O corpo de Maddie poderá ter sido escondido por espiões britânicos

Mario Cruz / Lusa

Kate e Gerry McCann, os pais de Maddie

Kate e Gerry McCann, os pais de Maddie

A dias de se assinalar o 10.º aniversário do desaparecimento de Madeleine McCann, há novas teorias sobre o que terá acontecido à menina britânica no fatídico dia 3 de Maio de 2007.

A Polícia Judiciária revelou ontem que o caso “continua aberto” e após anos de investigação e de muita especulação, há ainda novas teorias a aparecer sobre o que poderá ter acontecido à criança.

A ideia de que Maddie, como ficou conhecida a menina que tinha 3 anos quando desapareceu, terá morrido naquele dia 3 de Maio de 2007 é uma das possibilidades já ventiladas e, agora, acrescenta-se a ideia de que espiões do MI5, os serviços secretos britânicos, podem ter ajudado a esconder o corpo.

Esta teoria é destacada num documentário australiano e atribuída a Gonçalo Amaral, ex-inspector da Polícia Judiciária, que é citado a notar que agentes secretos britânicos podem ter estado “envolvidos” no caso, num esquema de encobrimento da alegada morte da criança que terá chegado ao ex-primeiro-ministro britânico, Gordon Brown.

Este cenário foi divulgado no programa “Sunday Night”, do canal Channel 7 australiano, que foi emitido este domingo e que tinha prometido revelações bombásticas sobre o caso.

Apesar disso, têm surgido muitas críticas ao documentário e o próprio Gonçalo Amaral já terá garantido que não prestou qualquer entrevista recente à jornalista Rahni Sadler, que conduziu a investigação. A repórter e o ex-inspector surgem a caminhar na praia, no documentário, mas as imagens serão antigas.

No documentário australiano, avança-se ainda que há uma testemunha-chave, um funcionário do resort da Praia da Luz, que pode saber o que aconteceu.

Raptada e escondida em grutas

Outra das teorias que surge na imprensa inglesa é de que Maddie terá sido raptada e levada para uma rede de cavernas secretas, conforme destaca o ex-inspector da PJ, Paulo Pereira Cristóvão, em declarações ao jornal Metro.

Cristóvão diz que se tivesse raptado a criança, a levaria para Burgau, em Vila do Bispo, “uma praia próxima, com muitos rochedos com grutas”.

É um bom local para guardar alguém. Tanto quanto sei, a polícia nunca foi lá, porque seriam preciso mergulhadores”, acrescenta o ex-inspector que iliba os pais e critica a investigação portuguesa.

Vendida a “ciganos” ou a família rica do Médio Oriente

Há ainda a teoria de que Maddie terá saído do apartamento do resort e que poderá ter sido atropelada por alguém que, posteriormente, escondeu o seu corpo.

Também o jornalista de investigação Danny Collins alega que a menina terá deixado o apartamento para ir procurar os pais.

Em declarações ao The Sun, Collins nota que a menor não poderia ter sido raptada do apartamento pela janela porque as persianas só se abriam pela parte de dentro. Assim, defende que Maddie terá sido sequestrada quando saiu do resort para procurar os pais e que terá sido vendida a “ciganos”.

O jornalista que investigou o caso, na altura do desaparecimento, também iliba os McCann e atribui culpas à polícia portuguesa, considerando que levou demasiado tempo a informar as polícias fronteiriças do possível rapto, por causa do “receio do dano que um caso de sequestro de uma criança provocaria ao comércio turístico do país”.

“Nenhuma prova forense foi procurada, não foram tiradas impressões digitais de forma correcta e nenhum cordão [de segurança] foi limitado em torno do apartamento”, destaca Collins, realçando que “a polícia britânica disse que esta foi a cena de crime “pior preservada” de sempre“.

Outra teoria de rapto aponta que Maddie pode ter sido vendida a uma família rica do Médio Oriente, conforme destaca no Mirror o ex-detective Colin Sutton, que investigou o caso para os McCann e que é igualmente citado no documentário australiano.

Este investigador sublinha a probabilidade de Maddie ter sido levada de barco até Marrocos e de ter sido, depois, vendida como escrava, citando nomeadamente, os relatos de testemunhas que dizem ter visto Maddie em Marraquexe.

“Chamada misteriosa” para a polícia

Outro dado que é avançado pelo The Sun fala de “uma chamada misteriosa” que terá sido feita 16 minutos depois do desaparecimento de Maddie, a comunicar um roubo, o que obrigou a polícia de Lagos a rumar na direcção oposta ao resort.

O jornal nota que pode ter sido um esquema “para encobrir a fuga do raptor”.

Polícia aconselhou McCann a não mostrarem emoções

Entretanto, o documentário australiano exibido no domingo está a ser alvo de muitas críticas, nomeadamente pela especialista criminal Pat Brown, que diz que o documentário pretende passar uma visão pró-McCann e que foi “armadilhada para ser humilhada” pela jornalista Rahni Sadler.

“Queriam que os telespectadores acreditassem que disse que os McCanns eram culpados de um crime. Depois, não usaram nenhuma das provas importantes que avancei para apoiar uma teoria de que os McCanns podem mesmo estar envolvidos. Editaram uma série de outros testemunhos para me fazerem parecer ridícula”, lamenta Pat Brown em declarações ao site Nine.com.au.

A especialista criminal defende que Maddie morreu em 2007 num acidente que foi “encoberto” devido a “negligência e possível medicação”.

Até os McCann, que são retratados como inocentes pelo canal, estão descontentes com o documentário porque as declarações usadas foram feitas há seis anos e são apresentadas como se fossem actuais.

Ouvido na actualidade pelo canal australiano foi o porta-voz dos McCann, Clarence Mitchell, que critica a cobertura que os média fizeram do caso, considerando que é uma “centrifugação de loucura”.

“Quando se noticiou que a família não estava com as crianças quando a Madeleine desapareceu, o esquadrão de julgamento apareceu e [Kate e Gerry] foram considerados “culpados de negligência”, no mínimo dos mínimos”, destaca Mitchell.

O porta-voz revela ainda que a polícia britânica disse, na altura, ao casal para tentar não mostrar emoções aos jornalistas porque os raptores de crianças “veem a cobertura mediática para ter excitação sexual das lágrimas e aflição dos pais”.

Susana Valente SV, ZAP //

PARTILHAR

14 COMENTÁRIOS

  1. A quem interessar. O The Sun é o equivalente britânico do Correio da Manhã. Noticias desses pasquins valem o que valem e só come quem quer.

  2. Andava a pensar como Janeka, mas ainda faltavam os espiões britânicos, e a Inglaterra tem espiões, e espiões, e mais espiões… Espiões que até podem andar a fazer uma perninha com extraterrestres e sendo assim os “marcianos” não ficam inocentes. Talvez tenha escapado por uma fenda do tempo indo parar a um universo paralelo… Morreu, infelizmente, por culpa de quem a devia proteger. Mas estes senhores MacCann que parem com suspeitos e contem toda a verdade, assim: tim por timtim. É que se fosse um casal português já tinham sido apertados.

  3. Este é um caso que mostra que em Portugal a investigação de um caso como este está muito atrasada !
    Pode-se é perguntar : Por que razão ? Será política ? Dos partidos políticos que não apresentam propostas ?
    Dos investigadores que não têm competência que outros “acima” lhes terão de dar ? Da incapacidade desses
    investigadores ? Porque tem demorado tanto “a resolver ” este caso ?
    Em resumo, o importante era ter feito algo ” na hora ” ! Depois passou a ser tarde ,muito tarde !
    Gostaria ,no entanto, de perguntar : Que é a polícia que está encarregue do caso ? É portuguesa ? Inglesa ?
    Ou será falta de dinheiro por parte do Estado português que deve respeito a esta família inglesa ?

    • Acho incrível que até aqui é preciso dar ênfase ao título de “Engenheiro”… Talvez Portugal esteja assim como refere porque vive muito de “títulos” e “prestígios” em vez de competências…

      • Julgo que V.Exa. está a falar em outra coisa que aqui não interessa ! Eu limitei-me a me
        identificar , tanto mais que estes comentários são aceites após decisão dos responsáveis
        do site !
        Falando do assunto, se o Senhor é de origem inglesa,deveria ficar satisfeito porque a m/
        intenção é boa ! Oxalá que a Maddie possa ser encontrada e esteja viva para satisfação
        dos Pais ! Não será a sua ?

        • E porque necessita de se identificar como sendo um “Engenheiro”? Só o nome não seria suficiente? É apenas isso que “critico” e é apenas a minha opinião… Já leu o livro de quem estava responsável pelo caso até ter sido afastado do mesmo, o Sr. Gonçalo Amaral? Se não leu, aconselho vivamente a ler, é exposto com detalhe todos os passos da investigação… Infelizmente a pequena Maddie já estará morta desde o fatídico dia do “suposto” desaparecimento, sendo mais provável ter acontecido um acidente… Na investigação do caso foram incluídos dois cães únicos no mundo que desvendaram com sucesso imensos casos de homicídios, pergunte-se porque é que a polícia inglesa colocou em descrédito esses cães que tem provas bem dadas do seu sucesso? Antes de criticar como é que as investigações em Portugal funcionam, tente saber porque é que as mesmas foram sempre travadas e por quem… E não, não sou de origem inglesa, sou português de “gema” mas com experiência de vida além fronteiras… E infelizmente quase só em Portugal se dá tanto ênfase aos títulos académicos… Infelizmente…

    • Tu é que andas tão atrasado, que “nesta altura do campeonato” ainda nem sequer sabes que, como é óbvio, o caso sempre foi da responsabilidade da PJ!!

  4. Será que esta investigação comprova o atraso que possa existir em Portugal? Será que não existem evidências do que aconteceu? Lá fora também desaparecem crianças, e adultos, sem nunca serem encontrados. Gonçalo Amaral parece ter andado muito perto da verdade, mas foi afastado, já que os MacCann não queriam ser beliscados e o dinheiro que estava por detrás deles não deixou. Claro que a PJ falha, ainda que alguns venham dizer que é a “melhor do mundo”, mas terá falhado neste caso? Falhou redondamente com o “Estripador de Lisboa”, ou não, afinal há quem diga que sabia quem era este assassino, mas o investigador que podia chegar até ele foi demitido. Resumindo: parece que alguém protegeu o “Estripador de Lisboa”, como nos EUA alguém protegeu o “Assassino do Zodíaco”. Quem protegeu os MacCann? Ninguém os está a acusar de terem assassinado a filha, mas parece que aconteceu um acidente que resultou na sua morte e que eles tudo fizeram para o esconder. A religiosidade de Kate até o dá a entender, como o livro da Bíblia que ela tinha aberto na sua mesa de cabeceira, precisamente as palavras do rei David quando sofre de remorsos por ter provocado acidentalmente a morte do filho

  5. Se não existisse conflitos de interesses entre Portugal e Inglaterra e o governo Português não tive sido “calado” pelo ex primeiro ministro Gordon Brown, já há muito que se saberia o que realmente aconteceu a criança, a PJ portuguesa era e é mais que competente para deslindar o dito mistério que na verdade não é mistério nenhum, existe sim é uma cambada da malabaristas que tentam a todo custo ilibar os pais porque esses pagam bem para haver este circo todo, para depois ver estes srs (as) com canudos armados aos cagados atirar areia para os olhos de todo o mundo quando eles mesmos sabem perfeitamente o que realmente aconteceu…Haja € muitos € para financiar esta fantochada toda, mas um dia a fonte vai secar e como tal alguém vai colocar a “boca no trombone”…Espero que não seja tarde demais.

RESPONDER

Governo reforça financiamento de projetos LGBTI com 50 mil euros

O Governo vai reforçar em 50 mil euros o financiamento de projetos de organizações que atuem na defesa dos direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo (LGBTI), anunciou o gabinete da secretária de …

CDS pede ao Governo "um plano de desconfinamento controlado, à inglesa"

Francisco Rodrigues dos Santos quer que o Executivo apresente um plano de desconfinamento que permita a retoma da atividade de alguns setores. Esta sexta-feira, o presidente do CDS-PP insistiu na necessidade de o Governo apresentar um …

Para os idosos que estão em lares, visitar a família sem isolamento poderá acontecer em maio

A CNIS estima que, com todos os idosos residentes em lares vacinados, maio possa ser o mês da libertação depois de mais de um ano de pandemia, confinamentos e restrições apertadas. DGS diz que orientações …

UE retalia e declara chefe da missão venezuelana "persona non grata"

A União Europeia (UE) decidiu, esta quinta-feira, declarar a chefe da missão venezuelana em Bruxelas persona non grata, respondendo ao anúncio feito por Caracas de dar 72 horas à embaixadora comunitária para abandonar o país. "Por …

Novo problema num Boeing 777 leva a aterragem de emergência na Rússia

Um Boeing 777 da companhia aérea russa Rossiya fez uma aterragem de emergência em Moscovo, esta sexta-feira, devido a um problema de motor, uma semana depois de um incidente semelhante com um aparelho do mesmo …

Covid-19. Mais 1.027 casos e 58 mortes em Portugal

Portugal registou hoje 58 mortes e 1.027 novos casos de infeção nas últimas 24 horas, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico desta sexta-feira, divulgado pela Direção-Geral da Saúde, dá conta de 1.027 novos …

Costa anuncia "passaporte sanitário" para circulação na UE (e aposta em novos modelos económicos)

O primeiro-ministro António Costa anunciou esta sexta-feira que a Comissão Europeia vai preparar um documento para facilitar a circulação entre países da União Europeia (UE). Segundo avançou o Correio da Manhã, este "passaporte sanitário", que estará …

Vírus já circulava "de forma silenciosa" em Portugal em fevereiro (e veio principalmente do Reino Unido)

O Reino Unido, com mais casos, e a Itália, com mais peso na transmissão comunitária, foram os países com maior impacto no início da pandemia de covid-19 em Portugal, revela esta sexta-feira um estudo do …

Morreu Alfredo Quintana, guarda-redes de andebol do FC Porto

Alfredo Quintana, guarda-redes de andebol do FC Porto, faleceu esta sexta-feira, aos 32 anos. O internacional português sofreu uma paragem cardiorrespiratória no treino de segunda-feira. Alfredo Quintana, guarda-redes da equipa de andebol do FC Porto e …

Rainha de Inglaterra encoraja população a ser vacinada. Processo é "inofensivo"

A rainha de Inglaterra, Isabel II, encorajou esta sexta-feira as pessoas a serem vacinadas contra a covid-19, garantindo que a injeção é rápida, inofensiva e vai ajudar a proteger todos os cidadãos contra a doença. Numa …