Novas provas indiciam que Pinho foi manipulado para fazer lei à medida da EDP

Miguel A. Lopes / Lusa

A EDP terá participado no planeamento do regime CMEC – Custos para a Manutenção do Equilíbrio Contratual. O envolvimento da gestão terá sido feito através de Rui Cartaxo, na altura assessor do ministro Manuel Pinho.

A informação foi avançada pela SIC, que revelou novos e-mails na noite de quinta-feira. Segundo a estação de televisão, estes e-mails terão chegado já ao Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

Desde, pelo menos, o início de 2007 que a principal elétrica nacional terá tido acesso a informações confidenciais do Ministério da Economia, relacionadas com a legislação dos contratos Custos de Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC) e com o diploma que instituiu o domínio hídrico — precisamente os dois diplomas em que Manuel Pinho é suspeito de ter favorecido a EDP num valor mínimo de 1,2 mil milhões de euros.

Num email que João Manso Neto, citado pelo jornal Expresso, administrador da EDP, enviou a 8 de janeiro de 2007 ao presidente executivo da elétrica, António Mexia, pode ler-se: “Falei hoje com RC (Rui Cartaxo) que me disse que já havia falado com a CGD (Caixa Geral de Depósitos) e CSFB (Credit Suisse First Boston) para os contratar para fazerem a avaliação do domínio hídrico em duas semanas. Confirmou-me ter lido os documentos que lhe enviámos e que lhe pareceram bastante bem.”

Manso Neto revela no e-mail as sugestões que a EDP fez a Rui Cartaxo. “Sugeri-lhe duas coisas: a) que aprovasse rapidamente o Decreto-Lei dos CMEC para não termos problemas com os auditores. RC [Rui Cartaxo] percebeu e disse-me que ia tentar que o assunto fosse a Conselho de Ministros esta semana; b) Acompanhasse a tramitação do pedido de autorização legislativa da lei da água prevenindo atrasos burocráticos“.

António Mexia e João Manso Neto são suspeitos de terem, alegadamente, corrompido o ex-ministro Manuel Pinho, tendo sido constituídos arguidos pelo crime de corrupção ativa.

A investigação a Manuel Pinho continua por parte do Ministério do Público e com mais pistas, estando o CDIAP a analisar o envolvimento da Caixa Geral de Depósitos no financiamento do projeto industrial da espanhola La Seda de Barcelona em Sines.

O projeto tornaria o banco estatal o maior credor da fábrica da Artlant, que em 2017 entrou em insolvência.

As contradições de Cartaxo

Os emails agora revelados contradizem afirmações que o próprio Rui Cartaxo fez na Comissão Parlamento de Inquérito às rendas excessivas no setor elétrico. Questionado pelos deputados, Cartaxo afirmou, a 9 de outubro, que, enquanto assessor de Manuel Pinho, não teve “qualquer intervenção direta” nem se recordava de lhe “ter sido pedida opinião” no que diz respeito à legislação dos CMEC.

“Se quer que eu lhe diga se acho ideal que uma empresa — qualquer que ela seja –, que lhe seja pedida a redação de um draft do diploma que lhe diga diretamente respeito… opinião pessoal: não acho o ideal”, disse Cartaxo quando foi confrontado com a hipótese da EDP elaborar drafts de diplomas sobre o setor energético.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Se está provado que Rui Cartaxo mentiu aos deputados qual é a consequência? A polícia vai buscá-lo a casa? Vão-lhe investigar as contas bancárias? Não me parece, estamos em Portugal. Provavelmente vão chamá-lo outra vez, e ele diz que não se lembra, que foi há muito tempo.

RESPONDER

Jurados do julgamento de Rosa Grilo ganham 120 euros por dia

Por cada dia em tribunal, os jurados do julgamento de Rosa Grilo recebem 120 euros por dia. Para se tornarem elegíveis, basta terem a escolaridade obrigatória e ter menos de 65 anos. Esta terça-feira foram já …

Encontrados misteriosos "vasos da morte" numa floresta remota do Laos

Investigadores descobriram 15 locais no país do Laos, no Sudeste Asiático, que continham mais de cem enormes jarros de pedra de há cerca de mil anos. Acredita-se que os potes tenham sido usados ​​para armazenar …

Vem aí um Verão histórico. Ondas de calor e temperaturas de 43 graus

Este vai ser um Verão escaldante em Portugal. A previsão é de especialistas meteorológicos e aponta que a partir de Junho a temperatura vai começar a subir até atingir valores históricos. Os portugueses devem preparar-se …

Ter como religião a canábis. Freiras feministas controlam negócio milionário

Não há missas nem cânticos, nem tão pouco uma religião específica. Apesar disso, as "Irmãs do Vale" vestem hábitos de freiras e gerem um negócio de produção e venda de canábis para fins medicinais. E …

IRS. 3.000 contribuintes ricos pagam tanto como quase um milhão com rendimentos mais baixos

O número de contribuintes com rendimento superior a 250 mil euros por ano aumentou em 2017, de acordo com os dados da Autoridade Tributária (AT). Os contribuintes mais ricos são agora 3.125, mais 422 do …

José Sena Goulão / Lusa

Europeias: Com Rio chocado e Rangel emocionado, Marques encostou-se aos pesos-pesados

No rescaldo de mais um dia de campanha eleitoral para as europeias de domingo, apareceu Paulo Portas e com Rui Rio indignado com a RTP por causa da sondagem que dá vantagem ao PS, dois …

Estivadores de Setúbal atrasaram a economia portuguesa

Segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), as "ações sindicais no porto de Setúbal, em novembro e dezembro, restringiram as exportações de automóveis". A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) culpa …

Portugal tem a eletricidade mais cara da União Europeia

Mais de metade do valor que os portugueses pagam pela eletricidade corresponde a impostos e taxas. Só a Dinamarca nos ultrapassa no que diz respeito ao preço da eletricidade. No segundo semestre de 2018, Portugal teve …

Fundação José Berardo em risco de falência

A sobrevivência da Fundação José Berardo "está dependente de apoio financeiro" do fundador, devido ao passivo de quase mil milhões de euros e que equivale às dívidas que três bancos tentam cobrar ao empresário madeirense. A …

Instituto aceitou que professora suspeita avaliasse exame de Português em 2017

O Instituto de Avaliação Educativa (IAVE) sabia que havia suspeitas que recaíam sobre a professora Edviges Ferreira quando, no verão de 2017, aceitou que fosse ela a avaliar o exame de Português do 12.º ano …