita os termos do regulamento de Dublin, as crianças migrantes em França não podem ser enviadas de volta para Itália se tiverem pedido asilo. Os menos não acompanhados têm o direito de ser transferidos para outro asilo onde estiverem membros da sua família, de acordo com a lei da União Europeia.

A Oxfam diz ainda que a Itália deixou muitas crianças “presas” e sem outra escolha senão tentar o caminho pelos próprios passos. A ONG lança um conselho ao Governo italiano, de “assegurar a implementação de leis das crianças não acompanhadas em toda a Itália e, em particular, assegurar o exercício eficaz do direito à união familiar”.

Segundo a Oxfam, 17.337 crianças chegaram a Itália, e 91% chegou sozinha. Quase 39 mil migrantes viram negada a sua entrada em França, na fronteira com a Itália, entre janeiro e agosto do ano passado.

Matteo Salvini, ministro do Interior italiano, impediu esta semana o navio Aquarius de desembarcar na Sicília, e acusou a França de virar as costas a mais de dez mil migrantes na fronteira entre janeiro e maio.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, respondeu, criticando o “cinismo e irresponsabilidade” de Itália em negar um navio de resgate com mais de 600 pessoas a bordo.

O Aquarius acabou por ser recebido por Espanha, com a ajuda de dois barcos militares italianos em toda a operação.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Os africanos negros e africanas, em vez de trabalharem mais, dedicam-se a fazer filhos, para depois exportar para a Europa. Reproduzem-se que nem ratos.

      • Estes gajos não podem ouvir as verdades que chamam logo racista. Racistas são os pretos que correram com os brancos da África. Querem a África só para eles e agora querem a Europa também. Eu não sou racista, limito-me a comprovar os factos e a dizer a verdade.

    • Sim… não há duvidas que há muitos que fazem isso, mas também há muitos europeus que fazem exactamente o mesmo!!
      O pior é que muitos desses migrantes são mesmo “inocentes” e são enganados por angariadores a quem entregam tudo e depois andam por aí à deriva…

Responder a Celta Cancelar resposta

Rara cobra de duas cabeças e dois cérebros independentes encontrada na Florida

Uma rara cobra com duas cabeças e dois cérebros independentes foi resgatada no estado norte-americano da Florida por uma equipa de especialistas do organização Florida Fish and Wildlife Conservation Commission. Na rede social Facebook, a organização, …

Benfica 2-0 Belenenses SAD | Darwinismo rende arranque histórico

O Benfica cumpriu e venceu o Belenenses SAD por 2-0, no Estádio da Luz, na partida que encerrou a quinta jornada da Liga NOS. Foi o quinto triunfo benfiquista no campeonato em cinco partidas, o …

Uma tarefa doméstica está a poluir sorrateiramente o ambiente

O que vestimos e como lavamos as nossas roupas influencia o número de microfibras sintéticas que libertamos no meio ambiente. Há uma tarefa doméstica a poluir sorrateiramente o ambiente. Um novo artigo científico, publicado na PLOS …

A companhia aérea que faliu devido à covid-19 está de volta

A pandemia de covid-19 foi traiçoeira para muitas empresas. A Flybe, uma das primeiras vítimas, está agora a ressuscitar - e pode voltar a rasgar os céus já no próximo ano. A economia mundial foi muito …

Dormir bem antes de tomar a vacina da gripe pode ajudar a aumentar a sua eficácia

Segundo os especialistas, uma boa noite de sono pode mesmo ajudar a aumentar a eficácia da vacina da gripe, que neste ano ganha particular relevância em plena pandemia de covid-19. De acordo com Matthew Walker, autor …

Há um petroleiro abandonado há mais de uma década nas Caraíbas (e é uma "bomba-relógio")

Um navio de armazenamento de petróleo venezuelano está ancorado no Golfo de Paria, um trecho de mar fechado entre a Venezuela e a ilha de Trinidad, há mais de uma década. Antes de os Estados Unidos …

Portugal deve bater recorde de doentes em cuidados intensivos ainda esta semana

Portugal deverá ultrapassar, esta quarta-feira, o recorde de doentes em unidades de cuidados intensivos, alertou a ministra da Saúde, Marta Temido, em conferência de imprensa sobre a capacidade do Serviço Nacional de Saúde para combater …

A Budapest Eye foi restaurante por um dia (e com estrela Michelin)

Um restaurante com estrela Michelin em Budapeste, na Hungria, ofereceu aos clientes uma experiência gastronómica na famosa roda gigante Budapest Eye. Atraiçoado pela queda de faturação após o desaparecimento de turistas estrangeiros, o restaurante Costes, premiado …

Antigo ministro da Saúde Leal da Costa admite novo estado de emergência

O antigo ministro da Saúde Fernando Leal da Costa defendeu hoje que em algum momento deve ser decretado de novo o estado de emergência, para que o Governo possa tomar medidas na luta contra a …

Marcelo promulga uso obrigatório de máscara na rua por 70 dias

O Presidente da República promulgou esta segunda-feira o decreto da Assembleia da República que determina o uso obrigatório de máscara na rua, por um período de 70 dias, sempre que não seja possível cumprir o …