Observada com binóculos e um telescópio. Assassino revela plano completo para matar jornalista maltesa

Domenic Aquilina / EPA

Vincent Muscat, que confessou ter matado Daphne Caruana Galizia, deu em tribunal o relato mais completo até agora do plano para assassinar a jornalista maltesa.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, Vincent Muscat disse, perante jornalistas e familiares de Daphne Caruana Galizia, que usou, juntamente com outros dois homens, binóculos e um telescópio para acompanhar os movimentos da jornalista durante vários dias antes de plantar e disparar o carro-bomba que a matou em 2017.

A morte de Daphne Caruana Galizia foi recebida com indignação em toda a Europa e envolveu o partido do governo de Malta num escândalo político que levou à renúncia do primeiro-ministro em 2019.

Sete homens admitiram ou foram acusados ​​de cumplicidade no crime, incluindo o magnata Yorgen Fenech, que se declarou inocente de ser o mentor, e Melvin Theuma, um motorista de táxi que confessou ser o intermediário no assassinato.

Antes da audiência, Muscat pediu desculpas à família de Caruana Galizia.

Muscat, que como Theuma se tornou testemunha oficial, disse que conheceu dois outros homens acusados ​​de envolvimento direto no assassinato, George e Alfred Degiorgio, antes das eleições gerais de Malta em junho de 2017.

“Alfred Degiorgio chegou-se a mim e disse-me que havia um bom trabalho para mim”, disse Muscat ao tribunal esta quinta-feira. Segundo a testemunha, Degiorgio disse que o trabalho era matar Caruana Galizia e que tinha sido acordado um preço de 150 mil euros.

“O plano era seguir os seus passos e disparar quando chegasse a hora certa. Após a eleição, Theuma deu-nos sinal verde. Deu-nos um adiantamento de 30 mil euros numa bolsa de couro castanha. A quantia foi paga em notas de 50. Ficámos com 10 mil cada e começámos o trabalho. Alfred e eu seguimo-la até Bidnija”, a vida onde morava a maltesa.

Segundo Muscat, os três homens usavam binóculos e um telescópio para observar de perto os movimentos de Caruana Galizia e passaram dias inteiros a observá-la.

“Estaríamos sentados lá em dois tijolos”, disse. “Era desconfortável e ficavámos dolorido. Eu comprava três maços [de cigarros] de Rothmans Red por dia. Colocávamos as pontas numa garrafa de água para não deixar rastros. Vimos Daphne no seu sofá com um portátil até as duas da manhã. ”

Muscat disse que o plano original era disparar contra Caruana Galizia na sua casa: “O plano era fazer com que Alfred disparasse debaixo da árvore. Eu ia tirá-lo de cena num carro roubado. George começou a inventar desculpas [de como] a arma era muito barulhenta”.

Então, os homens optaram por usar uma bomba. “George Degiorgio sempre quis uma bomba… uma bomba coloca-se à noite e vai-se embora. Mais silencioso, menos pânico”.

Os homens começaram a discutir a obtenção de uma bomba de Jamie Vella, que se declarou inocente no mês passado de cumplicidade no assassinato. Muscat disse que a bomba tinha uma face de aço inoxidável e um aparelho no qual o cartão SIM seria inserido. “Envia-se uma mensagem específica para o cartão SIM da bomba”, disse. “Explodiria segundos depois.”

Muscat disse ainda que tinha dito aos supostos cúmplices que estava preocupado que um carro-bomba pudesse acabar por matar outras pessoas, ao que lhe responderam: “Vamos em frente, mesmo que outros estejam com ela no carro”.

Enquanto vigiavam a casa de Caruana Galizia, notaram na noite de 15 de outubro de 2017 que tinha estacionado o carro do lado de fora do portão da sua casa. Muscat pegou na bomba, que estava escondida numa caixa de sapatos, e, com os outros cúmplices, colocou-a debaixo do banco do motorista.

Às 5h da manhã seguinte, Muscat e Alfred Degiorgio voltaram a um ponto privilegiado com vista para a casa. No início da tarde, viram Caruana Galizia partir e informaram George Degiorgio, que estava num barco, pronto para disparar a bomba à distância.

George detonou a bomba antes que o irmão lhe desse permissão. O carro de Caruana Galizia estava fora de vista e Muscat disse que não ouviu a explosão, mas olhou para trás e viu uma nuvem de fumo.

Muscat reiterou as alegações que fez anteriormente à polícia de que levou Alfred Degiorgio para se encontrar com o ex-ministro da Economia Chris Cardona na preparação para o assassinato e que Cardona terá dado uma dica aos homens antes de serem presos em dezembro de 2017.

Ao jornal Malta Independent, Cardona disse que as alegações eram “loucura e mentiras flagrantes”. “Nunca soube de nenhum projeto para matar alguém”, disse Cardona. “Isso é pura ficção maligna.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mundial de Futsal. Portugal esmaga as Ilhas Salomão por 7-0 e tem um pé nos oitavos

Portugal lidera o grupo C e pode garantir o apuramento caso Marrocos não perca contra a Tailândia. A seleção portuguesa de futsal, campeã europeia em título, somou hoje o segundo triunfo em dois jogos no grupo …

"Dezenas de pessoas" da comitiva de Putin infetadas com covid-19

O Presidente russo, Vladimir Putin, informou que dezenas de pessoas da sua comitiva testaram positivo para o coronavírus, doença que afetou mais de 7 milhões de habitantes no país. Putin entrou em isolamento no início desta …

Uber investe 90 milhões em novo ‘hub’ e sede em Lisboa e espera contratar mais 200 pessoas

A Uber está a investir 90 milhões de euros num novo ‘hub’ e sede de operações em Lisboa, hoje inaugurados, criando mais de 400 empregos diretos e pretendendo contratar mais 200 pessoas até final do …

Máscara nos espaços fechados e eventual terceira dose em massa - as conclusões da reunião no Infarmed

Terminou há momentos a reunião do governo com especialistas no Infarmed sobre o balanço da evolução da pandemia e as recomendações das medidas que devem ser adoptadas nesta nova fase. A reunião começou com as …

"Cruzeiro espacial" da SpaceX com quatro civis já está em órbita

Voo espacial terá a duração de três dias e cada um do seus tripulantes (quatro civis) terá uma tarefa na missão. Ainda assim, viagem tem um objetivo nobre e social. Passo a passo, Elon Musk parece …

Líder do PAN faz queixa no Ministério Público depois de ser ameaçada de morte

A deputada mostrou no Twitter o tipo de insultos e ameaças que tem recebido e avisa que não se vai calar ou permitir que o desrespeito continue. Inês Sousa Real foi insultada e ameaçada nas redes …

Árbitro foi muito "benévolo" com o FC Porto

O golo de Taremi e a expulsão de Mbemba originaram protestos portugueses. Os espanhóis têm uma visão diferente. O Atlético de Madrid-FC Porto contou com duas boas equipas em campo e uma "que esteve menos bem", …

Buraco na camada de ozono ultrapassa o tamanho da Antártida

A dimensão do buraco na camada de ozono no hemisfério sul ultrapassou o tamanho da Antártida, continente com cerca de 14 milhões de quilómetros quadrados, anunciou hoje o serviço europeu Copernicus, de monitorização da atmosfera. “O …

Políticos e especialistas querem legalizar canábis (com impostos para prevenir o consumo)

Um grupo de 65 personalidades, entre especialistas médicos e ex-ministros, apela à legalização da canábis, considerando que é a melhor forma de prevenir o consumo desta droga, nomeadamente através dos impostos aplicados ao sector. Esta carta …

Mais 1062 casos e seis mortes por covid-19. Internamentos continuam em queda

Há actualmente 497 doentes internados, menos 30 pessoas do que no último balanço. Mais seis pessoas morreram de covid-19 nas últimas 24 horas. Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais seis mortes e mais 1062 casos …