França e Itália retêm migrantes “sem água, comida e abrigo”

De acordo com um relatório divulgado pela Oxfam, os migrantes que estão na fronteira entre França e Itália estão presos “sem água, comida, abrigo ou direitos básicos”.

O relatório divulgado esta sexta-feira pela organização não-governamental Oxfam acusa a França e a Itália de não tratarem os migrantes que estão na fronteira entre os dois países com dignidade.

O documento contém testemunhos de migrantes que afirmam que a polícia na fronteira francesa detém as crianças deixando-as sem comida ou água, corta as solas dos sapatos e retira o cartão SIM dos seus telemóveis antes de “ilegalmente enviá-las de volta para Itália”.

“Em Ventimiglia, perto da fronteira entre a Itália e a França, os refugiados e outros migrantes estão a viver um período duro, sem acesso aos serviços mais básicos. Mulheres, homens e crianças são «empurrados» para fora do sistema de asilo italiano, que muitas vezes falha em oferecer-lhes as necessidades básicas para a sua segurança, informação e educação”, revela o documento.

“Do outro lado da fronteira, a polícia francesa recebe as crianças com abuso e envia-as de volta para Itália, violando a lei francesa e da União Europeia. Milhares de pessoas, presas, estão impedidas de procurar o suporte mais básico”, diz o estudo da ONG.

Segundo o Observador, que cita os termos do regulamento de Dublin, as crianças migrantes em França não podem ser enviadas de volta para Itália se tiverem pedido asilo. Os menos não acompanhados têm o direito de ser transferidos para outro asilo onde estiverem membros da sua família, de acordo com a lei da União Europeia.

A Oxfam diz ainda que a Itália deixou muitas crianças “presas” e sem outra escolha senão tentar o caminho pelos próprios passos. A ONG lança um conselho ao Governo italiano, de “assegurar a implementação de leis das crianças não acompanhadas em toda a Itália e, em particular, assegurar o exercício eficaz do direito à união familiar”.

Segundo a Oxfam, 17.337 crianças chegaram a Itália, e 91% chegou sozinha. Quase 39 mil migrantes viram negada a sua entrada em França, na fronteira com a Itália, entre janeiro e agosto do ano passado.

Matteo Salvini, ministro do Interior italiano, impediu esta semana o navio Aquarius de desembarcar na Sicília, e acusou a França de virar as costas a mais de dez mil migrantes na fronteira entre janeiro e maio.

O Presidente francês, Emmanuel Macron, respondeu, criticando o “cinismo e irresponsabilidade” de Itália em negar um navio de resgate com mais de 600 pessoas a bordo.

O Aquarius acabou por ser recebido por Espanha, com a ajuda de dois barcos militares italianos em toda a operação.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

7 COMENTÁRIOS

  1. Os africanos negros e africanas, em vez de trabalharem mais, dedicam-se a fazer filhos, para depois exportar para a Europa. Reproduzem-se que nem ratos.

      • Estes gajos não podem ouvir as verdades que chamam logo racista. Racistas são os pretos que correram com os brancos da África. Querem a África só para eles e agora querem a Europa também. Eu não sou racista, limito-me a comprovar os factos e a dizer a verdade.

    • Sim… não há duvidas que há muitos que fazem isso, mas também há muitos europeus que fazem exactamente o mesmo!!
      O pior é que muitos desses migrantes são mesmo “inocentes” e são enganados por angariadores a quem entregam tudo e depois andam por aí à deriva…

Responder a jgt Cancelar resposta

Maior queda do mês no preço dos combustíveis. Gasóleo atinge mínimos de 4 meses

A partir de hoje os preços dos combustíveis irão baixar, e esta será a maior queda do mês. No que diz respeito ao preço da gasolina, esta deverá cair um cêntimo para 1,387€ por litro. …

Mais de 500 detidos nos protestos contra Lukashenko. Segue-se a greve geral

A greve geral anunciada pela líder da oposição bielorrussa no exílio para exigir a saída do Presidente começou, esta segunda-feira, com protestos tímidos e detenções em todo o país. "O prazo para cumprir as exigências do …

Polacos protestam contra acórdão que torna o aborto quase impossível

Milhares de polacos têm-se manifestado, nos últimos dias, contra a proibição quase total do aborto, quando as leis do país estavam já entre as mais restritivas da União Europeia. Na última quinta-feira, o Tribunal Constitucional polaco …

Japão promete "uma sociedade neutra em termos de carbono" até 2050

O Japão quer alcançar a neutralidade de carbono até 2050, disse hoje o primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga, um caminho que se afigura complicado, devido à dependência do país do carvão. Numa altura em que cada vez …

"Nada nos vai fazer recuar". Macron desperta a raiva do mundo muçulmano (e enfurece Erdogan)

Emmanuel Macron, presidente de França, assumiu posições muito claras na defesa da liberdade de exibir as caricaturas de Maomé, no âmbito da homenagem ao professor decapitado na semana passada, suscitando protestos em vários países muçulmanos. "Nada …

Merkel avisa Alemanha que os próximos meses vão ser “muito difíceis”

A chanceler alemã, Angela Merkel, avisou a Alemanha de que os próximos meses vão ser "muito difíceis", já que o número de infeções por covid-19 continua a crescer diariamente, tendo-se registado 8.685 nas últimas …

Portugal acusado de bloquear lei europeia contra evasão fiscal pelas multinacionais

Os governos português e sueco estão a ser acusados de bloquear, no Conselho da União Europeia (UE), a deliberação de uma lei contra a evasão fiscal por parte de grandes empresas multinacionais digitais. Segundo anunciou esta …

Consumo de antibióticos desce 22% durante a pandemia. Menos 1,1 milhões de embalagens vendidas

O consumo de antibióticos registou uma descida na ordem dos 22% nos primeiros oito meses deste ano. Venderam-se menos 1,1 milhões de embalagens, quando comparado com igual período do ano passado. Entre janeiro e agosto deste …

Portugal regista mais 2.447 casos e 27 mortes por covid-19

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 2.447 casos positivos e 27 mortes por covid-19. A informação foi divulgada, esta segunda-feira, no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico divulgado hoje revela que …

Testes rápidos devem ser aplicados em surtos em escolas ou lares

A Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, hoje publicada, determina que em situações de surto em escolas, lares ou outras instituições devem ser utilizados preferencialmente testes rápidos no sentido de aplicar "rapidamente as medidas adequadas …