Observada com binóculos e um telescópio. Assassino revela plano completo para matar jornalista maltesa

Domenic Aquilina / EPA

Vincent Muscat, que confessou ter matado Daphne Caruana Galizia, deu em tribunal o relato mais completo até agora do plano para assassinar a jornalista maltesa.

De acordo com o jornal britânico The Guardian, Vincent Muscat disse, perante jornalistas e familiares de Daphne Caruana Galizia, que usou, juntamente com outros dois homens, binóculos e um telescópio para acompanhar os movimentos da jornalista durante vários dias antes de plantar e disparar o carro-bomba que a matou em 2017.

A morte de Daphne Caruana Galizia foi recebida com indignação em toda a Europa e envolveu o partido do governo de Malta num escândalo político que levou à renúncia do primeiro-ministro em 2019.

Sete homens admitiram ou foram acusados ​​de cumplicidade no crime, incluindo o magnata Yorgen Fenech, que se declarou inocente de ser o mentor, e Melvin Theuma, um motorista de táxi que confessou ser o intermediário no assassinato.

Antes da audiência, Muscat pediu desculpas à família de Caruana Galizia.

Muscat, que como Theuma se tornou testemunha oficial, disse que conheceu dois outros homens acusados ​​de envolvimento direto no assassinato, George e Alfred Degiorgio, antes das eleições gerais de Malta em junho de 2017.

“Alfred Degiorgio chegou-se a mim e disse-me que havia um bom trabalho para mim”, disse Muscat ao tribunal esta quinta-feira. Segundo a testemunha, Degiorgio disse que o trabalho era matar Caruana Galizia e que tinha sido acordado um preço de 150 mil euros.

“O plano era seguir os seus passos e disparar quando chegasse a hora certa. Após a eleição, Theuma deu-nos sinal verde. Deu-nos um adiantamento de 30 mil euros numa bolsa de couro castanha. A quantia foi paga em notas de 50. Ficámos com 10 mil cada e começámos o trabalho. Alfred e eu seguimo-la até Bidnija”, a vida onde morava a maltesa.

Segundo Muscat, os três homens usavam binóculos e um telescópio para observar de perto os movimentos de Caruana Galizia e passaram dias inteiros a observá-la.

“Estaríamos sentados lá em dois tijolos”, disse. “Era desconfortável e ficavámos dolorido. Eu comprava três maços [de cigarros] de Rothmans Red por dia. Colocávamos as pontas numa garrafa de água para não deixar rastros. Vimos Daphne no seu sofá com um portátil até as duas da manhã. ”

Muscat disse que o plano original era disparar contra Caruana Galizia na sua casa: “O plano era fazer com que Alfred disparasse debaixo da árvore. Eu ia tirá-lo de cena num carro roubado. George começou a inventar desculpas [de como] a arma era muito barulhenta”.

Então, os homens optaram por usar uma bomba. “George Degiorgio sempre quis uma bomba… uma bomba coloca-se à noite e vai-se embora. Mais silencioso, menos pânico”.

Os homens começaram a discutir a obtenção de uma bomba de Jamie Vella, que se declarou inocente no mês passado de cumplicidade no assassinato. Muscat disse que a bomba tinha uma face de aço inoxidável e um aparelho no qual o cartão SIM seria inserido. “Envia-se uma mensagem específica para o cartão SIM da bomba”, disse. “Explodiria segundos depois.”

Muscat disse ainda que tinha dito aos supostos cúmplices que estava preocupado que um carro-bomba pudesse acabar por matar outras pessoas, ao que lhe responderam: “Vamos em frente, mesmo que outros estejam com ela no carro”.

Enquanto vigiavam a casa de Caruana Galizia, notaram na noite de 15 de outubro de 2017 que tinha estacionado o carro do lado de fora do portão da sua casa. Muscat pegou na bomba, que estava escondida numa caixa de sapatos, e, com os outros cúmplices, colocou-a debaixo do banco do motorista.

Às 5h da manhã seguinte, Muscat e Alfred Degiorgio voltaram a um ponto privilegiado com vista para a casa. No início da tarde, viram Caruana Galizia partir e informaram George Degiorgio, que estava num barco, pronto para disparar a bomba à distância.

George detonou a bomba antes que o irmão lhe desse permissão. O carro de Caruana Galizia estava fora de vista e Muscat disse que não ouviu a explosão, mas olhou para trás e viu uma nuvem de fumo.

Muscat reiterou as alegações que fez anteriormente à polícia de que levou Alfred Degiorgio para se encontrar com o ex-ministro da Economia Chris Cardona na preparação para o assassinato e que Cardona terá dado uma dica aos homens antes de serem presos em dezembro de 2017.

Ao jornal Malta Independent, Cardona disse que as alegações eram “loucura e mentiras flagrantes”. “Nunca soube de nenhum projeto para matar alguém”, disse Cardona. “Isso é pura ficção maligna.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Costa, Von der Leyen na Cimeira Social no Porto

Von der Leyen dá luz verde ao Plano de Recuperação e Resiliência português. E "não é por acaso"

O primeiro-ministro, António Costa, e a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciaram esta quarta-feira que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) foi aprovado por Bruxelas.  A presidente da Comissão Europeia, Ursula von …

Kim Jong-un reconhece que país enfrenta "situação de tensão alimentar"

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, reconheceu que o país está a enfrentar uma "situação de tensão alimentar", informaram hoje os meios de comunicação oficiais. O país, cuja economia é alvo de múltiplas sanções internacionais impostas em …

Iniciativa Liberal apoia recandidatura de Rui Moreira à Câmara do Porto

A Iniciativa Liberal vai apoiar a recandidatura de Rui Moreira à Câmara do Porto nas próximas eleições autárquicas, considerando “inquestionável a mudança e o desenvolvimento” da cidade desde que o independente assumiu a presidência do …

Comissária europeia diz que variante Delta “diminui” proteção da vacina

A comissária europeia para a Saúde disse esta terça-feira que estão a surgir provas que demonstram que a variante Delta do coronavírus SARS-CoV-2 “diminui a força do escudo protetor” criado pelas vacinas, instando à aceleração …

DGS diz que demora de conclusões sobre eventos-piloto não é por erro técnico

A Direção-Geral da Saúde (DGS) rejeitou, esta terça-feira, que tenha havido erro técnico no tratamento de dados dos eventos-piloto da Cultura, ocorridos em abril e maio, mas admitiu que o processo está demorado. Numa declaração enviada …

Governo quer fazer alterações na duração de cargos de dirigentes

As mudanças que estão a ser preparadas passam por reduzir a duração dos cargos em substituição e, por outro lado, pelo ajustamento do período das comissões do serviço em função da avaliação. Segundo o Jornal de …

Responsável pelas manifestações em Lisboa é coordenador no Gabinete de Apoio à Presidência da CML

O responsável pelas manifestações na cidade de Lisboa é coordenador técnico no Gabinete de Apoio à Presidência da Câmara liderada por Fernando Medina. De acordo com o semanário Expresso, António Santos tem sido, nos últimos …

Sporting e Braga jogam Supertaça em Aveiro no dia 31 de julho

A Supertaça Cândido Oliveira, que vai ser disputada entre Sporting e Sporting de Braga, vai ser disputada em Aveiro, a 31 de julho, anunciou a Federação Portuguesa de Futebol (FPF). "A decisão da Supertaça Cândido de …

Um quarto da população portuguesa já tem a vacinação completa

Em Portugal, 42% das pessoas já receberam a primeira dose de uma vacina contra a Covid-19 e 25% — cerca de um quarto da população — estão completamente vacinados. De acordo com o mais recente relatório …

Cardiologista do Tottenham admite ponto final na carreira de Eriksen

O cardiologista do Tottenham, Sanjay Sharma, admite um ponto final na carreira de Christian Eriksen, que caiu inanimado no jogo entre a Dinamarca e a Finlândia. O encontro entre Dinamarca e Finlândia, da primeira jornada do …