Onda de demissões no Governo de Malta. Investigação sobre homicídio de jornalista agrava crise política

(dr) Times of Malta

A jornalista maltesa Daphne Caruana Galizia

A investigação do assassínio da jornalista Daphne Caruana Galizia continua a abalar Malta. O ministro do Turismo e o chefe de gabinete do primeiro-ministro demitiram-se, enquanto que a ministra da Economia suspendeu funções.

O chefe de gabinete do primeiro-ministro de Malta, Keith Schembri, demitiu-se por alegadas ligações ao homicídio da jornalista Daphne Caruana Galizia, em 2017, que investigava casos de corrupção na elite política e empresarial do país. Dois ministros também abandonaram o Governo de Malta.

O primeiro-ministro, Joseph Muscat, disse aos jornalistas que o chefe de gabinete se demitiu porque a polícia avançou na investigação sobre o homicídio da jornalista. Horas depois da declaração do governante, Konrad Mizzi, ministro do Turismo, também anunciou a demissão e Christian Cardona, ministro da Economia, suspendeu as suas funções até as investigações ao homicídio estarem concluídas.

De acordo com o Público, ambos os ministros negaram qualquer envolvimento na morte da jornalista de investigação, que denunciou a corrupção ao mais alo nível do Governo de Malta, até ter sido morta num atentado que fez explodir o seu carro.

Keith Schembri e Konrad Mizzi foram acusados pela jornalista de corrupção, algo que sempre negaram. Esta terça-feira, segundo fontes citadas pela Reuters, a polícia fez buscas na casa do chefe de gabinete do primeiro-ministro, mas nem o Mizzi nem o seu advogado comentaram a situação.

No entanto, ambos têm sido pressionados por políticos da oposição e pela própria família da jornalista para se demitir, por alegadas ligações financeiras ao empresário Yorgen Fenech, detido na semana passada por ser considerado pessoa de interesse para a investigação do homicídio.

Yorgen Fenech é diretor e coproprietário da Electrogás, que ganhou, em 2013, um concurso de vários milhões de euros aberto pelo Estado de Malta para a construção da maior central elétrica de gás da administração do primeiro-ministro maltês.

Oito meses ante da sua morte, Caruana Galizia escreveu no seu blogue sobre uma empresa cuja propriedade é atribuída a Fenech, chamada 17 Black, afirmando que tinha ligações a políticos malteses, avança a Renascença.

Um dos três filhos da jornalista reagiu no Twitter, numa publicação onde escreveu que “se o Partido Trabalhista a tivesse ouvido, não há dúvidas de que ainda estaria viva“.

O caso conheceu novos contornos esta segunda-feira, depois de o alegado intermediário da conspiração do homicídio, Melvin Theuma, ter recebido um perdão presidencial em troca de provas que pudessem ser usadas em tribunal. Segundo a imprensa local, já entregou gravações áudio.

Três homens esperam o julgamento por fazer explodir a bomba que matou Caruana Galizia, enquanto a polícia continua a sua investigação sobre quem pediu o homicídio.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Fomos enganados, geologicamente enganados." Novos segredos vulcânicos revelados

Um estudo levado a cabo por cientistas da Universidade de Queensland revelou novos detalhes sobre a composição geológica da crosta terrestre. Até agora, os cientistas pensavam que a lava arrefecida dos chamados vulcões "hot spot" era …

Os planetas formam-se em sopas orgânicas — e não há duas iguais

Uma série de novas imagens revela que os planetas formam-se em sopas orgânicas — e não há duas sopas iguais. Astrónomos mapearam os produtos químicos dentro dos berços planetários com detalhe extraordinário. Os mapas revelam a …

O Hawaii quer remover a sua "escadaria para o paraíso" - e a culpa é dos turistas

Em causa estão preocupações com a segurança e vandalismo, que têm aumentado com a explosão de popularidade da escadaria Ha‘ikū nas redes sociais. É caso para dizer que a Stairway to Heaven vai para o inferno …

Inventou o ZX Spectrum e mudou o mundo. Morreu Clive Sinclair

O empresário britânico e inventor do computador doméstico ZX Spectrum, Clive Sinclair, morreu hoje aos 81 anos na sua casa, em Londres (Reino Unido), devido a doença prolongada, informou a filha ao jornal “The Guardian”. Morreu …

Esta torre construída na Suécia não é gigante em altura, mas em sustentabilidade

Para além de ser feito de um material sustentável — fornecido por florestas locais com gestão consciente e transformado por uma serração nas proximidades, o Centro Cultural dispõe de múltiplas tecnologias que fazem dele mais …

Empresa canadiana debaixo de fogo por publicar anúncios de emprego destinados a não vacinados

Uma empresa de canoagem, sediada no Canadá, está debaixo de fogo depois de ter colocado anúncios de emprego destinados, exclusivamente, a pessoas não vacinadas contra a covid-19. "Por favor, NÃO se candidate se tiver tomado quaisquer …

Disparam ataques a jornalistas. Bruxelas insta países da UE a aumentar proteção

Os países da União Europeia (UE) foram instados por Bruxelas a tomar medidas para proteger os jornalistas, após um aumento no número de ataques a membros da imprensa. A Comissão Europeia exortou os governos a criarem …

Facebook e Google criticados por anúncios de "reversão do aborto"

O Facebook já veiculou anúncios de "reversão do aborto" 18,4 milhões de vezes desde janeiro de 2020, de acordo com um relatório do Center for Countering Digital Hate (CCDH), promovendo um procedimento "não comprovado, antiético" …

Líder militar dos EUA temeu que Trump iniciasse guerra nuclear com a China - e chegou a ligar aos chineses

As revelações aparecem em Peril, o novo livro de Bob Woodward e Robert Costa sobre os bastidores da Casa Branca. Trump já respondeu. O General Mark Milley, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA, …

França suspende 3.000 profissionais de saúde que recusaram vacina contra covid-19

A França suspendeu 3.000 profissionais de saúde sem remuneração por se recusarem a tomar a vacina contra a covid-19, revelou o ministro responsável pela pasta, Olivier Véran. Segundo Véran, citado esta quinta-feira pelo Guardian, "várias dezenas" …