Onda de demissões no Governo de Malta. Investigação sobre homicídio de jornalista agrava crise política

(dr) Times of Malta

A jornalista maltesa Daphne Caruana Galizia

A investigação do assassínio da jornalista Daphne Caruana Galizia continua a abalar Malta. O ministro do Turismo e o chefe de gabinete do primeiro-ministro demitiram-se, enquanto que a ministra da Economia suspendeu funções.

O chefe de gabinete do primeiro-ministro de Malta, Keith Schembri, demitiu-se por alegadas ligações ao homicídio da jornalista Daphne Caruana Galizia, em 2017, que investigava casos de corrupção na elite política e empresarial do país. Dois ministros também abandonaram o Governo de Malta.

O primeiro-ministro, Joseph Muscat, disse aos jornalistas que o chefe de gabinete se demitiu porque a polícia avançou na investigação sobre o homicídio da jornalista. Horas depois da declaração do governante, Konrad Mizzi, ministro do Turismo, também anunciou a demissão e Christian Cardona, ministro da Economia, suspendeu as suas funções até as investigações ao homicídio estarem concluídas.

De acordo com o Público, ambos os ministros negaram qualquer envolvimento na morte da jornalista de investigação, que denunciou a corrupção ao mais alo nível do Governo de Malta, até ter sido morta num atentado que fez explodir o seu carro.

Keith Schembri e Konrad Mizzi foram acusados pela jornalista de corrupção, algo que sempre negaram. Esta terça-feira, segundo fontes citadas pela Reuters, a polícia fez buscas na casa do chefe de gabinete do primeiro-ministro, mas nem o Mizzi nem o seu advogado comentaram a situação.

No entanto, ambos têm sido pressionados por políticos da oposição e pela própria família da jornalista para se demitir, por alegadas ligações financeiras ao empresário Yorgen Fenech, detido na semana passada por ser considerado pessoa de interesse para a investigação do homicídio.

Yorgen Fenech é diretor e coproprietário da Electrogás, que ganhou, em 2013, um concurso de vários milhões de euros aberto pelo Estado de Malta para a construção da maior central elétrica de gás da administração do primeiro-ministro maltês.

Oito meses ante da sua morte, Caruana Galizia escreveu no seu blogue sobre uma empresa cuja propriedade é atribuída a Fenech, chamada 17 Black, afirmando que tinha ligações a políticos malteses, avança a Renascença.

Um dos três filhos da jornalista reagiu no Twitter, numa publicação onde escreveu que “se o Partido Trabalhista a tivesse ouvido, não há dúvidas de que ainda estaria viva“.

O caso conheceu novos contornos esta segunda-feira, depois de o alegado intermediário da conspiração do homicídio, Melvin Theuma, ter recebido um perdão presidencial em troca de provas que pudessem ser usadas em tribunal. Segundo a imprensa local, já entregou gravações áudio.

Três homens esperam o julgamento por fazer explodir a bomba que matou Caruana Galizia, enquanto a polícia continua a sua investigação sobre quem pediu o homicídio.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Misteriosa cruz de mármore com 1.200 anos encontrada no Paquistão

Uma cruz de mármore foi recentemente descoberta no cimo das montanhas do Baltistão, no Paquistão. Os investigadores acreditam que tem cerca de 1.200 anos e que pode ser um sinal da presença de uma antiga …

Nona Sinfonia de Beethoven revela novos detalhes sobre o cérebro humano

A Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven, 250 anos após a sua criação, ajudou a demonstrar a existência de células conceituais no cérebro. Quase 200 anos depois da morte de Beethoven, a maior obra do músico …

Governo vai suspender devolução dos manuais escolares

O ministro da Educação informou hoje que o Governo vai suspender a devolução de manuais escolares, em curso desde 26 de junho, cumprindo a decisão do parlamento, que aprovou uma proposta nesse sentido. O plenário da …

Cuba prestes a abrir portas ao turismo (exceto aos cubano-americanos)

Depois de fechar as suas fronteiras para os turistas no final de março por causa da pandemia da covid-19, Cuba prepara-se agora para reabrir várias das suas baías ao turismo - mas há algumas exceções. …

Cidade do México enterrou os rios para prevenir doenças, mas a covid-19 resiste e prospera

Na tentativa de evitar a disseminação de doenças como a malária e a cólera, a Cidade do México enterrou os seus rios. Agora, como consequência, criou inadvertidamente as condições necessárias para a covid-19 prosperar. A Cidade …

Descoberto sistema de túneis da I Guerra onde estarão enterrados dezenas de soldados

A Agência do Património da Bélgica anunciou esta semana a descoberta de um sistema de túneis alemão da I Guerra Mundial, onde estarão, muito provavelmente, dezenas de soldados enterrados. Em comunicado, citado pela Russia Today, …

Cinco funcionários da Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia

Cinco funcionários da produtora automóvel Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia, avança o The Washington Post. De acordo com o jornal norte-americano, foram cinco os colaboradores dispensados da …

"Qual o lugar mais seguro?". Costa compara infetados no Reino Unido e Algarve

O primeiro-ministro apresentou hoje uma tabela que mostra o Reino Unido muito acima do Algarve em número de infetados com covid-19 por cem mil habitantes e pergunta qual o lugar mais seguro para umas férias …

Azul anuncia venda de 6% da TAP ao Estado por 10 milhões de euros

A companhia aérea brasileira Azul, de David Neeleman, anunciou hoje a venda de 6% da TAP, no âmbito do acordo anunciado esta quinta-feira entre o Estado e os acionistas privados, que “garante a continuação” da …

NASA cria dispositivo que o avisa para não tocar no rosto (e pode ser reproduzido em casa)

A pensar na pandemia, a NASA desenvolveu o PULSE, um colar vibratório que nos alerta se formos tocar no rosto com as nossas mãos. A pandemia de covid-19 alastrou pelo mundo e, enquanto não chega um …