/

Nuno Melo ataca líder do CDS por anunciar sentido de voto sem consultar deputados

1

Estela Silva / Lusa

Nuno Melo, do CDS/PP

O candidato à liderança do CDS-PP criticou, este sábado, o atual líder do partido por ter comunicado publicamente a intenção de votar contra a proposta de Orçamento do Estado sem se ter reunido com os seus deputados.

“Sendo o Orçamento de Estado um documento discutido e votado na Assembleia da República, sob responsabilidade de um talento parlamentar que se chama Cecília Meireles, considero incompreensível que o presidente do partido anuncie o sentido de voto do CDS, sem tão pouco ter reunido previamente com os deputados , ou conversado com o seu líder”, escreveu Nuno Melo na sua página de Facebook.

“Considero igualmente incompreensível que a propósito o presidente do partido se reúna com o Presidente da República, sem se fazer acompanhar da deputada que melhor conhece o documento e a quem competirá o combate com o Governo”, acrescentou.

Nas suas palavras, “quando for presidente do CDS”, o eurodeputado irá reunir-se “semanalmente com o grupo parlamentar”, dizendo ainda que este “será tratado como aquilo que é: um instrumento fundamental de ação política do partido”.

Entretanto, em declarações ao jornal online Observador, o presidente do grupo parlamentar dos centristas, Telmo Correia, disse que não lhe compete comentar esta publicação de Nuno Melo, mas confirmou que, este ano, “não houve qualquer contacto [da parte de Francisco Rodrigues dos Santos] sobre este Orçamento”.

Não houve nenhum contacto da parte do Sr. Presidente do CDS comigo sobre matéria orçamental ou qualquer outra. Pese embora toda a documentação do grupo parlamentar sobre o tema ter sido enviada institucionalmente, não houve qualquer resposta à nossa solicitação. O que sei sobre a posição da Direção, reunião com o Presidente da República, etc., soube pela comunicação social”, disse.

“A deputada coordenadora, Cecília Meireles, que está a trabalhar esta matéria há mais de um mês, também não terá tido qualquer contacto”, acrescentou ao jornal digital.

Nuno Melo arrancou, este fim-de-semana, a sua campanha interna até ao 29.º Congresso Nacional agendado para os dias 27 e 28 de novembro, depois de ter anunciado que é candidato à liderança do partido, como “uma obrigação e um imperativo de consciência” face à “progressiva perda de relevância própria” do partido.

  ZAP //

1 Comment

  1. A crítica seria aceitável se o grupo parlamentar não andasse desde o início de candeias às avessas com o atual presidente do CDS. Além do mais, convenhamos, será que o grupo parlamentar quer votar a favor do orçamento? Ele há coisas…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.